Busca

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Nova poesia de Anaira

REALIDADES IRREAIS

Encontrei em meu caminho
Um abismo profundo
E um mar misterioso
Não sei se estou caindo
Ou me afogando
Apenas rezo
Para que se eu cair
Caia como uma pena
Se eu me afogar
Afogue como um peixe.
E o relógio não parou nem por um segundo
Para secar as minhas lágrimas
E as bolsas de valores continuam
Comprando e vendendo.
O ciclo da vida continua...
Nascendo, crescendo, reproduzindo
E morrendo...
As árvores continuam a fazer fotossíntese
Tudo continua quase igual...
Só as pessoas mudaram
Agora elas tem amigos imaginários
E isso é normal!
Elas se alimentam de comida pronta
Decorada de química!
Elas correm atrás do vento
Com a intenção de segurá-lo...
Bobagem!
Sexo não é mais real
Agora é online!
E os sentimentos?
Esses nós congelamos em nitrogênio
Como se fosse esperma
Esperando um útero voluntário
Para que possamos finalmente
Concretizar nossos sonhos
De ter um sentimento crescendo
Até formar um Humano!

(Anaira Mafeoli)




Nenhum comentário: