Busca

sexta-feira, 13 de maio de 2016

O PMDB e os danos da Lava Jato

Crônica das 13 horas

Por Hélcio Silva 

(13/05/2016)


Um jovem inteligente me afirma categórico não acreditar no governo Temer e levanta algumas questões. Demonstra conhecer as entranhas da política brasileira, mesmo estando fora do Brasil. Provoco-o, e ele se aprofunda. Escrevo algumas coisas a respeito do impeachment, do governo Dilma e de Lula, e ele pensa que sou temista...  Rio no meu isolamento, sem que ele saiba que estou rindo!... Fala-me de sua preocupação com a Universidade brasileira na atual gestão Temer...

Caiu o contato. Não mais conversamos...

Fiquei feliz em saber de sua preocupação com a política e com o Brasil. Muitos jovens estão discutindo o Brasil. Isso é bom!

Mudei o botão: estou em outro canal...

Uma poltrona vazia! Faço assento. Confortável, me aprumo. Abro a página da Folha de São Paulo, livre na internet para ser lida:

Puxa!... Pôôôôôrrrrr!!!... Gente! Leio a primeira linha:

“Ou o futuro presidente Michel Temer garroteia a Lava Jato ou a Lava Jato deve devastar o seu governo.”

Continuo ou paro?!... Continuo a leitura:

“É esse cabo de guerra silencioso que aguarda o novo presidente. Por uma das ironias da história, a ascensão de Temer à Presidência coincide com o momento em que a cúpula do PMDB torna-se um dos focos principais da investigação da Lava Jato.”

E a leitura continua... Estou ainda confortável na poltrona, lendo:

“O problema para Temer não é só o número de envolvidos da cúpula do PMDB com suspeitas de propina, mas a proximidade deles com o novo presidente.”

Não devo parar, continuo a leitura:

“O grupo de suspeitos inclui o círculo que articulou com Temer o processo que culminou no afastamento da presidente Dilma Rousseff. Além do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afastado da Câmara pelo Supremo, são investigados na Lava Jato os ministros do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Romero Jucá, da Casa Civil, Eliseu Padilha, do Turismo, Henrique Alves, e da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, o senador Valdir Raupp (PMDB-RO), o ex-ministro Moreira Franco.
Jucá, o principal articulador político de Temer, é citado em delações de executivos da Camargo Corrêa e da Andrade Gutierrez como recebedor de suborno por causa de grandes obras no setor elétrico, como a usina nuclear Angra 3 e Belo Monte.”

Paro de ler. Tenho medo de um AVC..., mas sou prevenido... Levanto... 

Boto dois dedos de água num copo médio e uma colher de jalapa..., e tomo goela abaixo... Pronto! Tô livre do AVC.

Gente!... Já estando em idade de risco, com perigo à vista, acabei de ler, depois de almoçar uma pesada e gostosa feijoada, esta notícia bomba, acima citada, envolvendo a alta cúpula do PMDB de Temer mergulhada nas águas da Lava Jato... É de abalar! Quase vou a nocaute!

E lembrei-me do jovem, com quem conversava antes, a demonstrar-me não crê no governo Temer.

Nenhum comentário: