Busca

sábado, 5 de março de 2016

A INVEJA DE ONTEM É O AMOR DE HOJE...



Crônica do entardecer

Por Hélcio Silva

(05/03/2016)


Uma feijoada gostosa... Havia tudo na feijoada!...Mistura que levou a massa pesada pra caçamba do estômago, que pedia uma pinga da boa...  Como não bebo, o desejo não passou da vontade...
Sento no banco e apoio os cotovelos na longa mesa. Abro a página do Marco... Espanto-me!...  Diabo! Os capetinhas fizeram as pazes!... Oxente! Viva!
Tenho testemunhas: eles não se uniam. Era um verdadeiro duelo de inveja. Toda briga envolvendo inveja é arrasadora, mesmo em guerra santa...
No caso onde quero chegar, o duelo era travado entre dois políticos de igrejas evangélicas diferentes, um da Batista outro da Assembleia de Deus. Briga entre evangélicos, em arena política, não ficam nem os versículos...
Os primeiros quebra-paus de luta, nesta surdina estrada da inveja,  começaram num histórico sobradão da praça João Lisboa, onde funcionava a Câmara Municipal de São Luís. Ambos foram vereadores da ARENA, partido que sustentava a ditadura militar... Ambos foram sarneystas, quando o Sarney tinha o poder!... Ambos batiam palmas e gritavam vivas para o regime militar... E hoje fazem parte do governo comunista!... É a vida... O poder apaga o ideal...
E eu grito de cá: Viva o oportunismo!!!
Foram deputados. Subiram muito bem a escada do poder, mas nunca haviam abdicado da arma da inveja de onde ambos disparavam, através o éter invisível do desejo, fragmentos energéticos de destruição, um contra o outro... Não havia alarde... Era tudo silencioso... E de paredes fechadas, um falava mal do outro... Quantos vereadores da época chegaram a testemunhar as falações de mal de um contra o outro? Bastaria que um estivesse ausente... Ufa!
Hoje, leio no Marco a união dos dois...
Rasgaram a inveja, em nome do amor político, pelo poder, pela posse..., um apoiando o filho do outro na disputa pela prefeitura de São Luís...
Ambos foram vereadores comigo... Não vou dizer os nomes... Eles são bons de briga!..., e sabem usar a arma invisível...

Nenhum comentário: