Busca

quinta-feira, 21 de abril de 2016

COLUNA DO HÉLCIO

(21/04/2016)


A MATA VIRGEM


A mata é virgem, linda de um belo resplendor, exuberante, forte de beleza e amor... Passa Jurema por entre as matas, com sua flecha dourada, voando pelo ar... Assim é a filha de tupinambá!... Olho a palmeira e suas palmas dançando ao som de valsas do vento que passa... E lá, num galho seco, em meio da mata virgem, um rouxinol a cantar...
Quem não conhece o canto de um rouxinol, é só escutar...


FATOS DA HISTÓRIA


A história registra que Jerônimo de Albuquerque Maranhão foi governante do nosso Estado entre 9/01/1616 (logo após a expulsão dos franceses) a 2/2/1618)... Entrou para a história...

NOSSOS POETAS ESTÃO FORA DA POLÍTICA...


No Maranhão sempre houve grandes poetas, cronistas e historiadores. E são muitos ainda hoje! A literatura maranhense é rica de dados sobre o assunto. A intelectualidade participava ativamente da vida política do Estado. Porém, parece que os nossos poetas estão saindo deste vento. Na campanha do Sarney ao governo do Maranhão (em 1965) ocorreu a última participação ativa e organizada dos poetas apoiando e lutando por uma proposta de mudança...
Hoje - talvez por decepção – os poetas estão mais ausentes...  

E OS JOVENS???


As grandes lideranças políticas começavam a agitação ainda na idade da juventude, no Maranhão. No meu tempo jovem, a política era uma febre. Jovens se destacavam a partir dos bancos escolares. No Liceu havia uma efervescência. Passados pelos bancos liceístas - pelo que lembro – saíram três governadores: Sarney, Luiz Rocha e Zé Reinaldo... Acho que Newton Belo também foi liceista (não tenho certeza).
A Faculdade de Direito (na rua do Sol) era um caldeirão... Quem daquela época não recorda o MNA? Lembro de uma turma boa: Helena Heluy, Sai Luiz Chung, Mario Leonardo, José Maria Tupinambá Moscoso, José de Ribamar Goulart Heluy..., e tantos outros (todos esses citados eram da mesma turma e estudavam na mesma sala).

DOIS INTELECTUAIS NA HISTÓRIA DO SARNEY...


Fala-se muito – e é verdade – da influência do poeta Bandeira Tribuzi na trajetória política do Sarney – notadamente na campanha de 65. No entanto, um dos grandes conselheiros do Sarney foi – também – o jornalista José Pires de Saboia Filho, diretor/presidente dos Diários Associados no Maranhão.

SARNEY LEVOU O LÓIA...


Luiz Rocha foi meu colega de Liceu. Jovem - muito jovem – já empolgava pelo seu poder na fala: bom orador político... Fez oposição ao governador Newton Belo e isso agradou ao Sarney, que o via como grande orador capaz de agitar as massas... E o Luiz uniu-se ao José... e o José acabou fazendo de Luiz governador do Maranhão. E o Lóia - como era conhecido por alguns amigos – nunca rompeu com o José, mesmo que, nos últimos anos de sua vida, estivera aborrecido com o José.   

O OUTRO ZÉ...


O José Reinaldo nasceu na rua do Alecrim e estudou na Escola Modelo Benedito Leite, na mesma época em que lá também eu estudava. O Zé era convencido (como se dizia na época), metido a menino rico, mas nunca dispensou a merenda feita no panelão da Escola (Era sopa de verduras).
Pois bem!... O Zé destacou-se também no basquete. Ganhou destaque e acabou soldado do Sarney... Pelas mãos do Sarney, o Zé foi Ministro da República e Governador do Maranhão.
Em artigo (O Fim do Fim), publicada dia 31 de dezembro de 2006, no Jornal Estado do Maranhão, o ex-presidente diz que tudo que o Zé foi na vida publica deve a ele... O Sarney chaga a chamar o Zé Reinaldo de ingrato!

LAVAR O PALÁCIO COM SAL GROSSO


O artigo do Sarney (FIM DO FIM) é uma história de mágoa (sei lá: de quem tá p. da vida). No final do escrito, o Sarney recomenda ao novo governador (Jackson Lago), que assumiria no dia seguinte, que lave o palácio dos leões com sal grosso pra tirar as inhacas do Zé...Vejam como escreveu o Sarney:

“Afinal, se me dessem a oportunidade de uma sugestão eu diria: lavem com sal grosso o Palácio dos Leões para limpar a sujeira.
Vade retro.”

O ZÉ É DINO...


Hoje, o Zé é Dino e recebe orientação do Dino e do Visconde...  E quando precisa votar algo que pode contrariar o Rei ou o Visconde, o Zé pede desculpas...

E O DINO VIVE A TEMER...


...E pensando bem, o Dino vive a temer se o Michel for presidente... Te segura, visconde!...


ATÉ MAIS VER...


Bom dia meus amigos! Até mais ver... 

Nenhum comentário: