Busca

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Tô de Férias do Blog - Volto dia 20 de janeiro



Como todo trabalhador, eu também tenho férias. Eu e o blog estamos de férias!
Voltaremos dia 20 de janeiro com a mesma força, a mesma independência e com muitas novidades... Continuo, todavia, no face e no twitter, diariamente ou vez por outra, dando meus pitacos.
Durante os 30 dias de férias irei caminhar mais intensamente pela cidade em contato com amigos e amigas. Dedicar-me-ei, também, com mais tempo, às minhas pesquisas e reflexões.
UM FELIZ NATAL A TODOS MEUS AMIGOS E MINHAS AMIGAS...
UM ANO NOVO DE PAZ E AMOR...
Um abraço a todos... "inté"  dia 20 de janeiro...


segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Lula vira réu pela quinta vez em três operações diferentes

Do UOL


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tornou-se réu pela quinta vez esta segunda (19), a quarta em processos relacionados à Operação Lava Jato, depois que o juiz federal Sérgio Moro aceitou a denúncia do MPF (Ministério Público Federal) feita na quinta (15). Lula também é réu em outros dois processos na Lava Jato, além de outro decorrente da operação Janus (um desdobramento da Lava Jato) e mais um na operação Zelotes.

O MPF denunciou o ex-presidente pelos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro por contratos firmados entre a Petrobras e a construtora Norberto Odebrecht S/A. O ex-presidente foi apontado como o "responsável por comandar uma sofisticada estrutura ilícita para captação de apoio parlamentar, assentada na distribuição de cargos públicos na administração federal". O ex-presidente afirma que "nunca solicitou vantagens indevidas e sempre agiu dentro da lei" (veja a defesa completa abaixo).

Também viraram réus nesta ação o empresário Marcelo Odebrecht, acusado da prática dos crimes de corrupção ativa e lavagem de dinheiro; o ex-ministro Antonio Palocci e seu ex-assessor Branislav Kontic, denunciados pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro; e Paulo Melo, Demerval Gusmão, Glaucos da Costamarques, Roberto Teixeira e a ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva, acusados da prática do crime de lavagem de dinheiro.

O destino depende da ‘lei do carma’, ou do bem ou do mal feito


José Reis Chaves

A chamada “lei de causa e efeito” é científica, bíblica, filosófica, teológica e universal. Entre outros de seus nomes, citamos: “lei do carma”, “lei da colheita obrigatória do que é semeado”, todas em consonância com a lei física: “A cada ação corresponde uma reação de igual potência e reversibilidade”.

Kardec preferiu usar somente o nome mais tradicional, “lei de causa e efeito”, mesmo porque, em seu tempo, a expressão “lei do carma” era usada apenas no Oriente. Mas hoje, com o contato intenso entre o Ocidente e o Oriente, essa expressão “lei do carma” entrou em nossa língua e também nos meios espíritas.

Essa lei, no sentido religioso e moral, é muito citada nas escrituras sagradas e, principalmente, na Bíblia. Por isso, a doutrina dos espíritos codificada por Kardec dá a ela muita importância em toda a sua vasta literatura e pregações.

Temos que ter em mente que se sofremos, é porque fizemos alguém sofrer. E a respeito de males cometidos em vidas passadas, muitos dizem: Por que e como vou pagar um erro que eu teria feito numa encarnação passada, se eu não me lembro dele? Mas é o Mestre dos mestres que ensinou que ninguém deixará de pagar todas as suas faltas até o último centavo (são Mateus 5: 26; e são Lucas 12: 59), o que quer dizer que as penas não duram para sempre, pois pago o último centavo, não vamos pagar mais nada, sim, pois a lei divina é justa e perfeita. Quem as paga é o espírito que só sai do corpo que morre, continuando, pois, a viver, já que é imortal. E esteja onde estiver, ele tem que pagar seus pecados, desde o primeiro até o último, a não ser que o excelso Mestre tenha mentido para nós, hipótese essa, totalmente, inaceitável!

Aliás, essa verdade é até uma das provas da reencarnação, pois quando uma pessoa é uma alma de escol, mas tem uma vida de um sofrimento constante, é porque, numa outra vida, ela aprontou, pois a “lei de causa e efeito” é perfeita. Quem sofre é porque fez alguém sofrer. Com a medida com que tiverdes medido, sereis medidos (são Mateus 7: 2). Quem matar com espada, seja morto por espada (Apocalipse 13: 10).

Do mesmo modo que há pessoas boas que sofrem, porque estão pagando faltas de uma vida anterior, há também as que são más e têm uma vida feliz, pois foram pessoas boas numa reencarnação passada. Entretanto, podemos pagar também erros na mesma vida em que eles foram cometidos. E, também, numa mesma vida em que nossas boas ações foram praticadas, podemos colher igualmente a recompensa delas. O certo é que nada escapará a essa inexorável “lei de causa e efeito”! E a respeito dela, que fique bem claro que não se trata de castigo nem prêmio de Deus, pois ela é divina, mas é manipulada por nós mesmos. É como a energia elétrica que é também manipulada por nós, podendo, pois, a sua conta vir baixa, quando a economizamos, ou cara, se não cuidamos de controlar o seu gasto!

Porém, como Deus é Pai de misericórdia, de acordo com a “lei de causa e efeito”, uma pessoa pode ter muitas faltas e ter suas consequências de sofrimento aliviadas e até anuladas, se ela, usando de seu livre-arbítrio, faz o bem e a caridade. É o que diz a Bíblia: O amor encobre multidão de pecados (1 Pedro 4: 8).

E terminamos essa matéria com a conhecida e lapidar frase evangélica (são Mateus 16: 27), que nos deixa clara o que é essa “lei do carma”: A cada um será dado conforme suas obras!

PS: “Presença Espírita na Bíblia” com este colunista, na TV Mundo Maior.

Os Inocentes.



Li somente hoje este texto da Coluna do  Carlos Brickmann:

“Um fato há que reconhecer: tanto o presidente da República quanto o líder da oposição, mesmo vivendo no meio de toda essa sujeira que tanto nos assusta, mantêm intacta sua pureza. Lula conviveu dezenas de anos com José Dirceu, Delúbio, Marcelo Odebrecht, todos já condenados por corrupção, e proclama que é inocente, aliás nem sabia de nada; Temer presidiu o PMDB de Eduardo Cunha por quinze anos, teve convívio próximo com os seis ministros que se afastaram por problemas judiciais, admite ter recebido um empresário do ramo de doações ilícitas (que, na delação premiada, citou seu nome como captador de recursos) mas garante que não tratou disso com ele. É inocente, diz. Não mexia com essas coisas.

É bonito saber que o ambiente depravado em que circularam com tanto êxito, sem saber que era depravado, não afetou sua inocência. Lula sustenta que o apartamento triplex e o sítio de Atibaia não são dele, que a propósito nem imaginava que os voos em jatinhos fossem algo mais que uma gentileza. Temer ofereceu um jantar ao empresário Marcelo Odebrecht em sua residência oficial de vice-presidente da República, o Palácio do Jaburu, após o qual a Odebrecht ficou R$ 10 milhões mais pobre. O delator Cláudio Melo Filho diz que o dinheiro foi para o caixa 2 (o que é confirmado por Marcelo Odebrecht). Temer explica que não, que todas as doações recebidas foram legais, nada de caixa 2.

Aliás, o que é Caixa 2?”


QUEM QUEBROU O BRASIL


Sebastião Nery

RIO – Fim de ano, tempo de sabedorias. Comecemos então de longe. Platão, supersábio, na “Apologia de Sócrates”:

– “O juiz não é nomeado para fazer favores com a justiça, mas para julgar segundo a lei”. (Como o irrepreensível juiz Sergio Mouro).

E Dante, superpoeta :

– “Per me si va nella cittá dolente, / Per me si va all’eterno dolore, / per me si va tra la perduta gente. / Lasciate ogni speranza voi ch’entrate.”

Séculos mais jovem, o ex-deputado e professor paranaense Helio Duque adverte que o pais está entre uma agenda política e uma agenda econômica:

– Pela gravidade da crise econômica e financeira em que o populismo mergulhou o País, é na agenda econômica que os políticos brasileiros deveriam priorizar com responsabilidade e urgência. É preciso dizer, com todas as letras, que os Estados e a União estão quebrados. O que os distingue é que o governo federal, ao contrário dos estaduais, pode emitir títulos para saldar os seus compromissos financeiros. A década de irresponsabilidade fiscal, com o gasto público atingindo 45% do PIB, para uma arrecadação tributária de 36%, gerou a quebradeira geral. A recessão econômica era questão de tempo. Quando os governos Lula e Dilma, com consequências perversas aumentaram irresponsavelmente os gastos públicos, a maioria dos brasileiros contemplava e apoiava a farra fiscal.

Aqueles governos detonaram os fundamentos da economia construídos penosamente a partir do Plano Real. A relativa robustez que ele gerou, externamente ganhando o grau de investimento, significando bom pagador e internamente com a melhoria da qualidade de vida dos brasileiros, foi abandonada. Em seu lugar colocaram uma política econômica fundamentada em abrir o cofre e gastar em um expansionismo fiscal enlouquecedor.

Eliminado o superávit primário, o déficit nas contas públicas determinou o descontrole da dívida pública que cresceu entre 2008 a 2015 em R$ 2,2 trilhões, certamente para alegria do sistema financeiro nacional remunerado regiamente com taxa de juros que atingiu 14,25% ao ano.

O atual governo foi feliz ao compor uma equipe econômica de gente competente, mas não tem na área política o seu correspondente. A sua atual base parlamentar, na maioria, participou da farra populista que levou o Brasil à tragédia. Se na oposição os seus porta-vozes, grandes responsáveis pela tragédia econômica, eximem-se da responsabilidade, os apoiadores do governo, em grande número, demonstram serem adeptos do “é dando que se recebe”. A Proposta de Emenda Constitucional que limita o crescimento do gasto público à inflação passada, exigiu negociações pesadas.

A aprovação da PEC dos gastos foi um avanço. A equipe econômica terá condições de reverter, em médio prazo, o caos econômico. Nesse cenário desesperador é fundamental, nas manifestações de rua que se multiplicam pelo País, cobrar dos administradores públicos e dos políticos o espírito público. A recuperação dos valores perdidos em tempo recente é fundamental Antes de melhorar o cenário econômico e social ainda haverá relativa piora. A sua superação passa pelas reformas inadiáveis que precisam ser feitas e nelas a maior responsabilidade é da classe política.

A ESPERA É DIFÍCIL


Marli Gonçalves

Já percebeu? Passamos a vida a esperar. No final de ano, nessa época, fica ainda mais patente porque mostra que todo o tempo esperamos. Ainda mais e demais de tudo e de todos, de todas as coisas, dos dias que virão, e até de nós mesmos. E depositamos esperança, que nada mais é do que esperar o algo que mais desejamos. Contagens regressivas diárias que fazemos às vezes até meio distraídos; algumas esperas até impulsionam quando possível, aceleramos para tentar chegar ao seu fim o mais rápido possível, quando então se transformarão em realidade - e isso é sempre muito concreto

O compasso da espera - essa pausa que, em uma orquestra, se aguarda a vez de o instrumento entrar e participar da música entoada. O difícil é preencher esse vazio, atento, para não desafinar, entrar na hora errada, estragar tudo. A espera é prima-irmã da angústia. Mãe da ansiedade. A espera não contém certezas.

Continuo escrevendo para você sentada em uma cadeira azul, ao lado de uma cama de hospital de onde ainda não consegui arrancar meu pai. A cadeira é só um pouco mais confortável do que a anterior, já que agora ele foi transferido para outra enfermaria.

domingo, 18 de dezembro de 2016

Coluna do Jersan




JOÃO CASTELO, LEMBRANÇAS ETERNAS


O falecimento do deputado federal João Castelo, ex-governador, senador e prefeito de São Luís, pelo seu trabalho, respeito e solidariedade ao povo humilde; pela forma educada e respeitosa no convívio com os amigos, o amor à Dona Gardênia e aos filhos, com certeza será lembrado eternamente. Durante o velório e nos momentos que precederam o sepultamento, na última segunda feira-feira, no Parque da Saudade – Vinhais, políticos como o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, o governador Flávio Dino, vice-governador Carlos Brandão, senador Roberto Rocha, ex-presidente José Sarney, ministro Sarney Filho, entre outros, deram seus testemunhos públicos e enalteceram o legado que Castelo nos deixa como político e administrador arrojado, dinâmico e sério.

“João Castelo foi o político mais humano e amigo dos pobres que o Maranhão testemunhou” – afirmaram à beira do túmulo – pessoas humildes do povo, com emoção. Quem assistiu ao sepultamento ouviu revelações como esta e o lamento dos amigos. Expressões mais significativas porque vinham do coração. Nada protocolar. O sentimento de dor e de saudade foi expresso pelos que sempre apoiaram João Castelo, em qualquer situação por reconhecer nele um político bem intencionado que, como dizia sempre, “cuidar das pessoas é o meu maior objetivo”.   

Obras importantes como o sistema de abastecimento de água Italuís, estádio Castelão, conjuntos residenciais Maiobão e Cidade Operária, conclusão da Ponte Bandeira Tribuzzi, Bom Preço, postos de saúde e escolas construídas em todos os municípios maranhenses, fomentaram postos de trabalho no Estado e na capital. Milhares de maranhenses tiveram a oportunidade e passaram a compor o quadro de servidores públicos; empresas de construção civil foram obrigadas a contratar mão de obra especializada e o Maranhão se desenvolveu. Castelo, então, foi considerado o governante “tocador de obras e fomentador do progresso”. Quando ainda vivo era questionado por adversários. Agora, até eles reconhecem a grande importância de João Castelo no cenário político e administrativo do Estado.

Lamenta-se, hoje, o falecimento de Castelo. Ontem (sábado), foi celebrada a Missa de Sétimo Dia, na Catedral da Sé com a participação de Dona Gardênia e dos filhos Gardeninha e Joãozinho, além de outros familiares e admiradores. Todos sabem que não haverá retorno, mas, há a esperança em outra vida num plano superior. Ele será lembrado, sempre, como cidadão do bem, amigo leal, pai de família exemplar, solidário com o sofrimento dos menos favorecidos aos quais dava atenção especial, honesto nas suas posições, convicto e coerente nas decisões assumidas.

Particularmente, tive o prazer de conhecer melhor João Castelo em 1983, há quase um ano após de ele ter deixado o Governo. Era senador e sócio do Jornal de Hoje que tinha como fundador o jornalista Cordeiro Filho. Fui convidado por eles para dirigir a redação do referido jornal que passaria a ter uma linha de independência com relação à política local e nacional. Aceitei o desafio e ele foi a primeira liderança alinhada ao sarneysismo a romper. Foi para a oposição e nela militou até os seus últimos dias de vida. 

Com coragem e determinação, enfrentou os poderosos, mas, não recuou. Era um homem de fibra, de caráter e, sobretudo solidário com as causas dos mais fracos. João Castelo jamais será esquecido, por tudo que fez de bom ao Maranhão e ao seu povo, que o agradecerá sempre! Resta-nos solidarizar com a família neste momento de dor e saudade, do qual compartilhamos. Fica com Deus. Quanto aos teus amigos e familiares, seguirão o que diz Milton Nascimento em sua canção: “Amigo é coisa pra se guardar no lado esquerdo do peito!”

DIPLOMAÇÃO
O prefeito e a vice-prefeita eleitos no último dia 2 de outubro, em São João Batista, respectivamente, João Dominici e Mayara Pinheiro, além dos 11 (onze) vereadores do município foram diplomados na quinta-feira (15), no Centro de Convenções João Furtado Dominici, em solenidade presidida pelo juiz da Comarca. Líderes políticos e comunitários e muitos simpatizantes e eleitores dos políticos que assumirão as rédeas da administração em São João Batista, prestigiaram a diplomação dos eleitos que representam a esperança de melhores dias para o município. Parabéns!

EM AXIXÁ
O meu amigo Cesar Rios, através da coluna saúda a prefeita eleita Sonia Campos Oliveira e o seu vice, Claudemir Dias e aos vereadores do município, igualmente diplomados no último dia 14, em solenidade bastante concorrida. Cesar acredita que Sonia fará um grande trabalho em benefício da cidade de Axixá e do seu povo. Parabéns!

GRANA REPATRIADA
O governo federal deverá autorizar o repasse da diferença que falta do dinheiro repatriado dos paraísos fiscais, a estados e municípios, antes do dia 30 de dezembro. Para os prefeitos que estão deixando o cargo, só terá duas saídas: deixar para o sucessor aplicá-lo em obras e outros débitos da prefeitura ou sair com ela (a grana) no bolso, porque não haverá tempo para programar nada. Os promotores, por dever de ofício, devem está atentos a isso.

CONFRATERNIZAÇÃO
A “turma do bem e da paz” que nos fins de semana se reúne na churrascaria do Roberto, na Curva do 90, se confraternizou ontem, conforme havíamos noticiado na última coluna. O advogado José de Fátima Feitosa veio de Santa Inês para participar da festiva reunião, regada a muito papo, cervejas e tira-gosto.

UMA PERGUNTA

E para encerrar uma pergunta que não ofende: será que o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva vai passar as festas de final de ano em São Paulo ou em Curitiba?...

sábado, 17 de dezembro de 2016

Crise na representação

Urgente é investir na representação política para inverter os descompassos em curso, promover novas posturas, sem os vícios que fazem os governantes gastarem a maior parte do tempo com infrutíferas discussões e acusações.


Dom Walmor Oliveira de Azevedo - Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte – MG

A sociedade brasileira carrega nos ombros o peso de muitos problemas, um deles especialmente grave: a crise envolvendo os representantes do povo. O que tem sido protagonizado na Praça dos Três Poderes, em Brasília, causa perplexidade. São fatos com desdobramentos que atingem fortemente a democracia, colocam em risco seus funcionamentos e propósitos. Por isso mesmo, há uma demanda imediata para que se estabeleça amplo processo de revisão das práticas e posturas nesses âmbitos, para que elas sejam balizadas por parâmetros éticos. Assim, os representantes do povo, em suas responsabilidades políticas, poderão valorizar e garantir a dimensão moral necessária à atividade para a qual foram eleitos.

Papa: que minha velhice seja fecunda e cheia de alegria



Cidade do Vaticano (RV) – Uma velhice fecunda e feliz: é a oração que pede Francisco no dia em que completa 80 anos (17/12). E o Papa comemorou com uma missa concelebrada com os cardeais na Capela Paulina, no Vaticano.
Na homilia, inspirando-se na liturgia do dia, o Papa Francisco pediu a graça da memória. No percurso do Advento, em que a vigilante espera se transforma mais intensa, a liturgia nos faz parar um pouco para ler a origem de Jesus. Fazer memória, olhar para trás para poder prosseguir melhor avante. “Este é o significado da liturgia de hoje: a graça da memória, pedir esta graça. Não esquecer. É próprio do amor não esquecer, ter sob os olhos o bem que recebemos. É próprio do amor olhar para a história: de onde viemos, os nossos pais, os nossos antepassados. O caminho da fé. E esta memória nos faz bem, porque torna mais intensa esta vigilante espera pelo Natal.”

Teus olhos...

Hélcio Silva

(minha poesia do amanhecer – 17 / 12 /2016)

Vi teus olhos no clarão da Lua /
No brilho do Sol, eu os vi brilhar /
Na terra chegava o esplendor do brilho /
Que encantava meu olhar/ 



Vi Lula réu e sonhei com o Marquês


Pequena crônica do amanhecer

Hélcio Silva

(17 / 12 / 2016)

Passei pela noite de ontem, antes de entregar-me ao sono, lendo notícias dos maus. Vi Lula mais uma vez como réu. Ele e seu filho Luis Cláudio Lula da Silva viraram réus na Operação Zelotes. A decisão foi do juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal, em Brasília. Lula réu não é mais novidade...

Continuando minha leitura, encontrei um texto da Dilma dizendo-se traída por Temer. Começou definindo Temer como “um presidente ilegítimo”, que a traiu politicamente...

Caí esticado na rede (eu gosto de uma dormida na rede) e para meu azar sonhei com o Marquês do Rio dos Peixes, pai do príncipe de Upaon-Açu...

Coisa pior só em guerra de fogo cruzado.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Lembrando a história: três minutos com Brizola



Não sei quando foi e nem onde foi; mas ele falou aos jovens...

Que falta que ele faz!

Só três minutos para recordar!!!




UM HOMEM DO CONGRESSO


Sebastão Nery

RIO – Afonso Arinos, que passou a vida entre a Câmara e o Senado, disse que ele foi “o maior parlamentar brasileiro desde 1930”.

Nestes tempos de Congresso apequenado, o país devia ter celebrado com mais calor o centenário de Tarsílo Vieira de Melo. Foi um homem do Legislativo por um quarto de século. Em 1945, com 32 anos, já se elegia para a Assembleia Constituinte. Em 1947, secretario de Educação e Saúde dos governos Otavio Mangabeira e Regis Pacheco. Eleito Juscelino Presidente, líder da Maioria na Câmara, comandando as batalhas para livra-lo das tentativas de golpes da UDN.

Homem de esquerda no PSD, era o secretário-geral da LEN (Liga de Emancipação Nacional). Em 1964, o golpe militar o encontrou no comando da oposição, aliado a JK, Jango e Lacerda na Frente Ampla pela volta da democracia. Dissolvidos os partidos, ajuda a fundar o MDB com Ulysses Guimarães e assume a liderança na Câmara.

Na véspera de morrer suspeitamente atropelado, lamentava:

– Não sei bem o que está acontecendo com o Brasil. Mas é cada dia menor o número dos que se dispõem a defender a liberdade e a democracia Veja a História do Brasil. Em todas as épocas, quaisquer que fossem as circunstâncias, havia sempre um grupo de homes mais velhos, mais experimentados, jogando lideranças e às vezes a própria liberdade exatamente para defender a liberdade.

E passou a me citar nomes, de José Bonifácio a Joaquim Nabuco, de Ruy Barbosa a João Mangabeira:

– Hoje, parece que os mais velhos estão se aposentando cedo demais da liberdade, da democracia, da luta política. A UDN enrolou o lenço branco e escondeu lá no fundo do bolso. Por isso fico feliz, toda manhã, quando leio o Hélio Fernandes, o Castelo Branco, você, outros, brigando a briga diária de defender a liberdade e a democracia no Brasil. Você me conhece e sabe que não tenho mais ambições políticas, a chamada vida pública me deu o que eu podia querer de experiência e qualquer alimento para a vaidade. Um mandato de deputado, agora, para mim, pode ser até um estorvo para minha vida pessoal. Mesmo assim, vou para a Bahia buscar de novo o mandato. Não quero continuar voltando para casa, todo dia, com a sensação de que também eu me aposentei da fé na democracia.

Vieira de Melo foi isso. Um profissional da democracia. Os homens de sua geração, os jornalistas mais antigos podem dar depoimento ainda melhor. De 1945, quando a Bahia o mandou para a Câmara Federal, até 1967, quando perdeu as eleições para o Senado pelo MDB por alguns mil votos, Vieira foi sempre um plantonista da democracia.

Quando lhe levaram provas de que ele havia ganho as eleições de 67 e tinha sido fraudado pelo mapismo eleitoral, negou-se a denunciar:

– Uma denuncia desse tipo pode acabar ajudando aqueles que querem liquidar de uma vez com o voto popular. Não a farei. Não a farei também porque o Aloísio de Carvalho é um democrata e não tem nada com isso.

Dias depois, foi misteriosamente atropelado em Copacabana, na porta de sua casa. Foi um tipo de homem que está acabando no Congresso. Mas existiu.

GRAZZIOTIN DISTRIBUÍA DINHEIRO DA CORRUPÇÃO COM ELEITORES POBRES


Jorge Oliveira

Barra de São Miguel, AL – O Brasil está comovido com a alma caridosa da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). Quando apareceu o seu nome na lista do propinoduto da Odebrecht, a parlamentar declarou que toda grana que recebeu da empreiteira teve um fim filantrópico. E que fim! Foi “socializado com os pobres”, justificou. Ah, ainda bem que a parlamentar confessou para onde foi o suborno antes que algum eleitor maldoso duvidasse da sua honestidade.

É assim que deveriam se comportar os outros comunistas do partido da senadora quando flagrados com a mão na massa: contar uma história como essa para convencer seus eleitores de que a corrupção teve uma causa nobre. Não foi um dinheiro usado pelo partido para esbórnia ou para enriquecimento ilícito de alguns dos seus integrantes.

Grazziotin – a esquerda infantil do parlamento – acredita realmente no que disse. Se é assim, devemos, todos nós brasileiros, fazermos orações diárias para o São Odebrecht e agradecê-lo pela preocupação em socializar os lucros da sua empresa com os mais necessitados pelas mãos generosas da senadora. Agora, sabemos porque os eleitores de Grazziotin mantêm-se fiel à sua representante no Congresso. São pessoas de bem com o mundo: felizes, prósperas e sem preocupação financeira porque passaram a viver dos milagres da Odebrecht desde que ela assumiu o mandato.

Mas não pense o leitor que Grazziotin é uma política despreparada, ingênua, que ignora os problemas do país. Ela se apega aos princípios socialistas e à doutrina marxista para fundamentar as razões que a levaram à distribuição da riqueza no país. Veja quanta profundidade nos seus argumentos para explicar o seu nome na lista da Odebrecht: "Todo mundo sabe que nós, comunistas, fazemos militância política por ideologia e não por qualquer vantagem financeira. O dinheiro que eu recebi era considerado por mim e pelos meus camaradas de Partido como um ato de expropriação contra a burguesia e por isso nós socializávamos (o dinheiro) com os pobres”.

Viu? A senadora não é egoísta nem sovina. Prefere multiplicar os pães entre os seus fiéis eleitores amazonenses. Ela faz também uma revelação surpreendente. Diz que seus camaradas de partido também estavam na caixinha da empreiteira. Portanto, divide com os parceiros as suas ações caridosas numa versão moderna da Madre Teresa de Calcutá. Se é assim, pelo que entendi, o PCdoB deixou de ser um partido político para se transformar numa entidade filantrópica, cujo objetivo é proteger os seus eleitores da fome, da crise econômica e do caos político, distribuindo igualitariamente entre os seus filiados o dinheiro da empreiteira.

Grazziotin está convicta de que a Odebrecht não exigia contrapartida para os agrados que faziam a alegria do partido. Os malotes que abasteciam o PCdoB nas campanhas eleitorais caracterizavam-se como “expropriação contra a burguesia”, segundo a senadora. Aos mais jovens uma explicação: era assim que a esquerda denominava os assaltos a bancos na ditadura. E agora? O que dizer da grana que chegou à senadora via Odebrecht, dinheiro que deixou de ir para a merenda escolar e para a saúde? É a expropriação ao inverso, aquela que tira o alimento das crianças e sacrifica os doentes nos hospitais públicos.

Não tem óleo de peroba para tanta desfaçatez da senadora quando ela culpa também a mídia pelos seus danos morais na política. Veja a profundidade da sua análise: “A imprensa burguesa tenta instrumentalizar a divulgação da lista para macular a imagem dos comunistas em evidente deslealdade tática e estratégica dentro do campo da luta de classes”. Entendeu? Se entendeu, me explique.

Toda essa bobagem da senadora não é fantasia. Foi realmente dita por uma representante do povo, com assento no Senado Federal. Que coisa lamentável. A esquerda brasileira adoeceu, está decadente, contaminada pela mediocridade, se dissolvendo em idiotices e se desmilinguido intelectualmente. Quanto vazio político. É esta pessoa, alienada, que se propõe a pensar o Brasil. Uma senhora que parece zombar dos seus eleitores vomitando sandices para justificar o injustificável: o dinheiro da corrupção da Odebrecht que abasteceu a ela e o seu partido.

Tribuna do Hélcio


(16 / 12 / 2016)

Estou sentado à beira do rio que corta uma longa área de mata virgem no território da ilha que moro. Lembro-me do Moro que já deveria ter escolhido um lugarzinho para o Lula, no mesmo mundo do Dirceu, do Palocci e do Cunha...  Logo/logo - não vai demorar muito - também estará à disposição...

Aqui, à beira deste rio, nada me incomoda: até me alegra!... Um rouxinol canta pertinho de mim, cá perto d’eu... Olho para o alto e vem um anjo com uma notícia de espantar: O Lula quer processar o Dallagnol... O Lulão quer arrancar R$ 1 milhão como reparação por danos morais. Não sei se o Dallagnol tem esse dinheiro todo. Se não tiver vai fazer uma vaquinha pra arrumar a grana...

E botei os óculos pra ler a notícia: “Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva protocolaram na Justiça uma ação de reparação por danos morais no valor de R$ 1 milhão contra o coordenador da Força-Tarefa da Lava Jato, o procurador da República Deltan Dallagnol. A defesa do ex-presidente alega que a honra e a imagem do petista foram “atacados” durante a coletiva de imprensa convocada pelo Mistério Público Federal (MPF), em setembro, para apresentar uma denúncia contra com Lula.” 

E fui informado que mais uma bomba chegou pra riba do Lula - o chefão: Lula tinha controle supremo da corrupção na Petrobras, diz MPF. E vem nas abas do noticiário um forte relato de que Lula é o “grande general” do esquema de corrupção na Petrobras... É mais uma ação apresentada pelos procuradores ao juiz Sérgio Moro contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outros oito acusados. Os procuradores do Ministério Público Federal afirmam que o ex-presidente tinha “controle supremo” do esquema de corrupção e “dominava toda a empreiteira criminosa, com plenos poderes para decidir sobre sua prática, interrupção e circunstâncias”. 

E o Marcelo confirma mais dinheiro pra Lula: O herdeiro e ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, confirmou em depoimento de delação premiada na Operação Lava Jato que foram realizados pagamentos ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, inclusive com dinheiro em espécie.

Dilma e Temer: os aliados de 2014...  O Ministério Público Eleitoral encontrou "fortes traços de fraude e desvio de recursos" ao analisar as informações colhidas com a quebra do sigilo bancário das gráficas Red Seg Gráfica, Focal e Gráfica VTPB, contratadas pela chapa de Dilma Rousseff  e Michel Temer nas eleições de 2014. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apura se houve abuso de poder político e econômico na chapa Dilma/Temer.

O que vou dizer ao Mundo? O presidente da Rússia, Vladimir Putin, foi eleito pelo quarto ano consecutivo, o homem mais poderoso do mundo pela revista Forbes. O mandatário ficou à frente do presidente eleito nos Estados Unidos, Donald Trump, e da chanceler alemã Angela Merkel.

E a ceia de natal? Tá bem mais cara... Ninguém arrisca... Nem Matheus nem Maciel... Aqui em São Luís, até a pitomba subiu de preço...

E aqui em São Luís, 24 deputados votaram com a maldade do Flávio Dino. Somente 8 ficaram com o povo... Foi aprovada a proposta que determina aumento das alíquotas de ICMS em várias faixas de consumo em todo o estado... O governador Flávio Dino nunca se preocupou com os problemas do povo...

O pacote de maldades do governador Flávio Dino vai provocar mais desemprego... Já há levantamentos. Li agora, nesta manhã, esta notícia no blog do jornalista Gilberto Leda: “Após aumento do ICMS, Alumar deixará de criar 2,5 mil empregos -  A decisão do governo Flávio Dino (PCdoB) de aumentar alíquotas de ICMS no Maranhão já começa a produzir os primeiros efeitos negativos para a economia estadual. A Alumar, uma das maiores geradoras de emprego do estado, deve anunciar nos próximos dias que, por conta do aumento do imposto – o que refletirá no preço de insumos -, desistiu de reativar sua área de Redução. Esse setor voltaria a operar nos primeiros meses de 2017, gerando aproximadamente 1 mil empregos diretos e, ainda, 1,5 mil indiretos. São 2,5 mil postos de trabalho a menos, em uma empresa apenas.

VOTARAM CONTRA O POVO e pelo pacote de maldade do governador os deputados Bira do Pindaré (PSB), Ana do Gás (PCdoB), Cabo Campos (DEM), Carlinhos Florêncio (PHS), Levi Pontes (PCdoB), Edivaldo Holanda (PTC), Edson Araújo (PSL), Fábio Braga (SD), Fábio Macedo (PDT), Rigo Teles (PV), Valéria Macedo (PDT), Roberto Costa (PMDB), Graça Paz (PSL), Vinícius Louro (PR), Rogério Cafeteira (PSB), Zé Inácio (PT), Rafael Leitoa (PDT), Hemetério Weba (PV), Marco Aurélio (PCdoB), Sérgio Frota (PSDB), Ricardo Rios (SD), Léo Cunha (PSC), Júnior Verde (PRB), Stênio Rezende (DEM), Othelino Neto (PCdoB) e Francisca Primo (PCdoB).

VOTARAM A FAVOR DO POVO e contra as maldades do governador os deputados estaduais Adriano Sarney (PV), Eduardo Braide (PMN), Max Barros (PRP), Andrea Murad (PMDB), César Pires (PEN), Wellington do Curso (PP), Sousa Neto (Pros) e Edilázio Júnior (PV).

Uma bomba - Já se fala lá pelos ventos de Brasília que Rodrigo Maia já sentiu as dificuldades jurídicas para ficar na presidência da Câmara... Mas, pelos cantos, afirmam que ele será convidado pelo Temer para ser ministro... Assim é no Brasil, tudo igual – apesar do tempo!

E aqui no Maranhão, podes crer e escrever: O Flávio Dino é governador de um mandato só... E o visconde nunca será senador.

O que está acontecendo com a Gleisi?... Li agora no Cláudio Humberto: Também enrolada em acusações de corrupção, Gleisi Hoffmann (PT-PR) chama de “ativismo judicial” o indiciamento de Lula (pela terceira vez), Marisa e Marcelo Odebrecht por corrupção e lavagem de dinheiro.
  
Corrupção: Corrupção no Brasil virou caso de polícia, o número de B.O. aumenta todos os dias...

Muitos maranhenses em meditações de arrependimento pelo voto que deram ao Dino... O Flávio agora deu o troco com o pacote da maldade...