Busca

terça-feira, 5 de abril de 2016

TELESpenaCAEMA

Por Hélcio Silva


Não vou começar pelo início, o que me obrigaria iniciar por Ana Jansen. Também não falarei do SAELTPA... Vou jogando uma partida com a CAEMA: sua criação – um pequeno resumo!
A CAEMA – hoje Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão.
Nome bonito, né!
A companhia foi criada em 1966, no governo Sarney, com objetivo de gerir a política de saneamento básico do Estado do Maranhão. Esse objetivo - reconhecido no início como causa pública nobre – nunca foi alcançado, por culpa dos governos do tempo do Sarney até os dias dos Dinos de hoje.
No inicio parecia que tudo daria certo com o entusiasmo dos dois melhores presidentes que a Companhia já teve: Francisco Salles Baptista Ferreira e Arthur Ribeiro Bastos...  Mas não tiveram o apoio necessário do governo...
Depois de Chico e Arthur, a Caema foi quebrando as pernas...
Pelo que lembro chegaram muitos por indicação puramente política para assumir a presidente da Caema. Lembro-me de alguns: Itaquê Mendes Câmara, Aderson Lago e Ulisses Assad.
Acabou a era Sarney e de seus aliados e chega a era Dino, os tempos do governo da mudança... Nada mudou: tudo no mesmo estilo, do mesmo jeito!
E a CAEMA piorou ou, para não ser muito radical, continuou do mesmo jeitinho: polui mais do que o esperado e jamais alcançou aquele objetivo que seria gerir uma política de saneamento básico.
Falta de água virou grito de protesto... O abastecimento não é normal, deixando muita gente sem água.
E há casos em que a CAEMA manda as contas com valor nas alturas em reajuste de até 12 vezes mais do que era cobrado como preço justo... E, às vezes, seus dirigentes tentam justificar de que se trata de erro do sistema... Casos inclusive em que a medição do consumo é feita no olho ou no chute pela Companhia, em muitas casas, onde a cobrança é absurda porque a Companhia retirou e não recolocou medidor: O Hidrômetro que mede o consumo de água nos imóveis. A empresa cobra sem conhecer o consumo. Tenho como provar que isso acontece.
Isso vem ocorrendo no governo de Flávio Dino, quando a CAEMA tem como presidente - escolhido pelo governador – o jovem advogado Davi de Araujo Teles - o Teles.
Comigo isso já aconteceu quatro vezes na administração do Davi, embora eu esteja morando em Curitiba com minha casa em São Luís mais fechada e desabitada (sem alguém para consumir uma gota d’água) do que aberta com apenas uma pessoa residindo, nunca mais que uma pessoa consumindo água... A CAEMA precisa corrigir o seu sistema para evitar aborrecimento aos consumidores. O consumidor sempre paga o pato... Mas o povo precisa continuar lutando pelos seus direitos... Avante!... A luta continua!
TELESpenaCAEMA...

Nenhum comentário: