Busca

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Que venham os novos investimentos


Kátia Cubel

Cerca de 97% dos dirigentes de 826 empresas brasileiras de grande porte acenaram com a disposição de fazer novos investimentos em 2019. O quadro reflete o otimismo do setor produtivo em relação ao próximo governo. Em se consolidando, vai dar continuidade às melhorias conjunturais e estruturais que todos esperam para o próximo ano.
O aceno em direção ao crescimento aparece como resultado de pesquisa realizada pela consultoria internacional Deloitte, junto à iniciativa privada, com cerca de 43% do PIB brasileiro, logo após o segundo turno das eleições de outuro. Foram ouvidas 826 empresas que, juntas, faturaram 2,8 trilhões de reais em 2017.
O levantamento foi apresentado em São Paulo, durante almoço que reuniu para premiação os “mais admirados jornalistas de economia, negócios e finanças” do país. Se, do púlpito, um representante da Deloitte externava confiança baseada em dados, atrelada às expectativas de quem gera riquezas, entre os convidados o clima era de dúvida e preocupação.

Remanescente do conflituoso processo eleitoral de outubro, a inquietação dos principais jornalistas e de dirigentes dos maiores veículos de comunicação brasileiros centrou-se na possibilidade de, no futuro governo, haver retrocessos democráticos. Cabe ressaltar que, em distintos idiomas da cultura ocidental, o significado de democracia se assemelha: é o regime político em que predomina a vontade da maioria população. O conceito não é vinculado à ideologia, se de direita ou esquerda.
A pesquisa apresentada pela Deloitte foi realizada na semana entre 30 de outubro e 05 de novembro. Ou seja, o diagnóstico resultante está diretamente vinculado a expectativas em relação ao governo do então já presidente eleito, Jair Bolsonaro. Entre os pesquisados, instituições financeiras, infraestrutura e construção, TI e telecomunicações, bens de consumo e serviços.

A reforma tributária é a mais desejada pelos empresários, seguida da reestruturação da previdência e da reforma política. Estímulo à geração de empregos, controle da inflação e ampliação do comércio exterior são os principais anseios no contexto econômico. No quesito gestão pública – tema tão caro e ainda tão pouco debatido em profundidade no Brasil – o combate à corrupção é o principal desejo.
Sob a ótica das corporações (um importante termômetro do sentimento e do direcionamento da sociedade), seguiremos tratando os sintomas de uma doença grave intitulada má gestão no setor público, em vez de centrarmos fogo na causa. No segundo e terceiro lugar, vêm o ajuste fiscal das contas públicas e a realização de novas privatizações.

O binômio crédito + incentivos segue a ordem de reivindicações: dinheiro barato e acessível para custear investimentos, desburocratização na abertura e fechamento de novas empresas, políticas de estímulo à transformação digital, pesquisa e inovação, redução de impostos, políticas de incentivos tributários e melhoria na construção das parcerias publico-privadas, de acordo com os anseios dos empresariado.
Entre os avanços sociais, o recado para o novo governo foi claro: é necessário investir para valer em educação, retomando o casamento da quantidade com a qualidade do ensino. A defasagem brasileira nesse setor afeta diretamente a produtividade em todos os nichos da economia. De acordo com dados do Sistema Sesi-Senai, são necessário quatro brasileiros num chão de fábrica para atingir o mesmo resultado de um único profissional na indústria norte-americana. Segurança, melhorias na saúde, saneamento básico, ciência e tecnologia despontam na sequência de prioridades.

Num Brasil onde o Executivo não faz milagres, e atua em interdependência com os Poderes Legislativo e Judiciário, há uma boa notícia no panorama econômico, que já pode indicar uma nova visão do empresariado, uma mudança de mentalidade. Cerca de 44% das organizações que irão captar recursos para ampliar negócios em 2019 o farão junto aos próprios donos, acionistas e grupos controladores. Menos de ¼ desse universo declara contar com o BNDES e/ou outras fontes de financiamento público para expandir no próximo ano. Que venham os novos investimentos.

Sem aquele inesperado


Edson Vidigal


Daqui a pouco menos de quatro horas, o irreversível.

Sem adiamentos ou eventuais atrasos, imaginar que o inesperado traga uma surpresa e então o avião da Lufthansa não decole, nem pensar.

É confiar o invisível da bagagem a um baú da memória e ir se plugando nas realidades novas e nas antigas que se misturam e se enfileiram enquanto outras muitas, mas muitas mesmo, são atiradas aos lodos do esquecimento pelos filtros da história.

O olhar da mente transborda lucidez quando sem saudade alguma, na calmaria da distância, um sentimento, misto, talvez, de afeição e de responsabilidade, se transmuda em lucubração sobre o alcance das maledicências, incertezas e bobagens insistentes com quais os mais espertos se aproveitam generalizando a mediocridade e atazanando o País.

Sei que aqui, na Alemanha onde estou por estas poucas horas, houve um tempo em que a insensatez delirante anuviando realidades e por incrível obnubilação levou a maioria das pessoas a excitações coletivas até que enfraquecida, a memória perdeu a razão.

Coletivo sem pensar aquiesce sempre que um só pense, ou nem pense, mas decida tudo sozinho. A história repete sempre a mesma lição de que nada acontece de repente. Tudo resulta de longa maturação.

O Czar Alexandre II acabou com o regime de servidão que mantinha sob os grilhões do trabalho escravo mais de 22,5 milhões de camponeses, mas isso não acalmou as novas gerações animadas pelos eflúvios crescentes das ideias libertárias que já se espraiavam da França pela Europa inteira.

A devastação da 1ª Grande Guerra Mundial, cujo fim há exatos 100 anos, impôs humilhações terríveis à Alemanha derrotada, sem meios de produção, economia no chão, instituições políticas no fracasso, a população sob o desespero do desemprego, da inflação galopante e da fome, isso tudo serviu de adubo para florescerem a violência das intolerâncias ideológicas e racistas e da radicalização entre comunistas e nazistas.

A poucos metros à minha frente, nesta quase avenida, num dos maiores e mais movimentados aeroportos do mundo, este de Frankfurt, um monumento a Ghoete atrai atenções. Advogado, filosofo, estadista alemão do Sacro-Império Romano-Germânico. Importantíssimo na literatura alemã e no romantismo europeu.

Adiante desponta algo como que um grito parado no ar, a logomarca da Bayer conhecida no mundo todo. Poucos sabem que se trata de uma das maiores financiadoras das campanhas políticas de Hitler estando entre as dez que mais cresceram e lucraram sob o regime nazista.

A Alemanha destruída pela fúria nazista levando o mundo à 2ª Grande Guerra ressuscitou das cinzas e quanto ao mais, dispensável dizer que é hoje um grande exemplo de democracia e prosperidade para a raça humana no planeta terra.

Edson Vidigal, Advogado, foi Presidente do Superior Tribunal de Justiça e Presidente do Superior Tribunal de Justiça. Fez escala em Frankfurt, Alemanha, na viagem de volta de Moscou para o Brasil.

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

LRF proíbe o aumento bilionário no Judiciário e recomenda veto de Temer

Presidente tem motivos de sobra para vetar aumento de 16%

Do Diário do Poder


Com base no Artigo 21 da Lei de Responsabilidade Fiscal, o presidente Michel Temer pode vetar o aumento de 16% autoconcedido a ministros do Supremo Tribunal Federal e aprovado pelo Senado. A LRF prevê ser “nulo de pleno direito” ato que eleve gastos com pessoal e tenha sido expedido nos 180 dias anteriores ao final do mandato. Para valer em 2019, o aumento deveria ter sido aprovado até 5 de julho de 2018. O problema é que eles, os beneficiados, são os que julgam a questão. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Os últimos aumentos dos ministros do STF, em 2012 e 2014, para serem válidos, tiveram de obedecer às determinações da LRF.

Adivinha quem vai julgar a ação do Movimento Brasil Livre pedindo a suspensão do aumento com base na LRF? Isso mesmo, o STF.
Para Mario Neto, jurista do instituto Fiducia, além da LRF há violação de “entendimento do STF do princípio da moralidade administrativa”.

O deputado Chico Alencar (Psol-RJ) alega que o Senado mudou o texto e o projeto deveria voltar à Câmara e não ir à sanção de Temer.

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Embaixador Ernesto Araújo será ministro das Relações Exteriores de Bolsonaro

Informação da Folha

BRASÍLIA - O presidente eleito, Jair Bolsonaro, confirmou que o embaixador Ernesto Araújo será seu ministro das Relações Exteriores.

“A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje. Informo a todos a indicação do Embaixador Ernesto Araújo, diplomata há 29 anos e um brilhante intelectual, ao cargo de Ministro das Relações Exteriores”, escreveu Bolsonaro em uma rede social.

Renan quer ser presidente do Senado

Por Hélcio Silva


Nos quintais de Alagoas todos sabem quem é Renan. O Brasil também conhece o Renan, como também são conhecidos o Sarney, o Jader e mais uns dois ou três com fortes lideranças na politica nacional.

O Sarney não é mais senador; porém, é como se ainda fosse: tem poder e fama.

O Renan está articulando ser novamente presidente do Senado.
.
Li agora, na coluna do Cláudio Humberto, que “o futuro governo (de Jair Bolsonaro)  se articula contra eventual candidatura à presidência do Senado de Renan Calheiros (MDB-AL), um aliado do PT e do presidiário Lula. Flávio Bolsonaro (PSL), o mais votado senador do Rio de Janeiro, filho do presidente eleito disse ontem que o futuro presidente da Casa “precisa ter ficha limpa”, o que não é o caso do alagoano, que “ainda responde a muitas acusações em aberto”. Ele se referia a ao menos 13 investigações em curso contra aliado de petistas.”

Agora é aguardar!

Duas perguntas ao amanhecer


O FEPA e o VLT...

Hélcio Silva

Minha crônica da manhã

(14 / 11 / 2018)

Seu Joaquim gostava de tomar o café da manhã com a família reunida, dois filhos e a 
esposa: assim era sempre, também no almoço e na janta.

Nesta manhã de hoje – 14 / 11 – véspera das comemorações pela proclamação da República, tudo parecia alegria!

Logo sentaram-se seu Joaquim e sua esposa; com alguns minutos depois chegaram os “piquininos” (como eram chamados) Zequinha e Joaquinzinho: dois encrenqueiros de 7 e 9 anos, respectivamente. 

Zequinha foi logo perguntando:

- Pai, onde botaram o dinheiro da FEPA?

- Zequinha, o que é Fepa?

- Pai, FEPA é Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria...

- Menino, cala tua boca. Eu não quero saber...

Fez-se um pouco de silêncio na mesa do café, até que o outro encrenqueiro – o Joaquinzinho – abriu o verbo e perguntou...

- Pai, então, me diga onde está o VLT?

- Joaquinzinho, o que é VLT?

- Pai, VLT é um ônibus que o Dr. Castelo comprou para a cidade..., e o bichinho sumiu: tá com 6 anos sumido...

- Parem com isso. Eu não sei de nada. Vamos tomar o café...

- Mas pai!... o VLT era tão bonito!... Veja a foto...


Sr. Prefeito, onde está o VLT?

Lula depõe hoje em ação sobre sítio de Atibaia

Notícias Ao Minuto

Lideranças do PT e movimentos sociais vão acompanhar o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, marcado para às 14h desta quarta-feira (14), no prédio da Justiça Federal em Curitiba (PR). Será a primeira vez que o petista deixará a sede da Superintendência da Polícia Federal desde que foi preso, em 7 de abril último.

Lula irá depor à juíza substituta da Lava Jato, Gabriela Hardt, sobre o processo do sítio de Atibaia, em que é acusado de ter recebido propina de R$ 1,02 milhão, parte desse valor supostamente repassado pela Odebrecht e OAS por meio de obras de reforma e melhorias na propriedade rural.

Desta vez, o ex-presidente não ficará cara a cara com o juiz Sérgio Moro, responsável por sua condenação em primeira instância, já que o magistrado aceitou o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro e comandará o Ministério da Justiça. Moro deve pedir exoneração do cargo nos próximos dias, mas já está afastado das atividades.

Lula cumpre pena de 12 anos e um mês, em regime fechado, após ser condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex no Guarujá (SP).

O site do PT informou que o Comitê Nacional Lula Livre - formado também pelas frentes Brasil Popular, Povo sem Medo e outros movimentos - vai "acompanhar Lula em mais esse episódio de perseguição contra o ex-presidente e seu legado".

A presidenta do partido, senadora Gleisi Hoffmann, o líder da bancada petista na Câmara, Paulo Pimenta, também estarão em Curitiba.

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Encontrei a Martha

Hélcio Silva

(13 / 11 / 2018)

Eu sou Hélcio, nascido na Ilha, aos pés das águas... 

Vibrante, nascer aos pés das águas!

Verdadeiramente vibrante!

E eu nasci aos pés das águas... Vivo entre as ondas; e faço das ondas o meu viver...

Noites por noites, e entre as noites, encontro Iemanjá...

Hoje, voei além do hoje!

Ah!

Viajei além do hoje: queria uma poesia!...

Encontrei uma crônica! Uma bela crônica da Martha; e quem gosta de crônicas, conhece a Martha!...

Livros e crônicas da Martha!

São texto encantadores!

E adorei a crônica da Martha..., que hoje encontrei!!!

Vamos ler!...

Vamos!

Crônica de um amor anunciado

Martha Medeiros


Toda pessoa apaixonada é um publicitário em potencial. Não anuncia cigarros, hidratantes ou máquinas de lavar, mas anuncia seu amor, como se vivê-lo em segredo diminuísse sua intensidade.

O hábito começa na escola. O caderno abarrotado de regras gramaticais, fórmulas matemáticas e lições de geografia, e lá, na última página, centenas de corações desenhados com caneta vermelha. Parece aula de ciências, mas é introdução à publicidade. Em breve se estará desenhando corações em árvores, escrevendo atrás da porta do banheiro e grafitando a parede do corredor: Suzana ama João.

A partir de uma certa idade, a veia publicitária vai tornando-se mais discreta. Já não anunciamos nossa paixão em muros e bancos de jardim. Dispensa-se a mídia de massa e parte-se para o telemarketing. Contamos por telefone mesmo, para um público selecionado, as últimas notícias da nossa vida afetiva. Mas alguns não resistem em seguir propagando com alarde o seu amor. Colocam anúncios de verdade no jornal, geralmente nos classificados: Kika, te amo. Beto, volta pra mim. Everaldo, não me deixe por essa loira de farmácia. Joana, foi bom pra você também?

O grau máximo de profissionalismo é atingido quando o apaixonado manda colocar sua mensagem num outdoor em frente a casa da pessoa amada. O recado é para ela, mas a cidade inteira fica sabendo que alguém está tentando recuperar seu amor. Em grau menor de assiduidade, há casos em que apaixonados mandam despejar de um helicóptero pétalas de rosas no endereço do namorado, ou gastam uma fortuna para que a fumaça de um avião desenhe as iniciais do casal no céu. A criatividade dos amantes é infinita.

O amor é uma coisa íntima, mas todos nós temos a necessidade de torná-lo público. É a nossa vitória contra a solidão. Assim como as torcidas de futebol comemoram seus títulos com buzinaços, foguetório e cantorias, queremos também alardear nossa conquista pessoal, dividir a alegria de ter alguém que faz nosso coração bater mais forte. É por isso que, mesmo não sendo adepta do estardalhaço, me consterno por aqueles que amam escondido, amam em silêncio, amam clandestinamente. Mesmo que funcione como fetiche, priva o prazer de ter um amor compartilhado.

Martha Medeiros é escritora

Senador Kajuru quer abrir 'caixa preta' da CBF



O radialista Jorge Kajuru, de 58 anos de idade, eleito senador por Goiás com cerca de 1,5 milhão de votos, quer usar o seu mandato e a sua força para mudar as coisas na CBF.

Crítico dos cartolas da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e do COB (Comitê Olímpico do Brasil), ele é um dos articuladores de movimento que pretende mudar a estrutura das entidades esportivas nacionais, segundo ele, “um segmento corrompido e intocável até agora”.

A Provável fuga de Joesley Batista



Como minha prática é iniciar o dia lendo o que devo e o que não devo, hoje não foi diferente: Vejo e leio na coluna do jornalista Cláudio Humberto a notícia de uma provável fuga de Joesley Batista:

TEMOR É QUE JOESLEY BATISTA FUJA DE BOLSONARO E MORO

A proximidade da posse do presidente Jair Bolsonaro e do seu ministro da Justiça, Sérgio Moro, levou setores de inteligência a recomendar o monitoramento de Joesley Batista, sobretudo após a decisão judicial desta segunda (12), que relaxou sua prisão. O temor é que o dono do grupo J&F/JBS use do seu poder e fuja para um país sem acordo de extradição com o Brasil, e fique fora do alcance da Justiça brasileira.

O Augusto tá querendo ver a “caixa preta” do BNDES


O jornalista Augusto Nunes, em sua conta no twitter, fala da caixa preta do BNDES...

Se escancarada, vamos ver a caixa preta das maracutaias... 

Veja o que o Augusto escreveu:

"A abertura da caixa preta do BNDES vai identificar os quadrilheiros que enriqueceram com empréstimos bilionários que bancaram maracutaias como o metrô de Caracas, o Itaquerão e o Porto de Mariel, fora o resto."

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Os filhos do capitão


Marli Gonçalves


Os três filhos do Capitão. Eles não são três; são quatro os meninos. Mas o quarto, Jair Renan, ainda não preocupa e não aparece muito – é imberbe, 20 anos, e de qualquer forma vamos vê-los crescer, ele e a sua irmã mais novinha, às nossas vistas, nos próximos quatro anos. Os três que estão na política já dão trabalho e o que falar. Flávio, Carlos e Eduardo me fazem lembrar de certas reinações, as dos Sobrinhos do Capitão, uma HQ histórica do século passado. Lembra?

Os dois molequinhos (na história dos Sobrinhos, sim, eram dois, Hans e Fritz, gêmeos), levadíssimos, infernizavam a vida do Capitão, que não era propriamente tio, era aquela coisa de tio, tia, que a gente chama qualquer um mais velho que nós. Atazanavam na verdade tudo e todos os que estavam à sua volta, e apanhavam, apanhavam muito. Pouco adiantava.

Aqui no nosso caso real que também certamente vai render história, os três irmãos parecem combinar entre si é mais como aterrorizar a vida da outra banda, a que não votou no pai deles, não necessariamente por ser petista, ressalte-se, por favor. Foram quase 2/3 da população, 61,8% dos aptos a votar que, ou sumiram, ou anularam, branquearam ou estrelaram seus votos. É muita gente.

Flávio, 37 anos, Eduardo, 34 anos, e Carlos, 35 anos, são filhos de Rogéria, a primeira ex-mulher do presidente eleito. Pensam o que? Michelle, a nossa jovem futura primeira dama, é a terceira esposa do Capitão. Olha só – também poderia haver outra série: “As esposas do Capitão”.

Voltando aos três que não são mosqueteiros, mas estão se saindo excelentes marqueteiros, inclusive de si próprios, veja que Flávio e Eduardo tiveram votação recorde, respectivamente para senador pelo Rio de Janeiro e deputado federal por São Paulo. Carlos já é vereador no Rio de Janeiro. Assim ocupam todas as Casas com a mais nova marca da política nacional. Um carimbo. Radicais e empinados.

E opinam sobre tudo. Quando não vêm com suas opiniões fresquinhas que disparam principalmente pelo Twitter, a rede onde acharam seus reinados de poucos caracteres, toda hora aparecem vídeos de suas opiniões e feitos que deve ter gente cavoucando até a marca e a cor das cuecas deles todos.

Já pitacaram sobre fechar o Congresso, aquecimento global, Direitos Humanos, Educação, áreas sobre as quais destilam desinformação e preconceitos, assim como sobre a História recente do Brasil que devem ter aprendido em livros com páginas arrancadas, só pode ser.

Adoram arrumar uma briga. Suas falas e aparições estão criando é ainda mais muitos outros problemas para o pai, que até parece estar tentando montar um governo razoável enquanto lida com uma equipe boquirrota, começando a já gostar de ser fonte “confiável” dos jornalistas cativados que ganham declarações logo desmentidas. É rápido, gente: os caras estão gostando do poder, de Brasília, dos segredos dos caminhos e corredores, de soltar balões de ensaio com nomes que se valorizam imediatamente após aparecerem em lista de indicados. Notícias chegarão sopradas pelos ventos.

Os garotos de Bolsonaro, não. Esses não são novatos. Já vivem isso tudo praticamente desde que nasceram, já que o pai tem quase 30 vividos na política. Só houve uma mudança importante, do baixo clero ao mais alto cargo da República.

Isso sobe pra cabeça. Tomara que o pai deles cuide disso também. Nem precisa dar palmadas; só puxão de orelhas. Para não virarem Os Três Patetas.

Marli Gonçalves, jornalista – Não vai faltar assunto ao meu programinha #adehoje, #adodia. Ah, sabia que o cartunista Angeli criou a tira “Os Skrotinhos” para homenagear “Os sobrinhos do Capitão”? Quem se habilita a desenhar “Os filhos do presidente”?

Mesmo com Lava Jato, corrupção ainda drena recursos de pequenas cidades

EL PAÍS



Para receber um acréscimo salarial que pode chegar a 50% de seu rendimento, um grupo de 18 professores da rede municipal apresentou diplomas de conclusão de pós-graduação falsos na cidade de Niquelândia, no interior de Goiás. Já em Santa Isabel, na região metropolitana de São Paulo, 25 servidores e ex-funcionários municipais foram presos recentemente sob a suspeita de integrarem uma quadrilha que desviava recursos da saúde pública. À primeira vista, não há relação entre os casos.

Mas, quando se analisa o momento histórico pelo qual passa o país, nota-se que, nem mesmo a grandiosidade da operação Lava Jato —que já dura quase cinco anos e nesta sexta-feira prendeu o vice-governador de Minas Gerais, Antonio Andrade, e o empresário Joesley Batista, da JBS, novamente—, evitou que a corrupção continuasse a acontecer, especialmente a de pequena escala. Ao contrário, passou a ser melhor engendrada e acabou contaminando até mesmo os profissionais que, ao menos teoricamente, não teriam nenhum interesse em se envolver com qualquer tipo de crime ou que deveriam ensinar crianças e adolescentes a serem cidadãos honestos.

São Paulo demite técnico Diego Aguirre

ESPN



O São Paulo demitiu neste domingo o técnico Diego Aguirre.

O uruguaio deixa o cargo tendo feito 43 partidas pela equipe tricolor, com 19 vitórias, 15 empates e 9 derrotas - 55,8% de aproveitamento.

Seu último jogo acabou sendo o empate por 1 a 1 com o Corinthians, no último sábado.

Agora, o auxiliar André Jardine assume o time nas cinco rodadas restantes do Campeonato Brasileiro.

Confira a nota oficial do São Paulo:

O São Paulo Futebol Clube informa que Diego Aguirre deixou, neste domingo (11), o comando técnico da equipe principal. A decisão pela saída neste momento foi tomada em conjunto, em reunião nesta tarde, a partir da definição entre as partes de que o contrato do treinador não seria renovado ao término da temporada.

O clube agradece ao técnico Diego Aguirre, aos auxiliares Juan Verzeri e Raul Enrique Carreras e ao preparador físico Fernando Piñatares pelos serviços prestados, com dedicação e profissionalismo desde o início dos trabalhos em março deste ano, os quais foram fundamentais para que os objetivos projetados até aqui fossem cumpridos.

Membro da comissão técnica fixa do São Paulo, André Jardine assume o time nas cinco rodadas restantes do Campeonato Brasileiro. Ele já comanda o treino desta segunda-feira (12), quando a diretoria se pronunciará no CT da Barra Funda, e o elenco iniciará os preparativos para a reta final da competição.

domingo, 11 de novembro de 2018

Meu amanhecer com o Velho Joaquim

Bolsonaro, Mengão e Temer!

Hélcio Silva

(11 / 11 / 2018)

Joaquim não fala. Nada fala. Silêncio profundo e agudo.

Se alguém perguntar ao Joaquim o “porquê” desse silêncio agudo”, ele não irá responder. 

Não percebe que o estão indagando e nem ouve, simplesmente, porque seus ouvidos ficam fechados pelo véu do silêncio.

Coisa estranha, mas acontece.

Joaquim, nesse alterado estado de percepção, não ouve, não fala: só medita – se é verdade que podemos chamar isso de meditação!

Seu Joaquim é um homem velho. Diz não ter certidão de idade, aparenta de 90 a 100 anos.

O estado de concentração de seu Joaquim não é permanente, nem coisa de muitos dias. 

Acontece de repente sem que ele esteja esperando: demora horas, e depois passa.

Hoje, neste domingo encontrei seu Joaquim sentado em frente à sua mesa com um velho computador à sua disposição para leitura e pesquisa..

Seu Joaquim falava sozinho e dizia: Gente! Olhem aqui – “O presidente Jair Bolsonaro afirmou que, se fosse Temer, vetaria o reajuste de 16% sobre o salário dos magistrados e da Procuradoria-Geral da República com base na Lei de Responsabilidade Fiscal”.

O velho Joaquim faz uma pausa e rola com outra informação que destaca na tela do computador, aos gritos:

“Meu Deus! O Botafogo torrou o Mengão na brasa... Fogão assou o “menguinho” da Gávea. E ainda tem meguinho coçando as feridas do queimado!”

Um bom domingo meus amigos e minhas amigas”’

Até mais ver!