Busca

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Um mês após massacre, educadores(as) se mobilizam em todo Paraná

Com informação da APP-Sindicato

Hoje, dia 29 de maio, haverá uma marcha histórica em todo o Paraná

Hoje, dia 29 de maio, haverá uma marcha histórica em todo o Paraná! A data marca um mês do massacre que os educadores e educadoras sofreram no Centro Cívico, em Curitiba, e também faz parte do Dia Nacional de Manifestações e Paralisações convocado pela CUT e demais centrais sindicais.
Na pauta estadual está a reposição da data-base em 8,17% pago em única parcela. A proposta que o governo apresentou passa longe de qualquer expectativa dos(as) servidores(as): mudar a data-base e conceder uma reposição de 3,45%, referente à inflação de maio a dezembro de 2014, em três parcelas (em setembro, outubro e novembro de 2015) e a inflação de 2015 seria paga em parcela única no mês de janeiro de 2016, com a antecipação da data-base.
De acordo com análise técnica da APP-Sindicato, com a medida, cada servidor(a) irá perder, ao longo do ano, o equivalente a metade de um salário atual. Uma professora que recebe R$ 1. 300,00 por mês perderá, ao final de 2015, cerca de R$ 650,00. “A APP não concorda com a proposta. A defesa da entidade e dos demais sindicatos de servidores continua de reposição da inflação do período, que é 8,17%, em parcela única”, ressaltou o presidente da entidade, professor Hermes da Silva Leão.
Também será pauta das mobilizações o ajuste fiscal (MPs 664 e 665) que tira direitos dos(as) trabalhadores(as) e corta investimentos em políticas públicas, o Projeto de Lei da Terceirização (agora no Senado como PLC 30), contra a redução da maioridade penal e contra a PEC da Corrupção (PEC 452) que legaliza o financiamento empresarial de campanha e agrava ainda mais a corrupção no Brasil.
O objetivo é mobilizar 100 mil pessoas nas ruas de todo o Paraná. Em Curitiba, o ato inicia-se na Praça 19 de Dezembro a partir das 9h. As centrais sindicais e os movimentos sociais participarão da marcha que seguirá sentido Centro Cívico.

Nenhum comentário: