Busca

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Vamos de ameixa...Vamos!


Finalmente descobri um texto com título Minha Vida, de autoria da dra Tamara Mazarack, onde leio as coisas boas da ameixa, essa doçura de fruta...  E a dra. Tamara afirma que a ameixa regula a função intestinal, ajuda na prevenção do diabetes e de doenças cardiovasculares, tem alto poder antioxidante e melhora a densidade óssea.
Ufa! Vou passar o texto agora para o leitor deste meu blog maluco que não tem lado político, mas tem rumo. E no rumo de hoje, encontrei a ameixa, essa doçura de fruto... 


Ameixa regula o trânsito intestinal e previne o diabetes

Minha Vida - Dra. Tamara Mazarack

A Prunus domestica, conhecida popularmente como ameixa, tem algumas dezenas de variedades, é uma fruta suculenta e doce, e pode ser consumida fresca ou desidratada. Dependendo do tipo, ela vai ter um perfil nutricional diverso. A ameixa regula a função intestinal, ajuda na prevenção do diabetes e de doenças cardiovasculares, tem alto poder antioxidante e melhora a densidade óssea.

Fruta nutritiva

Ambas as versões, fresca e seca, têm alta densidade nutricional e são ricas em compostos fenólicos (185 mg/100 g de ameixa seca) com ação antioxidante, como ácido clorogênico e antocianidina, o pigmento que dá a cor arroxeada da fruta. Ameixas também são fontes de fibras solúveis e insolúveis, que contribuem para uma série de efeitos benéficos no organismo.

A ameixa fresca, com apenas 25 calorias, apresenta um excelente teor de vitamina C (uma unidade contém 10% da necessidade diária básica ? RDA), vitamina A e potássio, um mineral que ajuda a controlar a pressão arterial.

Já a ameixa seca é desidratada e por isso fica mais doce e concentrada em açúcares simples (cinco unidades rendem 120 calorias), porém tem uma baixa carga glicêmica e não causa um aumento rápido nos níveis de açúcar no sangue, possivelmente por causa de seu alto teor de fibras (4 gramas em 5 unidades), frutose e sorbitol. Ela é boa fonte de vitamina A, complexo B, e contém muita vitamina K (40% da RDA), boro, cálcio, potássio e magnésio. 

Ação antioxidante

A ameixa (fresca e seca) tem sido objeto de várias pesquisas por seu elevado conteúdo de fitonutrientes, como ácido neoclorogênico e ácido clorogênico, que fazem parte do grupo dos polifenóis. Sua função antioxidante é bem documentada: estes dois ácidos neutralizam um radical livre muito danoso ao corpo, o superóxido, que oxida tecidos gordurosos, e assim estes fenóis ajudam a proteger as membranas celulares (de todas as células do corpo!) que são compostas de gordura. A ação antioxidante é reforçada pela presença generosa de vitamina C, vitamina A e antocianidina na fruta.

Protege contra a osteoporose

Um estudo clínico publicado na revista Aging Research Review (2009) sugere que ameixas secas podem ser capazes de reverter a osteoporose em mulheres na pós-menopausa. Na pesquisa as mulheres que consumiram cem gramas de ameixas (10 unidades) por dia tiveram uma melhora nos marcadores de formação óssea após apenas três meses, em comparação com o grupo controle. Outro estudo feito em 2011 e publicado no British Journal of Nutrition chegou a um resultado semelhante, confirmado pela melhora da densidade óssea no exame de densitometria. Este efeito benéfico na saúde dos ossos pode estar associado à sua alta concentração de boro e vitamina K, acompanhados de cálcio, três nutrientes diretamente ligados à formação de osso novo, prevenindo assim a ocorrência de osteopenia e osteoporose. 

Controla a glicemia e o apetite

Rica em fibra solúvel a ameixa ajuda a normalizar os níveis de açúcar no sangue porque reduz a velocidade de absorção da glicose (presente nos carboidratos) após uma refeição. A fibra solúvel também aumenta a sensibilidade à insulina e, portanto, pode desempenhar um papel útil na prevenção e tratamento de diabetes tipo 2. E tem mais: a fibra promove sensação de saciedade, então a ameixa é um excelente lanche ou sobremesa para quem quer perder peso, porque segura a fome por mais tempo ao retardar o tempo de esvaziamento gástrico.

Regula o intestino

A ameixa seca é conhecida por sua capacidade de prevenir a prisão de ventre. A fibra solúvel da fruta ajuda a aumentar o volume e a diminuir o tempo de trânsito da matéria fecal através do intestino, que vai funcionar como um relógio, diminuindo assim o risco de câncer de cólon e hemorroidas. A fibra insolúvel da ameixa alimenta as bactérias benéficas presentes no intestino grosso, que fermentam a fibra, resultando na produção de ácido butírico. Este ácido graxo funciona como o principal combustível para as células do intestino e contribui para manter o cólon saudável. Além das fibras, a ameixa contêm sorbitol, um laxante natural, que ajuda a reter água amolecendo as fezes.

Contraindicação

Ameixas secas contêm oxalato (11 mg em 5 unidades), o que pode ser um problema para quem forma cálculos renais (80% deles são de cristais de oxalato de cálcio). Quando há muita concentração de oxalato nos fluidos corporais, ele pode se cristalizar, causando a formação de pedras nos rins e na vesícula. Neste caso, a melhor opção é a ameixa fresca, que não apresenta quantidade significativa de oxalato.

Quanto e como comer

A quantidade indicada é de 1 a 2 ameixas frescas por dia, se ela for de tamanho grande. Se forem pequenas a porção aumenta para 3 a 4 unidades. Em relação às ameixas secas, a quantidade pode variar entre 5 a 10 unidades.

Ameixas são versáteis, podem ser consumidas ao natural, ou entrar no preparo de sucos e vitaminas, na salada de frutas, no preparo de compotas, mousses e gelatinas. Elas são bem-vindas em qualquer refeição do dia, no café da manhã, nos lanches, e como uma sobremesa saudável após as refeições principais.

Nenhum comentário: