Busca

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Sede misericordiosos como o Pai

"Estimados Diocesanos. O tempo da Quaresma nos oferece a oportunidade para percorrermos um caminho de mudança de vida, de olharmos para dentro de nós mesmos e, à luz da fé em Jesus Cristo, tomarmos atitudes que fortaleçam a nossa comunhão com o Senhor e com os irmãos"Dom José Gislon - Bispo de Erexim

Sede misericordiosos como o Pai

Dom José Gislon
Bispo de Erexim

Fonte - CNBB

Estimados Diocesanos. O tempo da Quaresma nos oferece a oportunidade para percorrermos um caminho de mudança de vida, de olharmos para dentro de nós mesmos e, à luz da fé em Jesus Cristo, tomarmos atitudes que fortaleçam a nossa comunhão com o Senhor e com os irmãos.

Toda mudança de vida exige um desprendimento de certas atitudes, que nos ligam a situações que muitas vezes nos impedem de viver com dignidade a vida dom de Deus. Quando aceitamos abandonar o nosso modo de ver a realidade para abraçar aquela que o Senhor nos oferece através da sua misericórdia, podemos então perceber a sua graça agindo em nós, mesmo quando temos a sensação de estarmos caminhando sem ver a luz do seu amor iluminando os nossos passos.

A Igreja, para realizar a sua missão, sente a necessidade permanente de transmitir o Evangelho da misericórdia, para que seus filhos possam perceber a ternura de Deus, e assim se deixarem envolver pelo abraço da sua bondade. O Ano Santo do Jubileu da Misericórdia que estamos celebrando pode ser um momento especial em nossa vida de fé, porque podemos nos aproximar, contemplar e deixarmo-nos tocar pelo mistério da misericórdia, que emana do amor e do coração de Deus Pai pelos filhos e filhas que peregrinam neste mundo.

O amor que existe no nosso coração, quando se deixa tocar pela misericórdia de Deus, tem a força e o poder de romper as correntes do egoísmo e da indiferença, que muitas vezes nos impedem de ver a ação de Deus na nossa vida e a realidade em que vivem os menos favorecidos. Quando a misericórdia invade o nosso coração, podemos sentir que Deus está presente, e, assim, saindo de nós mesmos, podemos nos aproximar do mistério de Deus e dos outros. Por isso, creio ser oportuno recordar que é o amor que faz crescer, no ser humano, a solidariedade, a caridade, o compromisso e a responsabilidade pelo cuidado da vida e da Casa Comum.


Nenhum comentário: