Busca

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Coluna “Quintal de Casa”


Por Hélcio Silva

11 de maio de 2017

Bom Dia - Paz na Terra! Não à violência!



Ele pensa que é Rei...

E ele pensa que é Rei e que está acima das leis da Terra, vendo-se além do bem e do mal. Por isso, imagina-se com o manto da impunidade... Não crê em condenação, mesmo sendo réu em cinco ações... Ao primeiro interrogatório, no entanto, sente-se abalado; porém, depois, vai à praça pública e se agiganta como herói... Um herói de papel, uma cartolina sem utilidade para o bem... que logo/logo perceberá, ao longo do tempo, nem sempre contado como nos números dos tempos daqui da Terra, e verá que seu poder foi efêmero e obrigar-se-á em cumprir a Lei Maior. O gigante cairá na realidade dos pecadores!...

No “Quintal de Casa”...

Há um tamborete ali, no canto do quintal. Sentar-me-ei lá... Abro meu livro de estudo e leio Rui em seu texto que sempre leio: “De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto.”

A chegada do rouxinol...

Meu rouxinol aparece no galho da goiabeira daqui do centro do quintal... Faz poesia em seu canto!... Parece canto de liberdade para um povo escravo das desigualdades..., numa sociedade em que os ricos são mais ricos e os pobres ficando mais pobres...

E novamente Rui...

Tocado pelo canto do rouxinol, volto a lembrar do Rui e trago de seu saber um belo pensamento sobre o assunto:  “A regra da igualdade não consiste senão em quinhoar desigualmente aos desiguais, na medida em que se desigualam. Nesta desigualdade social, proporcionada à desigualdade natural, é que se acha a verdadeira lei da igualdade... Tratar com desigualdade a iguais, ou a desiguais com igualdade, seria desigualdade flagrante, e não igualdade real.”

O que eu diria...

E daqui do “Quintal de Casa”, querendo entender um pouquinho do saber dos sábios, arrisco, por isso, a perguntar, para ver se entendo, onde estão as esquerdas que tanta lutaram em praças públicas, nas décadas de 60 e 70, pelos mais pobres - contra as desigualdades sociais?

O rouxinol responde...

E cá no quintal, quando ainda esperava a resposta, o rouxinol reapareceu com um canto triste informando que as esquerdas de hoje não são mais iguais às de ontem... Muitos esquerdistas aliaram-se aos coronéis e alguns navegam no barco da propina, como já estão a comprovar seus atestados de réus em processo em julgamento.

Muitos enriqueceram...

Muita gente enriqueceu na política da propina, principalmente nos governos de Dilma e Lula... Foi nesse período que quebraram a Petrobras...

O Brasil ficou mais pobre...

E o roubo empobreceu a Nação brasileira... E é por isso que faltam recursos para investimento na Educação, na Saúde, na Segurança... E o povo passando por grandes dificuldades...

E as empreiteiras decidiam as eleições...

E, principalmente, a partir de 1990 empresas poderosas decidiam as eleições com a força do dinheiro. Era um dinheiro roubado do povo, oriundo de uma promiscuidade criminosa, onde as obras públicas eram superfaturadas... Muitos corruptos foram eleitos assim.

Estamos sem saída...

Olhando para o quadro político brasileiro, o que estamos a olhar?... Ciro Gomes, Aécio, Marina, Serra, Alckmin (o Geraldão), João Doria, Bolsonaro, Lula?  É muito castigo para um povo que sofre...

Tô indo...

Meus amigos e amigas do Brasil... Hoje, neste dia 11, foi apenas um desabafo de quem amanheceu recolhido ao quintal em conversa como o amigo rouxinol... Por hoje é só!... Até mais ver!

Nenhum comentário: