Busca

sexta-feira, 15 de julho de 2016

UMA DOR QUE DÓI


Por Hélcio Silva

(São Luís, 15/07/2016 – às 19 horas)

Muita gente há por aí que não pensa que existe uma verdade que dói; nem sabe o tamanho da dor!
A notícia desta dor acontece todos os dias com muitos que sofrem em silêncio e só os olhos que se olham entendem o tamanho da dor...
É um pai que olha um filho pedindo com os olhos o que o pai não pode dar... É uma mãe, de olhar silencioso, que, com carinho, abraça o filho que sofre a dor de uma fome sem fim...
É o que se passa num barraco sem luz, sem água tratada e sem comida, com pratos limpos..., sem arroz..., onde nem a farinha farta mais a fome que dói!..., porque a farinha sumiu e o feijão nem mais existe...
E poucos são os que se importam com a fome dos que têm fome...
Gente! Aqui no Maranhão tem muita gente passando fome... E a mídia, principalmente a grande mídia, preocupa-se mais com os duelos políticos entre os poderosos ricos que dominam o poder...
Precisamos visitar os barracos da fome... E visitar não para pedir votos, mas, principalmente, para levar votos de amor, de apoio, de esperança, de ajuda...
Há sim – e como há – gente com fome!
O Brasil precisa mudar. Não pode haver tanta riqueza nas mãos de poucos, enquanto uma multidão de pobres sofre as maiores injustiças sociais, sem direito, sequer, aos serviços básicos estabelecidos na constituição brasileira...

Nenhum comentário: