Busca

terça-feira, 2 de junho de 2015

Relatório aponta mais de R$ 1,2 bilhão investidos pela Prefeitura de Curitiba em dois anos


O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, entregou nesta terça-feira (2) o Relatório de Gestão 2014 ao presidente da Câmara Municipal, Aílton Araújo. O documento, que contém todos os programas e medidas das secretarias e órgãos da administração municipal, realizadas no ano passado, destaca o investimento, em dois anos, de mais de R$ 1,2 bilhão em cerca de 180 obras públicas. São obras nas áreas de habitação, mobilidade urbana, pavimentação, saneamento e drenagem, construção e reforma de escolas, unidades de saúde e centros de esporte e lazer. Até o fim de 2015, o montante investido deverá ultrapassar a marca de R$ 1,5 bilhão. Uma versão digital do relatório será entregue a cada um dos vereadores nos próximos dias.
“O relatório de gestão não só cumpre uma formalidade legal da Prefeitura com a Câmara. Destaca-se também como registro histórico de nossas ações. Como ferramenta de informação, cidadania e transparência”, disse Fruet.
O secretário de Planejamento e Administração, Fábio Dória Scatolin, frisa a manutenção dos investimentos, mesmo no atual cenário de retração econômica em âmbito nacional. “Desde o início de 2013, a determinação do prefeito Gustavo Fruet tem sido pela responsabilidade com as contas públicas, com uma série de medidas de austeridade e um esforço para melhorar a receita, reduzir as despesas de custeio e na busca de recursos que garantam os investimentos necessários”, disse. "Ao manter os investimentos, a Prefeitura cumpre também a sua parte na retomada do crescimento econômico", completa.
Entre as obras estruturantes que foram entregues em 2014, pode-se destacar a primeira faixa exclusiva do transporte coletivo, na Avenida XV de Novembro, as requalificações das avenidas Comendador Franco (Avenida das Torres) e Marechal Floriano Peixoto; a reforma da Rodoferroviária, a conclusão da Linha Verde Sul e a implantação do Sistema Integrado de Monitoramento (SIM). Além disso, foram cortadas 30% de despesas de custeio, reduzidos os veículos oficiais, gerando economia de mais de R$ 240 milhões em dois anos.
Na educação, em 2014 foi iniciada a construção de dez Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) e foram aprovados projetos para construção de outros 14 junto ao governo federal. Na proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2016, já encaminhada para apreciação dos vereadores, Curitiba prevê, pela primeira vez na história, o investimento de 30% constitucionais na educação – índice 5 pontos porcentuais acima do mínimo previsto pela Constituição.
Além disso, a capital paranaense superou a meta estabelecida pelo Ministério da Educação para o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). O índice das escolas de Curitiba subiu para 5,9 – segunda posição entre as capitais – e cinco escolas da cidade foram classificadas entre as 15 melhores do país.
Na saúde pública, destaque para queda na mortalidade infantil, que já havia recuado em 2013 e caiu ainda mais no ano passado. Hoje, é a menor da história em Curitiba.
Participação
Outro avanço registrado em 2014 foi o aumento da participação cidadã e da prática deliberativa na Prefeitura. Nos encontros com a população para a elaboração da proposta da Lei Orçamentária Anual (LOA), por exemplo, foram encaminhadas 1.126 sugestões da população. No caso do Plano Diretor, o projeto de revisão foi antecedido de 522 eventos internos e externos entre palestras, workshops, oficinas e seminários, incluindo 19 audiências públicas. Esses encontros reuniram 6.305 pessoas para discutir a cidade. Além das participações presenciais, a população também ofereceu 1.640 propostas à Revisão do Plano Diretor por meio do hotsite criado para comunicar aos cidadãos todas as iniciativas do poder público em relação a este tema. Já o Concitiba teve 102 emendas incluídas no anteprojeto de lei.
Neste ano, o fortalecimento dos canais de participação da comunidade continuam, seja por meio das conferências regionais e distritais de Saúde, seja por meio das nove consultas públicas para elaboração da proposta da LDO, que tiveram a presença de 2,1 mil pessoas. Além disso, foram 7,9 mil sugestões feitas diretamente, pelo Portal da Prefeitura de ou pelas redes sociais (Facebook e Twitter) ou telefone 156.

Nenhum comentário: