Busca

domingo, 1 de maio de 2016

PARÂMETROS PARA A VERDADEIRA PAZ

Djalma Santos


Nas Cartas do Apóstolo Paulo, um dos maiores seguidores de Jesus de todos os tempos, consta uma frase interessante a respeito da Paz, quando ele afirma categoricamente: “Busquem a Paz e sigam-na“. O Apóstolo dos Gentios usou dois verbos fortíssimos: o verbo buscar significa procurar com afinco, com fé, coragem e determinação; e o verbo seguir não significa caminhar e sim manter, porque encontrar a paz não é difícil, mas mantê-la é quase impossível.

Na realidade, todos os homens desejam a paz. Entretanto, a humanidade está confusa a respeito desse estado da alma, que apesar da opinião de muitos, ela não externa e sim interna, ou seja, uma conquista da mente imortal, que muitas vezes, cansada das dores, sofrimentos e aflições, parte para uma vida ética, sincera, leal e transparente, buscando alternativas no campo do bem, da solidariedade e compartilhamento, a fim de estabelecer a verdadeira paz.

A Paz surge no coração do homem quando decidimos nos desvencilharmos das amarras do ódio, do rancor, do ressentimento, da raiva, do orgulho, do egoísmo, do ciúme, da maldade e da perversidade, que são corrosivos da alma, que juntamente com o autoritarismo e a prepotência, contribuem para a degradação da pessoa humana, que, enquanto não aprender a viver em sociedade de uma maneira simples e humilde, dificilmente encontrará a Paz que tanto deseja.

É interessante observar que a Paz e a felicidade que almejamos não se encontram conosco, e sim com os nossos semelhantes, que em síntese correspondem à matéria-prima com a qual temos que trabalhar diuturnamente nessa evolução milenar na direção das estrelas. A convivência pacífica e harmoniosa com nossos irmãos de luta é certamente o ponto de partida para a nossa reforma íntima, sem a qual dificilmente conseguiremos a Paz.

As guerras tão frequentes no mundo de hoje representam o símbolo máximo de afronta à Paz, levando milhares de seres humanos a confrontos sangrentos, com milhares de refugiados e deserdados da sorte, que na maioria das vezes nem participam das refregas e, no entanto, sofrem as consequências desses conflitos que conturbam o mundo, e que só mesmo uma mudança de mentalidade humana pode resolver.

A falta de Paz decorre da ambição desmedida pelo poder, pelo dinheiro, que aliados ao orgulho e egoísmo, prepotência e autoritarismo, levam ditadores e déspotas a planejar e organizar esses movimentos sombrios e trevosos, que levam a miséria, a dor e infelicidade a milhares de pessoas, simplesmente para satisfazer o desejo e a ambição desses vírus humanos, que certamente encontrarão, em outras vidas, as reparações dolorosas necessárias ao resgate final.

Mesmo desejando a Paz, os homens estão confusos e disso orientados, e talvez não estejam preparados para os melhores dias de suas vidas, e exatamente por isso procuram o prazer a qualquer preço, mesmo que isso possa representar a perda da tranquilidade e da Paz, acrescendo o fato de que poucas pessoas pensam antes de agir, lançando-se muitas vezes de peito aberto em aventuras no campo da carne para se arrepender logo depois, quando certamente a Paz já foi para o espaço.

Um dos pontos importante para a obtenção da Paz é o convívio dentro da parentela familiar, que na realidade representa a fortaleza íntima de cada ser humano, e quando a pessoa consegue conviver bem com seus familiares, automaticamente irá conviver bem no ambiente de trabalho, com os vizinhos, na rua, nos supermercados, e em todos os lugares por onde passar, mas para isso é necessário um esforço no campo da religiosidade, realizando diuturnamente o “Culto no Lar”, protegendo a moradia contra as energias negativas, que muitas vezes surgem devido nossos pensamentos ainda desequilibrados e confusos.

E, finalmente, a Paz está dentro de cada um de nós, mas só a teremos quando nos conscientizarmos, que cada um de per si, necessita realizar um esforço no sentido de mudar hábitos, tendências e pendores, descartando os vícios, desejos e paixões, que nos acompanham há séculos, e que no fundo gostamos de conviver com esse lixo mental, que atassalha as nossas vidas, e que impedem que possamos alcançar patamares superiores da vida plena e estuante, e consequentemente, alcançar a Paz.

Djalma Santos é escritor e palestrante espírita

Nenhum comentário: