Busca

terça-feira, 21 de abril de 2015

A vida, a doença, a morte, o gestor público e Dona Dolores


Quando eu era garoto, lá pras bandas da rua Jansen Muller, havia uma vizinha – Dona Dolores - que por tudo que entendia provocar doenças, ela gritava: “chama a saúde pública”... E se ninguém chamava, ela chamava...
Água de esgoto correndo pela sarjeta a céu aberto, porco na rua fazendo cocô, cachorro doente nas ruas, lixo nos cantos com bicho morto, fumaça e tudo que ela entendia provocar doença, ela chamava os agentes da saúde pública... Ela arrumou algumas encrencas com alguns vizinhos: mas era defensora da saúde do povo!
São Luís era uma cidade de no máximo 150 mil habitantes, longe dos mais de Um Milhão de hoje...
E a cidade cresceu muito, e os problemas também. O grande desafio é a Saúde Pública....
Fala-se em construir hospitais, upas, socorrões e socorrinhos, e ainda os burocráticos centros de saúde...  Nunca nenhum desses modernismos de hoje é mais importante que a eficiência do “chama a saúde pública” de Dona Dolores... Aquele chamamento de Dona Dolores atendia mesmo e era entendido como medicina preventiva... Prevenir para não adoecer é melhor e mais barato que deixar adoecer para curar, o que muitas vezes não cura.
Hoje é diferente. Lixão pra todo lado, água de esgoto a céu aberto, os nossos amados bichinhos (gatos e cachorros) doentes e abandonados pelas ruas, lanchonetes e restaurantes funcionando sem fiscalização do poder público, comidas vendidas em ruas e praças sem os olhos da vigilância, poluição sonora, poluição visual, sujeira em feiras e mercados... Tudo isso sem a devida e atuante fiscalização sanitária. Não há também fiscalização eficiente nos hospitais e demais unidades de saúde.
Mas no Brasil existe um órgão federal criado para controlar e defender a saúde pública. Trata-se da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA  - conhecida pelos mais íntimos de Vigilância Sanitária... A Anvisa foi criada no governo Fernando Henrique Cardoso pela lei 9.782, de 26 de Janeiro de 1999.
Há hoje uma questão em debate sobre medicina preventiva e saúde pública... A Saúde Pública vem da ação e cuidado que o gestor público oferece e executa para que se tenha um ambiente saudável capaz de oferecer melhor qualidade de vida...  Medicina preventiva é uma especialidade da medicina que tem como objetivo prevenir doenças ou lesões ao invés de curá-las ou tratar seus sintomas, visando melhorar a qualidade de vida de seus usuários. A saúde pública precisa ser garantida com a presença da orientação e participação da medicina preventiva e, principalmente, com a boa vontade e responsabilidade do gestor público. A medicina preventiva melhora a qualidade de vida e custa menos que curar doenças.

Estou agora, nesta terça-feira do feriado de Tiradentes,  aqui na feira da Cohab, como poderia estar em qualquer feira ou mercado da cidade... Se estivesse como meu megafone gritaria perguntando: Onde está a Vigilância Sanitária?... Chama Dona Dolores!
De HS, direto da feira da Cohab, olhando que aqui tudo poderia ser bem diferente e melhor!


Nenhum comentário: