Busca

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Hospitais de Curitiba ampliam atendimento com recursos do Estado


O Governo do Paraná já destinou mais de R$ 9,1 milhões para ampliar a capacidade de atendimento em 10 hospitais de Curitiba. O incentivo foi autorizado em junho deste ano pelo governador Beto Richa e é repassado diretamente à Prefeitura. A medida faz parte de uma série de ações para aumentar a oferta de consultas, exames, cirurgias e internações nos serviços de saúde da Capital.

Richa diz que o investimento demonstra a preocupação do Governo do Estado com a saúde dos curitibanos. “Trata-se de um recurso inédito que estamos destinando para fortalecer os hospitais públicos e filantrópicos de Curitiba. O objetivo é garantir que a população tenha acesso a um atendimento mais ágil, qualificado e humano”, destacou o governador.

Até 2017, mais R$ 24 milhões serão aplicados na Capital por meio deste incentivo estadual. O valor é dividido em parcelas mensais de R$ 3 milhões. “Este é apenas um dos investimentos que estamos fazendo na área da saúde em Curitiba. Em breve, teremos o anexo da mulher do Hospital do Trabalhador, o heliponto do Hospital Cajuru, o banco de tecidos da Santa Casa e o novo Erastinho, unidade especializada no tratamento do câncer infantil”, afirma Richa.

EXEMPLO – Entre as unidades beneficiadas com os repasses adicionais está o Hospital Evangélico de Curitiba. Com 95% de sua estrutura voltada ao SUS, o serviço atende grande parte da demanda de urgência e emergência. Além disso, é referência regional da Rede Mãe Paranaense, com o atendimento a gestantes e bebês de alto risco.

De acordo com o interventor do hospital, Carlos Alberto Miguez de Senna Motta, o aporte do Estado ajuda as entidades filantrópicas a equilibrarem as contas e permite que elas tenham condições de manter o atendimento ao SUS. “Desde dezembro vínhamos atendendo mais pacientes do que o contratado com a Prefeitura. No entanto, não recebíamos mais por este acréscimo na produção. Com a iniciativa do Estado, estamos podendo cobrir esta despesa”, disse.

Motta diz ainda que o hospital conseguiu ampliar em cerca de 15% sua capacidade de atendimento, o que inclui aumento no número de internações, consultas ambulatoriais, exames complementares e serviços do pronto-socorro. “Foi possível também abrir mais 10 leitos de UTI adulto, oferecendo mais estrutura àqueles pacientes com quadros mais graves e que necessitam de acompanhamento especializado”, afirmou.

Atualmente, o Hospital Evangélico de Curitiba conta com 434 leitos gerais, sendo 373 disponíveis à rede pública de saúde. Ao todo, são 35 leitos de UTI adulto e mais 25 de UTI neonatal, para assistência a recém-nascidos.

Além do Evangélico, também recebem o incentivo estadual o Hospital de Clínicas da UFPR, Hospital Pequeno Príncipe, Santa Casa de Curitiba, Hospital Cajuru, Hospital do Trabalhador, Hospital do Idoso Zilda Arns, Hospital Erasto Gaertner, Hospital São Vicente e Hospital da Cruz Vermelha.

INÉDITO – O secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, lembra que o Paraná é o único Estado do país a aplicar recursos próprios no teto financeiro de média e alta complexidade do SUS. “A intenção é ampliar a oferta e reduzir o tempo de espera por uma série de procedimentos, garantindo melhores condições de diagnóstico e tratamento aos paranaenses”, ressaltou.

O incentivo pode ser utilizado em exames como ultrassonografia, endoscopia, ressonância, ecocardiografia; consultas oftalmológicas e ortopédicas; cirurgias vasculares e ortopédicas; e leitos de UTI adulto e pediátrico para retaguarda de urgência e emergência. O repasse também vai fortalecer o mutirão paranaense de cirurgias eletivas com a ampliação da oferta de procedimentos cirúrgicos que não são de urgência.


Nenhum comentário: