Busca

sábado, 4 de junho de 2016

Pegaram o Sarney, o Renan e o Jucá, além do Jader e do Lobão


Meus amigos, bom dia!

Como se diz lá na minha terra: pegaram o Sarney!

Sabem!... Hoje, antes de a madrugada fechar a noite, a CBN já informava, e eu acordado ouvia, que o Sérgio Machado pagou mais de R$ 70 milhões a Renan, Jucá e Sarney.

Gente!... Era dinheiro desviado da Transpetro...

E Machado disse que abasteceu também contas dos senadores Edison Lobão e Jáder Barbalho.

São acusações devastadoras...

Será a metralhadora ponto 100 chegando?

Será tudo isso verdade?... A gente até não quer acreditar, e fica pensando: “se verdade, onde vamos parar?”

E logo depois que abri de vez os meus olhos - tristes com esses episódios - e acordei, li a notícia na Agência Globo, que publico abaixo:

Machado diz que pagou mais de R$ 70 milhões a Renan, Jucá e Sarney

Agência O Globo

BRASÍLIA — O ex-senador Sérgio Machado disse, numa série de depoimentos após fechar acordo de delação premiada, que arrecadou e pagou mais de R$ 70 milhões desviados da Transpetro para o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o senador Romero Jucá (PMDB-RR), para o ex-presidente da República José Sarney (PMDB-AP), entre outros líderes do PMDB. Segundo Machado, a soma mais expressiva, R$ 30 milhões, foi destinada a Renan, o principal responsável pela indicação dele para a presidência da Transpetro, subsidiária da Petrobras e maior empresa de transporte de combustível do país.

Renan indicou Machado para a presidência da Transpetro em 2003, no início do primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e o manteve apoio para a permanência dele no cargo até ano passado, mesmo depois de ter sido acusado por Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, de receber propina. Sarney também recebeu uma soma significativa, conforme a contabilidade do ex-presidente da Transpetro. Machado disse que repassou aproximadamente R$ 20 milhões para o ex-senador durante o período que esteve à frente da estatal.

Romero Jucá, que ficou uma semana como ministro do Planejamento do governo do presidente interino Michel Temer, foi destinatário de quantia similar a de Sarney, cerca de R$ 20 milhões. Machado disse que abasteceu também contas dos senadores Edison Lobão (PMDB-MA) e Jáder Barbalho (PMDB-PR). As acusações de Machado são consideradas devastadoras. O ex-presidente da Transpetro falou sobre as somas repassadas aos padrinhos políticos dele e, como se não bastasse, indicou os contratos e os caminhos percorridos pelo dinheiro até chegar aos destinatários finais.

Nenhum comentário: