Busca

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Andrea Murad fala sobre onda de violência em Coroatá e critica gestão de Segurança


A morte de um professor de matemática em Coroatá (MA), vítima de um assalto, foi o assunto na tribuna para a deputada Andrea Murad (PMDB). A parlamentar lamentou o assassinato e atribuiu a onda de violência na região a má gestão na segurança pública e perseguição do governo.

 “Um professor em Coroatá, Leonel Pereira, foi atingido com um tiro no peito à queima-roupa depois que reagiu um assalto. Coroatá hoje é terra sem lei. Ninguém tem medo de polícia, ninguém tem medo de nada. Simplesmente o governador do Estado já mudou o delegado três vezes do município. Acha isso extremamente normal, quer colocar Coroatá agora como se não existisse governo também para proteger, só a Prefeitura, por vingança política, porque é um governador perseguidor, é um governador cheio de ódio, é um governador que não enxerga seu povo, enxerga somente os seus. Os seus municípios, as suas lideranças, o seu pessoal. Não é o governador do povo, é governador dos dele. Ainda deixa um secretário incompetente no cargo, que no decorrer do ano já mostrou sua total incompetência, e não adianta depois ficar com choradeira em vídeo, se lamuriando, porque é um incompetente. Todos os dias são exclusões a agências bancárias, que ele acha muito natural”, discursou.

A precariedade na estrutura da segurança pública também foi motivo de críticas, a parlamentar explicou que as falhas no sistema estão ligadas também na falta de estrutura das polícias.

“É um verdadeiro absurdo delegacias de municípios como de Coroatá sem as mínimas condições de funcionamento. Falta combustível, falta efetivo, faltam armas, faltam munições, alimentação, falta tudo! Eu soube que para a manutenção da Delegacia de Coroatá é dado um valor de mil e quinhentos reais por mês para a delegacia funcionar em um prédio improvisado, que agora estão querendo até colocar em uma escola pública. É uma vergonha. Esse governo Flávio Dino é uma vergonha!”, disse Andrea.

Nenhum comentário: