Busca

domingo, 6 de setembro de 2015

Coluna do Jersan

GOVERNO EMBARALHADO

Jersan Araújo


Declarações precipitadas, recuos, explicações não convincentes, por parte da presidente Dilma Rousseff e seus ministros; críticas contundentes nos plenários do Senado e da Câmara Federal ao dúbio governo petista marcaram a semana passada na Capital da República. A desaprovação do (dês) governo é crescente em todos os rincões do país. O vice-presidente Michel Temer (PMDB) declarou sexta-feira passada em São Paulo, que a toda poderosa não se sustentará por muito tempo, com essa impopularidade, à frente dos destinos do Brasil.

É cada vez mais confusa a posição de Rousseff diante dos diversos problemas. De repente ela não sabe como explicar ao Tribunal de Contas da União as 14 irregularidades constatadas na sua prestação de contas relativa a 2014, que se encontro em exame no TCU e que será julgada nos próximos dias. Não sabe como satisfazer o ministro da Fazenda, favorável a criação de mais impostos para cobrir o rompo do orçamento de 2015, muito menos o do planejamento, que é contra essa medida insuportável pelos contribuintes.

A presidente não sabe, também, como explicar o beneficiamento recebido pela sua campanha à reeleição em 2014, com o dinheiro sujo de propina dada pelos corruptos empresários, presos pela operação Lava Jato, da Polícia Federal. Não sabe, finalmente, como governar um país com divergências dentro do próprio governo se sobrepondo ao entendimento.

O Brasil está apodrecido. Pra todo lado que se olha é com olhar de desconfiança. Se mexer, fede. A corrupção é o câncer. Câncer agravado com a metástase, mas, os corruptos e corruptores, ao final, estarão salvos.

E enquanto a turbulência cresce, a presidente navega perigosamente na incerteza com relação ao presente e ao futuro do nosso amado Brasil.

É SÓ ROUBALHEIRA I

A roubalheira é indisfarçável. Demora chegar ao conhecimento do grande público, mas chega. O Tribunal de Contas do Estado desaprovou as contas de mais quatro ex-prefeitos maranhenses, por prática de improbidade administrativa, definição dada à corrupção. Aliás, dificilmente os tribunais de contas julgam prestações de prefeitos ainda no exercício do cargo. Quando o faz, como agora, os beneficiários do dinheiro público estão fora do mandato ou, às vezes, mortos. “E, defunto, não paga conta”. O fato mostra, no entanto, que são raros os homens públicos no Brasil, honestos, principalmente aqueles, no caso dos prefeitos, responsáveis pela administração do dinheiro público.

É SÓ ROUBALHEIRA II

Na Assembléia Legislativa, o suplente de deputado, no exercício do mandato, Toca Serra trocou agressões com Fernando Furtado, também suplente, por conta de questões ocorridas no município de Pedro do Rosário, um dos mais carentes do Estado. Furtado acusa o prefeito do município, irmão de Toca Serra, de praticar irregularidades e o Toca ameaça denunciar à polícia Federal e pedir investigação no sindicato que era presidido por Fernando Furtado. Vai vê que os dois estão com a razão, porque onde há fumaça, há fogo.

FESTA EM OLINDA NOVA

O município de Olinda Nova, encravado na Baixada Ocidental Maranhense, completa, hoje, 20 anos de emancipação político-administrativo. O prefeito Costinha elaborou uma grande programação festiva que teve início ontem (5) com a reinauguração da UBS (Unidade Básica de Saúde) no povoado Santa Rita e da Praça do Cristo (sede); inauguração de um poço artesiano no povoado de Pirandi. Dando seqüência, foi realizada Missa em Ação de Graças e show católico.

Para hoje, domingo, consta da programação: alvorada pelas ruas da cidade com início previsto para as 05 horas, “motocada”, café da manhã e corte do bolo, cavalgada, caminhada da saúde, reinauguração do Posto de Saúde do povoado de Sorocaba, culto e show evangélico.

A programação será encerrada amanhã (7) com raly, inauguração da Escola de Santa Rosa, desfile cívico e, finalmente, festa de encerramento, na “Praça Viva Olinda” que será animada pelas bandas musicais “Sedução”, “Fênix”, “Forró Top” e “Furacão do Forró”.

COM AMARILDO

Na semana passada o prefeito de São João Batista, Amarildo Pinheiro, reuniu o seu grupo político e definiu que será candidato à reeleição, no pleito do próximo ano. Os vereadores do grupo participaram do encontro, inclusive, Luís Everton que é do PCdoB e pretenso candidato a prefeito. Everton, no entanto, corre o risco de perder a legenda para o adversário de Amarildo, ex-prefeito Eduardo Dominici, líder de todas as pesquisas na disputa pela referida prefeitura.

Para observadores, o vereador Luís Everton, agora compromissado com Amarildo, deverá disputar mesmo é a reeleição ou ser o vice na chapa do atual prefeito. Só que, na última hipótese, deverá se transferir para outro partido, alinhado ao grupo de Amarildo, porque, pelo que se sabe, o PCdoB apoiará a candidatura de Eduardo Dominici. Nos próximos dias essas questões serão definidas.

É oportuno lembrar que os vereadores hoje determinados a caminhar com Amarildo, já o denunciaram publicamente, por prática de irregularidades administrativas e chegaram a anunciar o rompimento com o prefeito. Depois de uma “conversa” os “representantes do povo” voltaram atrás e continuaram apoiando a administração municipal. Portanto não seria prudente afirmar que o prefeito contará até as eleições, com o apoio de todo o grupo. Presume-se que, diante das “idas e voltas” dos vereadores poderão, no futuro, haver defecções. O tempo dirá.

ESTRADAS


Para quem está viajando ou vai viajar com destino à região da Baixada Maranhense, o cuidado deve ser redobrado com a buraqueira na rodovia MA-014 que liga Vitória do Mearim ao município de Pinheiro. O governo do Estado vai recuperá-la, espera-se.

Nenhum comentário: