Busca

terça-feira, 24 de maio de 2016

Além de Jucá, Sérgio Machado gravou Sarney e Renan, diz colunista

Delação está na mesa de Teori Zavascki aguardando homologação

Jornal do Brasil

O receio do PMDB com novas denúncias que podem aparecer nos próximos dias envolvendo a cúpula do partido tem justificativa, segundo a coluna de Lauro Jardim, do jornal O Globo. O ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, que aparece na conversa que provocou a saída de Romero Jucá do Ministério do Planejamento nesta segunda-feira (23), teria gravado conversas também com o presidente do Senado, Renan Calheiros, e com José Sarney.

As gravações teriam sido feitas separadamente, em conversas privadas de Machado com Renan e Sarney, separadamente. De acordo com o colunista, quem teve acesso aos áudios diz que o que foi revelado nesta segunda-feira (23) em relação a Jucá "não é nada" comparado ao que Renan e Sarney disseram.

As gravações foram feitas no âmbito da delação premiada que Sérgio Machado está negociando com a Procuradoria-Geral da República (PGR) desde março, quando a conversa com Jucá foi gravada. O acordo com a PGR foi selado na semana passada.

Ainda segundo a coluna, Sérgio Machado gravou apenas três políticos: Renan, que é o responsável por sua indicação para a presidência da Transpetro, José Sarney e Romero Jucá. No entanto, Machado comprometeu outros senadores do PMDB. São eles: Jader Barbalho e Edison Lobão.

A delação de Machado está na mesa do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), esperando homologação.

Nenhum comentário: