Busca

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

A dor


Crônica do amanhecer

Por Hélcio Silva

(06 / 11 / 2015)

Ontem foi mais um dia que ela torceu meu corpo. Apertou! Fungou meu espinhaço, meu pescoço, e meteu suas unhas venenosas arranhando meu corpo... Quem é ela?...  É a dor!... Foi a dor, pois, ela já se foi!  Muitas dores novamente pelo corpo todo..., no dia de ontem!
Analgésico, anti-inflamatórios e muitas preces... e, no fim, mandei a dita/cuja para pqp... Não sei realmente onde fica esse (ou essa) tal de pqp, mas mandei-a pra lá... E ela foi. Espero que não volte mais... Ufa! Para os raios que as parta!
Todavia, entre dores e alívio – ainda ontem – ouvi o “Pingo nos IS” do chato do Reinaldo Azevedo, na Rádio Jovem Pan.
E o chato começa sua crônica assim: “A Folha informa na edição desta quinta-feira que o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) admitiu, sim, em conversa com aliados, vínculo com as contas secretas na Suíça das quais é apontado como beneficiário e que ele vai tentar provar em sua defesa, perante seus pares, que não mentiu quando negou na CPI que tivesse contas no exterior. Como?”
E vejam agora: Ele - o jornalista Reinaldo Azevedo - indaga na primeira gaveta de sua crônica com uma interrogação... Como?
O chato do Reinaldo quer saber como o Cunha vai provar que não mentiu na Comissão de Ética da Câmara Federal...
E o jornalista revela ainda, em seu comentário, que o Eduardo (o Eduardo, a quem o Reinaldo se refere, é o mentiroso conhecido por Cunha) teria dito que, com efeito, as contas não eram suas, mas de empresas suas (dele). Bem, empresas das quais ele era, reitere-se, beneficiário. Não me parece que vá colar, não é?..., duvida o chato do Reinaldo.
Dizem por aí que o Cunha tem sangue de barata... Frio... Afirma hoje, por exemplo, (vejam senhores!...), com o sangue mais frio e com um cinismo bem adocicado de cretinice, que as “dinheiramas” movimentadas no exterior nada têm a ver com os crimes do petrolão, já que teriam origem em negócios que ele teria feito nas décadas de 80 e 90, antes, portanto, dos crimes investigados no escândalo da petrolada...
E eu aqui – que recebi o nome de hélcio de jesus silva no livro cartorial lá nas décadas de 30 – fico pensando numa outra declaração de Eduardo Cunha. Ele disse que as contas no exterior são de empresas dele e não pessoalmente dele...  Ufa! E quem é o dono das quitandas milionárias com contas no exterior? 
E tem uma revelação final de que o Cunha não saberia da origem de 1,3 milhão de francos suíços depositados em sua conta em 2011 pelo lobista João Augusto Henriques, preso na Operação Lava Jato.
Sabem de uma coisa!?... Não?... Sou pássaro viajante, e tô, agora, em Upaon-Açu, com uma saudade danada de Curitiba... Mas quando estou em Curitiba fico com uma saudade arrebatadora de Upaon-Açu...
... E ainda bem que essas minhas saudades me fazem esquecer um pouco as espertezas do Cunha, da Dilma e do Lula...
Bom dia, gente! Até mais ver!...

Nenhum comentário: