Busca

domingo, 7 de agosto de 2016

Crônica de Ana Campos




                                AMOR


 Ana Campos*


Aquela palavra que tanto prazer nos dá em pronunciar...

É palavra pequena, mas com tantos formatos... Ela que é tão inspiradora para escrever um romance, para a realização de um filme, para a construção de um lar...

___ Ai o amor... Tanto se poderia dizer sobre ele?... Ele, que é a maior dádiva que vem de nós, para o outro, ou tão somente para nós. É doação, entrega, fidelidade e tão sereno... E quantas vezes silencioso? Mas também é barulhento, e quando assim é... Vem acompanhado de tambores, trombetes, sinos... E faz uma festa.

E quando é apenas instrumental? Te traz aquela sonoridade suave, te toca levemente, como uma borboleta, como um beija_flor... São os cânticos da natureza a te despertar... 

Não faças nada. É a voz do amor a chegar... Mas o amor também pode ser dor, saudade... Quantas vezes é grito? É ferida? E não cicatriza!...

É como um rio correndo dentro de ti... Algumas vezes, paixão, outras alucinação, umas sonho, outras perdição!... Ele arde como uma brasa e queima o coração... Mas que grande ponto de interrogação???

Mas afinal o que é o amor? Será que o vês? Será que o ouves? Será que o sentes? Ou será que o dás? O amor será provavelmente, a palavra mais enigmática, o sentimento mais poderoso, mais profundo, mais arrebatador... Ele te faz caminhar por várias estradas... Mas só uma será a estrada luminosa, florida, onde os pássaros sobrevoam e onde tu és feliz!

É essa a verdadeira estrada do amor!

Se encontraste o caminho, não o percas, porque encontraste o amor!...

*Ana Campos é escritora, cronista portuguesa. As crônicas de Ana Campos são transmitidas semanalmente, às sextas-feiras, pela Rádio Portuguesa do VAR

Nenhum comentário: