Busca

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Aécio cercado: mais um pedido de abertura de inquérito

Pois é!... Li agora nas páginas eletrônicas de veja.com... Entraram também no mesmo barco o Carlos Sampaio e o Eduardo Paes...


Janot pede novo inquérito ao STF para investigar Aécio, Paes e Sampaio

Veja.com


O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) um segundo pedido de abertura de inquérito contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que inclui também o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), e o deputado federal Carlos Sampaio (PSDB). Janot quer investigá-los com base no termo 18 da delação premiada do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS), em que o ex-líder do governo no Senado denuncia uma manobra para maquiar dados do Banco Rural apresentados à CPI dos Correios, em 2005.

Segundo Delcídio, que presidiu a CPI, o senador tucano, então governador de Minas Gerais, ficou "incomodado" com a quebra dos sigilos fiscal e bancário do Rural, envolvido no mensalão, e enviou emissários para convencer o ex-petista a aumentar o prazo para a entrega dos dados pelo banco. O responsável por negociar o adiamento teria sido Eduardo Paes, então deputado federal pelo PSDB e secretário-geral do partido, que acabou persuadindo Delcídio, de acordo com o relato do senador, ao argumentar que "não haveria tempo hábil para preparar essas respostas".

Delcídio afirma ter ouvido depois, de Paes e do próprio Aécio, que o tempo adicional foi usado pelo banco para maquiar os dados, excluindo os que comprometessem o então governador, seu vice, Clésio Andrade, a Assembleia Legislativa mineira e o operador do mensalão Marcos Valério. O senador disse ter compreendido "a existência da maquiagem pelo fato de que a gênese do mensalão teria ocorrido em Minas Gerais", mas "não tomou nenhuma providência ao saber que os dados estavam maquiados". Carlos Sampaio teria sido, além de Paes, outro deputado tucano a saber do suposto artifício.


Nenhum comentário: