Busca

sábado, 18 de abril de 2015

Vovô Rufino e o menino! As cadeiras de rodas, o prefeito e a LBA


Casa do Vovô Rufino, na zona rural da ilha encantada - História de uma fantasia para revelar realidades...

Devo contar história? Sou sempre levado a contar uma historinha. Hoje é dia!..., de contar uma história.

O menino chegou cedo e se abancou no primeiro mocho de madeira, no varandão da casa do velho Rufino. Pediu café com bolo, mas só tinha pão dormido, daqueles de um dia pro outro: massa grossa.

- José! Como estão teus pais?

- Estão bem... Lá em casa, hoje, é café com farinha. Um punhadinho pra cada um, na caneca do café...

Como ele era contador de história – por isso chamado de vovô Rufino da história – começou sua falação sobre a LBA, enquanto José mordia o pão dormido, e agora molhado no café com leite...

- José! Estou relendo aqui a história da LBA que marcou época em nosso país. Ouves bem como é a história do Brasil – disse o velho Rufino, lendo parte de um texto do Wikipédia:

“A Legião Brasileira de Assistência (LBA) foi um órgão assistencial público brasileiro, fundado em 28 de agosto de 1942, pela então primeira-dama Darcy Vargas, com o objetivo de ajudar as famílias dos soldados enviados à Segunda Guerra Mundial, contando com o apoio da Federação das Associações Comerciais e da Confederação Nacional da Indústria.”

José!... Este é o primeiro texto que leio. Depois, a LBA tornou-se um grande órgão de assistência ao povo pobre brasileiro, prestando grandes serviços ao país. A LBA era forte e conhecida em todo Brasil.

- Vovô Rufino..., e cadê a LBA?

- Menino, a LBA acabou!...

- Como, se era tão boa? – perguntou José, cortando o que o velho Rufino falava...

- Olha bem, menino, vou ler o texto final para entenderes a história, como as coisas acontecem neste país nosso: 

“Em 1991, sob a gestão de Rosane Collor, foram feitas diversas denúncias de esquemas de desvios de verbas da LBA, como uma compra fraudulenta de 1,6 milhão de quilos de leite em pó. A LBA foi extinta através do art. 19, inciso I, da Medida Provisória nº 813, de 1º de janeiro de 1995, publicada no primeiro dia em que assumiu o governo o Presidente Fernando Henrique Cardoso. Na época da sua extinção estava vinculado ao Ministério do Bem-Estar do Menor”.

- Essa LBA tinha aqui na nossa cidade?

- Tinha sim – José - e funcionava na Rua de Nazaré, quase ao lado do antigo foto Mendonça... A LBA distribuía alimentos, principalmente leite em pó, e cadeiras de rodas para quem precisasse, sem fazer qualquer alarde político ou propaganda eleitoral.  Quando distribuía leite ou cadeiras de rodas, a LBA não levava a imprensa para fazer média...

- O prefeito daqui tá também distribuindo cadeiras de rodas... Deu 250 cadeiras de rodas...

- José... José... José... Ainda não entendes bem da coisa de hoje...  Esse projeto de distribuição de cadeiras de rodas é do Governo Federal, cópia do que fazia a LBA. Mas é tudo, como sempre foi, com o dinheiro do povo; e os prefeitos, como este ano é ano pré-eleitoral, usam o evento visando a eleição futura (reeleição). Fazem entrega solene, com muitas autoridades presentes e a mídia convocada para a divulgação da festa... Ficam enganando o povo para o povo pensar que foram eles (os prefeitos) os compradores do presente...  E são bonzinhos, ficam alegres e até beijinho tem!...

- Vovô, eles são caras de pau, caras de pau!

- Menino! O que é isso?!!!... Respeite as nossas autoridades... Termina teu café e vai pra casa estudar a lição!!!!... 

Conto de HS - direto das margens do rio Maioba... 

Nenhum comentário: