Agências Nacionais e Internacionais

Loading...

Municípios do Maranhão

Loading...

Busca

Carregando...

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

PSDB entra com representação para investigar pagamento de 1 bilhão de reais a mais por gás boliviano

Após a divulgação de que a Petrobras pagou cerca de R$ 1 bilhão a mais pelo gás fornecido ao Brasil pela Bolívia, o Líder do PSDB na Câmara, Antônio Imbassahy (BA), anunciou que vai entrar com representação junto ao Ministério Público solicitando a investigação dos possíveis crimes contra a Administração Pública, improbidade e violação dos direitos dos sócios minoritários da estatal, além de requerimento de informações para saber do Ministério de Minas e Energia como se deu o acordo e quem o autorizou.
Como o procurador do MPF junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) já solicitou a realização de uma auditoria para investigação do caso, o pedido do Líder tucano à Procuradoria da República visa proteger os sócios minoritários, pois a dilapidação do patrimônio da Petrobrás repercute também no patrimônio deles – já seriamente afetados quando da expropriação de instalações da Petrobrás na Bolívia pelo mesmo Evo Morales, em um prejuízo estimado em mais de US$ 250 milhões.
“Esse tipo de procedimento causa repulsa ao cidadão brasileiro, já indignado porque o Governo do PT nada fez quando a Petrobras perdeu seus investimentos na Bolívia. E agora não existe justificativa no mundo que explique o pagamento de gás já entregue pela Bolívia ao Brasil. Na melhor das opções, esse reajuste só poderia valer para o futuro, e ainda assim não foi apresentado nenhum estudo técnico que fundamente o acordo – o que esperamos que seja feito pelo Ministério quando receber nosso requerimento de informações”, disse Imbassahy.

Médicos e outros profissionais da Saúde fizeram caminhada em BH de apoio a Aécio




No "Dia do Médico", ocorrido dia 18 (sábado), cerca de 700 profissionais da saúde fizeram uma caminhada  em Belo Horizonte em apoio ao presidenciável Aécio Neves (PSDB).
O ato começou em frente à Associação Médica de Minas Gerais, no centro da capital, e foi finalizada na praça Sete, onde médicos, fisioterapeutas e enfermeiros soltaram balões coloridos.

Na ‘Caminhada Cidadã da Saúde’, os profissionais cobraram melhores condições de saúde para a população, valorização das carreiras, além de denunciarem, segundo eles, a falta de investimentos do governo federal no setor e a ausência de carreira e estrutura de trabalho para os profissionais, o que prejudicaria o atendimento.

O dabate na record




Dilma e Aécio abandonaram os ataques pessoais e travaram um duelo de ideias, mas a Petrobras foi o centro das discussões, com o tucano fazendo cobranças e a petista na defensiva durante o debate. Essa é a ideia central dos principais órgãos da imprensa nacional sobre o duelo de ontem na Tv-Record.      

domingo, 19 de outubro de 2014

Papa diz que não é preciso 'temer a novidade'

Agência ANSA

Cerca de 70 mil pessoas participaram neste domingo (19) da missa celebrada na Praça de São Pedro, no Vaticano, pelo Papa Francisco que marcou o encerramento do Sínodo de Bispos Extraordinário para a família e a beatificação de Paulo VI.  
"Não é preciso ter medo da novidade e das surpresas de Deus", disse o Papa durante a homília que encerrou o encontro. "Deus não tem medo das coisas novas. Por isso ele nos surpreende constantemente, abrindo os nossos corações e nos guiando por caminhos inesperados", acrescentou.  
Neste domingo foi encerrado oficialmente o Sínodo Extraordinário sobre a Família que reuniu no Vaticano 253 bispos e membros da Igreja Católica. Entre os temas mais polêmicos da reunião esteve uma maior aceitação dos gays dentro da religião e a questão da comunhão de divorciados que casaram novamente.     
Não houve, no entanto, consenso dentro da assembleia sobre os dois temas, que dividiram os cardeais, sendo deixados de lado no texto final do encontro, aprovado neste sábado, dia 18.  
O documento disse que "os homens e as mulheres com tendências homossexuais devem ser acolhidos com respeito e delicadeza". O Relatio Synodi, no entanto, apontou que "não existe fundamento algum para assimilar ou estabelecer analogias, ainda que remotas, entre as uniões homossexuais e o plano de Deus sobre o matrimônio e a família".    
O tema da comunhão para os divorciados que voltaram a casar, por sua vez, "deve ser aprofundado, tendo em conta a distinção entre a situação objetiva de pecado e as circunstâncias atenuantes", destacou o documento final. 

A coisa não vai mudar

Leio, abro bem os olhos para ler de novo, e vejo que a coisa não vai mudar facilmente. As práticas políticas vão ser as mesmas, em qualquer lugar no pais: a luta por cargos entre aliados que ajudaram na eleição do vencedor vai ser acirrada...
É a falta de compromisso com o povo...
Leio hoje, no jornal do Sarney, lá na coluna Estado Maior, esta notícia:

"Os ainda deputados federais Simplício Araújo e Domingos Dutra são os mais ansiosos para saber o que ganharão no futuro governo."

Eles perderam eleição...

Isso só vai mudar no Brasil quando houver uma verdadeira e objetiva reforma política... O Brasil precisa de uma reforma política... Se não houver uma reforma política, nada vai mudar...

Com campanha eleitoral acirrada, debate da TV Record deve ser decisivo para eleitor definir voto

Do Portal R7




Depois que os ânimos de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) se acirraram na última semana, com trocas de acusações que envolveram até os irmãos dos candidatos e a divulgação das pesquisas eleitorais Ibope e Datafolha, que mostram um empate técnico entre os dois, o debate à Presidência da República da TV Record deverá ser decisivo para a escolha do eleitor.

O embate acontece neste domingo (19) a partir das 22h e terá a apresentação dos âncoras do Jornal da Record, Adriana Araújo e Celso Freitas. A partir das 20:30h, a R7 TV transmite um programa exclusivo com a preparação e os bastidores do encontro. 

Confronto direto

O debate terá quatro blocos e, portanto, três intervalos comerciais. No primeiro bloco, haverá oito rodadas de confronto direto entre os candidatos. O formato será de pergunta de livre escolha, resposta, réplica e tréplica.

O segundo bloco exibirá quatro rodadas de confronto direto. O formato será de pergunta de livre escolha, resposta, réplica e tréplica.

O terceiro bloco terá mais duas rodadas de confronto direto e no último os candidatos farão as considerações finais.

A ordem do início do confronto direto foi definida por sorteio com a participação dos assessores do PT e PSDB.  Dilma Rousseff inicia o primeiro, o terceiro bloco e as considerações finais.

Aécio Neves abre o segundo bloco e encerra as considerações finais.

O debate deverá ser encerrado aproximadamente à meia-noite.


O Paraná só tem a ganhar com vitória do Aécio, diz Beto Richa

O governador reeleito Beto Richa (PSDB) liderou, na manhã deste sábado (18), uma grande carreata pelas ruas de Foz do Iguaçu, no Oeste do Parana. O ato reforçou a campanha pela eleição de Aécio Neves presidente do Brasil, no segundo turno das eleições 2014, no domingo, 26.

"O Parana só tem a ganhar com a eleição do Aécio presidente", destacou Beto Richa, em entrevista a imprensa. "Vamos ter um governo federal alinhado com o nosso governo, sem a discriminação que tanto prejudicou o nosso Estado nos últimos quatro anos", frisou.

Beto Richa destacou seu desempenho em Foz e no Oeste, no primeiro turno das eleições. "Tivemos uma votação espetacular. Foram mais de 60% dos votos em Foz e vencemos em todos os 52 municípios da região, o que da  reforço fundamental para a eleição do Aécio".

A carreata começou as 10h próximo ao viaduto de acesso ao Paraguai, na Avenida Tancredo Neves. Por quase duas horas Beto Richa cumprimentou e foi cumprimentado por moradores, pedestres trabalhadores do comércio.

Participaram do ato o deputado federal Eduardo Sciarra (PSD), coordenador da campanha de reeleição de Beto Richa, o ex-prefeito Sâmis da Silva (PSDB), a vice-prefeita Ivone Barofaldi (PSDB), o suplente de deputado federal Professor Sérgio (PSC) e autoridades da região.


PSDB quebrou o Brasil três vezes - Artigo do deputado Enio Verri - PT/Paraná

Os números não mentem!

Enio Verri


Os fantasmas do passado – Fundo Monetário Internacional (FMI), inflação acima de dois dígitos, fila nas agências dos empregos, salários mínimos desvalorizados, privatizações, demissões em massas – saíram do armário e podem voltar a nos assombrar.

A eleição presidencial não representa apenas a escolha de uma figura como presidente e, sim, de projetos políticos já testados e sentidos na pele por toda a nossa população.

De um lado, o projeto de Mais Mudanças e Mais Futuro que trouxe desenvolvimento social, econômico, estrutural para todos os brasileiros e elevou o Brasil a protagonista no cenário mundial.

Em contraposição, o projeto do Fernando Henrique Cardoso que quebrou o Brasil por três vezes, acorrentou nosso país aos lastros do FMI e trouxe incertezas às famílias brasileiras.

Os números não mentem! Os Governos Lula e Dilma são imensamente superiores ao de Fernando Henrique Cardos e Aécio Neves. Se em 2002, o Produto Interno (PIB) representava um pouco mais que R$ 1 trilhão, em 2013, estava próximo de R$ 5 trilhões.

O Brasil de Lula e Dilma elevou a economia brasileira ao posto de 7ª maior do mundo e aumentou a safra agrícola de aproximadamente 100 milhões de toneladas para quase o dobro. É o mesmo que quadriplicou as exportações atingindo a marca de US$ 242 bilhões em 2013.

Diferente do que prega os que torcem contra o Brasil, as estatais e bancos brasileiros não só foram fundamentais para o desenvolvimento brasileiro, como geraram lucros para nosso País nos últimos 12 anos. Um salto de aproximadamente 30 vezes se comparado à época dos tucanos.

O Banco Nacional do Desenvolvimento, que Aécio pretende paralisar, teve um lucro de pouco mais de R$ 8 bilhões em 2013. Em 2002, o lucro era de meio bilhão. O Banco do Brasil e a Caixa Econômica ampliaram em cerca de sete vezes os ganhos e atingiram a marca de R$ 15,8 e R$ 6,7 bilhões, respectivamente.

Entre 2002 a 2013, a Petrobras tão cobiçada pelos tucanos, quase que triplicou os lucros consolidados atingindo o valor de R$ 23,6 bilhões. Já o valor de mercado cresceu cerca de 700% e está avaliada em mais de US$ 108 bilhões.

A taxa de desemprego que assustava em 2002, bateu recorde e atingiu a menor marca com Lula e Dilma. A pobreza, uma das piores marcas do Brasil, foi estripada e caiu de 34% para 7,4% em 2014. Fato reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) e por países desenvolvidos.

O Brasil que investiu em políticas sociais e em incentivos a economia interna é o mesmo que garantiu o ganho real do salário mínimo, tão desprezado pela equipe de Aécio Neves. O salário mínimo cresceu em quase 400%, um ganho quatro vezes maior por dia.

Os Governos Lula e Dilma são os mesmos que melhoraram a vida de todos os brasileiros e que controlaram a inflação. Diferente do que tentam vender, a inflação que caiu de 12,5% a 5,91%, entre 2002 e 2013, sempre bateu a meta nos últimos 11 anos.

Os números não mentem! Quem compara sabe dos riscos de ressuscitarmos os fantasmas dos passados englobados nas propostas neoliberais de Aécio Neves e Fernando Henrique Cardoso.

 Enio Verri é Economista, Deputado Estadual e presidente do Diretório Estadual do PT do Paraná

Rossoni diz que Dilma deveria ter evitado vir ao Paraná


O deputado Valdir Rossoni, presidente da Assembleia Legislativa e do PSDB do Paraná, disse que a tentativa da presidente Dilma Rousseff de reverter o resultado do 1º turno das eleições para presidente no Paraná é uma missão impossível. “O motivo é simples: ela veio tentar reverter a derrota que sofreu para Aécio Neves e isso não vai acontecer nem por milagre. Ao contrário, a diferença de votos no segundo turno vai ser maior”, disse o candidato que se elegeu deputado federal no dia 5 de outubro. 

Rossoni lembrou que o Paraná confirmou seu desejo de mudança no país por que conhece o que o PSDB vai fazer no governo. “Reelegemos o governador Beto Richa no primeiro turno e o senador Alvaro Dias foi o mais votado do país”, disse. “Aqui a Dilma foi ciceroneada pelo Roberto Requião, derrotado na disputa para o governo, assim como a ex-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, candidata do PT”.

O deputado afirmou que o direito democrático foi exercido pela presidente, que tenta a reeleição, mas acha que a presença dela no Paraná só serve para consolidar a imagem negativa do governo e dos petistas, atolados cada vez mais nos escândalos que abalam o país diariamente.
  

Líder do PPS vai cobrar explicações do IPEA sobre não publicação de estudo econômico

















O líder do PPS na Câmara, deputado federal Rubens Bueno (PR), criticou o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada-IPEA pela não publicação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios-PNAD de 2013 e adiantou que apresentará um requerimento de informação cobrando explicações do órgão. Para o parlamentar, o pedido de demissão do diretor de Estudos e Políticas Sociais, Herton Araújo, levanta suspeitas sobre os reais motivos da não publicação e afirmou que tudo leva a crer que o estudo pode prejudicar, ainda mais, a campanha de Dilma Rousseff.

O deputado destacou que pesquisas independentes apontam que a miséria parou de cair no país e que o levantamento do IPEA deve apontar para essa tendência. Ele lembrou que os dados, caso confirmem a queda, colocará em cheque uma das principais bandeiras de Dilma Rousseff que é a erradicação da miséria no país. Segundo Bueno, a decisão do órgão aponta para uma tentativa de não prejudicar ainda mais a candidatura da atual presidente.

Artigo de Delfim Netto

Candidato

Delfim Netto (*)

É fato que a economia brasileira: 1) perdeu o vento de “cauda” da conjuntura mundial que a impulsionou de 2003 a 2010, mas mudou de direção em 2011, dificultando o seu crescimento; 2) tem um deficit em conta corrente insustentável de US$ 80 bilhões por ano (3,5% do PIB) devido ao uso da taxa de câmbio para controlar a inflação; 3) e sofre os inconvenientes da taxa de câmbio valorizada que são muito superiores aos seus eventuais benefícios na redução da taxa de inflação.

Esta continua a namorar o limite superior de tolerância da meta (6,5%), mas, obviamente, não está fora de controle e 4) por tudo isso, paga o preço de um crescimento minúsculo (talvez 1,7% ao ano em 2011-2014) que, pelo menos em parte, é responsável pela desconfortável situação fiscal, mas que está longe de ser apocalíptica.

Coluna do Jersan

Disputa Acirrada



A disputa pelo cargo de presidente da República entra na última semana e os ânimos estão cada vez mais acirrados, com acusações mútuas entre Aécio Neves e Dilma Rousseff. Mais contundente nas suas afirmações, durante os debates na televisão, o tucando desmente denúncias da petista contra a administração dele, quando governou Minas Gerais. Dilma venceu Aécio no 1º turno em Minas Gerais, mas essa posição já foi revertida, segundo as pesquisas. 

No Maranhão, também, a diferença de votos favoráveis à reeleição de Rousseff, dá mostras de mudança do eleitorado. Os 63% dos votos obtidos por ela, tudo indica estão minguando, segundo observadores que acreditam na recuperação eleitoral de Aécio Neves em todo o nordeste, depois da adesão de Marina Silva à sua candidatura e de vários partidos e líderes políticos respeitáveis.

Nos programas de rádio e televisão Aécio tem dito que a sua opositora mente e coloca nele a pecha de inverídico, quando se trata da sua administração à frente do governo de Minas. O tucano a contradiz e prova exibindo jornais de 2010 (quando deixou o governo para se candidatar ao Senado) mostrando que a sua gestão teve 92% de aprovação, mas a candidata do PT não se emenda e continua dizendo que “quem conhece Aécio não vota em Aécio.”

Essa troca de agressões vai continuar até a próxima quinta-feira, data limite para a propaganda eleitoral no rádio e na TV. A corrupção na Petrobrás é um escândalo que o PT não pode transferir pra outrem. Quem deve explicações são os governos de Lula e de Dilma e ela diz que tomou medidas para punir os culpados. Espera-se que seja verdade...

O caso Petrobrás é um assunto, que, pela gravidade que representa deve ser discutida até a exaustão, pois a Nação não agüenta mais tanta corrupção e desmandos neste país. A disputa deve se acirrar cada vez mais com a aproximação da eleição, neste segundo turno.

O VOTO DE SARNEY

“Quem vota em Dilma está votando em Sarney”. A frase está contida no artigo do ex-governador e deputado federal eleito Zé Reinaldo Tavares (PSB), publicado aqui no JP da última terça-feira (14). Seria a única maneira do senador, pelo estado do Amapá, exercer alguma influência em nível do governo federal e até construir no Maranhão uma espécie de governo paralelo, o que não seria nada plausível para a nova administração que se instalará no dia 1º de janeiro, comandada pelo governador eleito Flávio Dino, que, inclusive, já começou a montar o seu secretariado. Nessa linha de raciocínio quem votou em Dilma no primeiro turno não deve repetir o voto no segundo. Isso vale (ou deveria valer), também, para o PCdoB maranhense...

CASTELO

O deputado eleito pelo PSDB, João Castelo esteve semana passada internado em um hospital da cidade para controlar a diabetes. Esta tudo bem com o tucano que foi eleito sem fazer campanha ostensiva. Foi modesto, pediu votos aos amigos mais e a outros nem foi preciso, pois já estavam determinados a confiar-lhe mais um mandato parlamentar. A deputada Gardeninha, infelizmente não conquistou a reeleição à Assembléia Legislativa, onde exerceu um bom trabalho durante este mandato que se encerra em janeiro.

WALDIR

O deputado federal Waldir Maranhão (PP) obteve expressiva votação em São João Batista, a exemplo de outros municípios onde tem serviços prestados, com a liberação de Emendas Parlamentares para obras de interesse das comunidades. Familiarizado, com a população e com o apoio incondicional do prefeito Amarildo Pinheiro, Waldir foi campeão de votos em São João Batista e um dos mais bem votados do estado e promete continuar colaborando para que as prefeituras, e, conseqüentemente o povo continue sendo beneficiado com os seus projetos.

INSEGURANÇA

O maior problema do Brasil, na atualidade, é a insegurança. Ter saúde, também é importante, gozar uma boa educação, idem. Mas diante dessa violência que geralmente culmina com assassinatos por questões muitas vezes banais, tiram a certeza do cidadão que sai de casa para o trabalho ou para a escola e que voltará vivo. Os crimes mais cruéis acontecem todos os dias no Brasil, desafiando as autoridades, transformadas em reféns de presidiários. Criminosos bem armados enfrentam agentes da Segurança Pública com instinto de superioridade.

A idéia que os criminosos passam à sociedade é de que eles são invencíveis e estão mais bem organizados e armados do que a Força de Segurança Pública paga para (bem ou mal) garantir segurança à sociedade. Está se tornando cada vez mais comum, bandidos matarem policiais civis e militares no Brasil. É um absurdo. O número da criminalidade só faz crescer e parece que ninguém, nem as autoridades se preocupam com essa realidade. Quem ama a vida tem medo deste momento pavoroso e lamentável porque passa o povo brasileiro. E no próximo domingo teremos de votar. É obrigatório. A todos os eleitores brasileiros, boa eleição e seja o que Deus quiser!...

sábado, 18 de outubro de 2014

Ele ia ser ministro dela

Quando foi revelado, ela desmentiu...
Hoje, em sua coluna, o jornalista Cláudio Humberto insiste, afirmando que ele seria Ministro das Cidades. Vejam:

COSTA ERA QUASE MINISTRO QUANDO LAVA JATO ESTOUROU

"Dilma Rousseff nega agora, mas por um triz o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa deixou de ser nomeado ministro das Cidades. Ele esteve entre os indicados do Partido Progressista (PP) para substituir o ministro Aguinaldo Ribeiro, em reunião na Casa Civil da Presidência ocorrida em 11 de março passado. Ribeiro deixaria o cargo seis dias depois (17), data da Operação Lava Jato, que prendeu o ex-diretor."

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Aécio está 13 pontos à frente de Dilma, diz pesquisa Sensus

Pesquisa IstoÉ/Sensus realizada entre a terça-feira 14 e  sexta-feira 17 mostra a consolidação da liderança de Aécio Neves (PSDB) sobre a petista Dilma Rousseff no segundo turno da sucessão presidencial. De acordo com o levantamento, o tucano soma 56,4% dos votos válidos, contra 43,6% da presidenta. Uma diferença de 12,8 pontos percentuais, que representa cerca de 19,5 milhões de votos. Se fossem considerados os votos totais, Aécio teria 49,7%; Dilma, 38,4%; e 12% dos eleitores ainda se manifestam indecisos ou dispostos a votar em branco. 

Os debates estão agitadíssimoooooooooossss!... Mais quente que fervendo!!!

Essa eleição presidencial parece guerra..., no bom sentido!..., ou não?! É pedra pra todo lado... Nem o pobre do bafômetro escapou... A pressão aumenta nos debates e vem logo uma queda de pressão... É um sufoco... Quando caiu a pressão, faltou o médico..., ou a médica...
E a mídia se diverte...
Sabem o que li agora na coluna do Tutty Vasques? Vejam:

Mãe é Mãe

Justiça seja feita ao comportamento dos candidatos nos dois primeiros debates do segundo turno, até agora nenhum dos dois citou a mãe do outro!
Mas, a persistir o empate técnico enguiçado das últimas pesquisas, não sei não, viu?