Busca

sábado, 17 de março de 2018

Um poema de Raimunda Lucinda Martins

Não sou poema


Não sou poema
De rimas certas,
Nem corretas,
Sou um verso
Quebrado,
Que versa
Sobre flores,
Pássaros
E amores feitos,
A luz de velas
Que deixam nas
Sombras o rosto
Querido.
Sou um poema
Mal feito,
Correndo o risco
De terminar a
Sumir
Entre brumas
E sonhos esquecidos
Deixando atrás de si
Um rastro de perfume
De alguma flor
Chamada de amor perfeito
E aí eu me vejo
Num verso sem rimas
Declarando
Todo o meu amor

(10/03/2018)

Raimunda Lucinda Martins

Nenhum comentário: