Busca

quinta-feira, 10 de março de 2016

Este ano quero paz no meu coração!

“Quando a crença na imortalidade do Espírito é legitima, ocorre uma profunda mudança no indivíduo, que se ilumina pelo conhecimento libertador.” (Joanna de Ângelis, “Liberta-te do Mal”)

Por Sérgio Aparecido Alvim

(Do Jornal O Clarim • Março 2016)

O Espírito carrega em sua essência incontáveis desejos, como o de crescer e tornar-se um “gigante” diante de todos os desafios que encontra em sua jornada evolutiva, de colocar-se acima da dor, do sofrimento, das angústias e de tudo que o torna falho, incapaz. Todos estes desejos estão, entretanto, acompanhados de instintos trazidos desde os primórdios e como se fossem correntes com elos grosseiros, prendem-no ainda fortemente à ignorância e à insensatez, dificultando ainda mais as conquistas que contribuem essencialmente para que ele, Espírito imortal, ascenda às estrelas mais cintilantes espalhadas pelo universo infinito, prontas para receber um Ser renovado, mais espiritualizado, sedento por novos aprendizados.
Os sábios do passado já nos ensinavam da batalha que existe dentro de cada um de nós, e graças à bondade, justiça e misericórdia de Deus, nessa batalha nós é que seremos os verdadeiros vencedores, porque em nossa essência, aos poucos, estamos aprendendo que o mais importante, o primordial, é vencermos a nós mesmos. O Pai da misericórdia nos deu a bênção da reencarnação, para sermos, juntos d’Ele, cocriadores de nós mesmos.
“O ser humano é construído para a ação contínua e o seu pensamento deve estar sempre ativo, cultivando ideias dignificantes, construtivas, que o envolvam em ondas de harmonia e saúde.” (Joanna de Ângelis, Liberta-te do Mal)
A paz que tanto almejamos hoje não será apenas para este ou para outro ano. Ela será para nós uma conquista perene, pois a cada ciclo que se fecha outro está por vir, assim é a caminhada espiritual individual, e o que é capaz de nos tornar felizes hoje, amanhã servirá apenas de alavanca para novas conquistas, novos aprendizados. Quando o Mestre da vinha nos prometeu o Seu Consolador, Ele, Jesus, o fez para que pudéssemos com Ele aprender, dentre outras coisas, que não começamos agora a nossa jornada e que temos ainda muitos caminhos a percorrer, com calma, buscando a transformação do conhecimento em sabedoria, e tudo em prol de nós mesmos.
“Transformar o conhecimento em sabedoria”. Para nós, esta máxima deveria representar um caminho seguro e certo para a conquista da paz tão almejada, aquela sentida pelo dever cumprido, após um trabalho de auxilio àqueles que detêm menos conhecimento, menos posses, menos oportunidades que nós, ao colocar-se à disposição daqueles que necessitam de nossas migalhas, que por menores que sejam, ainda têm algum valor para outros. A paz encontrada após uma prece, mesmo que singela, em prol do irmão que passa por alguma dificuldade, pela qual, muitas vezes, certamente já passamos. A grande dificuldade nos dias atuais, em um momento tão especial em que passa o planeta Terra passa, pode ser a indiferença que ainda teima em predominar sobre os indivíduos, quando muitas vezes se esquecem de que a solidariedade e a fraternidade podem ser também belíssimas oportunidades na conquista desse sentimento divino que denominamos paz.
“A crença na transcendência da vida impõe, sem dúvida, responsabilidade em todos os momentos da existência corporal.” (Joanna de Ângelis, Liberta-te do Mal)
Ouvimos do Mestre há mais de dois mil anos: “Vós sois a luz do mundo”, e dentre tantas outras belíssimas lições vivenciadas por Ele ainda entre nós, esta é a que vem nos ensinar e nos incentivar ainda mais a necessidade de fazer acender em nós a luz que existe em cada um, inserida pelo Pai no momento de nossa criação. Aprendemos que para esta luz brilhar ainda mais forte é mister que façamos aqui, e agora, a nossa parte, a nossa cota de participação na criação divina e, se tudo que já conquistamos ainda não representar para nós o que realmente precisamos para a harmonia interior, é porque ainda não encontramos aquilo que vai realmente nos fazer sentir o amor e a presença de Jesus em nós, então precisamos trabalhar um pouco mais para entendermos melhor o Evangelho do Cristo.
Inserido no contexto da transição planetária estão todos os acontecimentos que envolvem a Terra no ontem, no hoje e certamente no que irá acontecer amanhã, mas que tenhamos mais e melhores condições de contribuir para esta mudança indispensável e que busquemos através de todo tipo de conhecimento, que possa efetivamente colaborar na instauração da paz no mundo, pois ela é uma fatalidade para toda a humanidade e não tardará para que reine sobre este planeta e sobre toda a humanidade.
“O Espiritismo, demonstrando a continuidade da vida depois da disjunção molecular do corpo somático, contribui de maneira eficaz para a construção de uma sociedade mais razoável, mais lúcida quanto aos seus deveres, mais fratrenal.” (Joanna de Ângelis, Liberta-te do Mal)

Nenhum comentário: