Busca

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Em reunião da ONU, FAO lança plano para combater escassez de água

Agência participa da Conferência sobre Mudança Climática, COP22, em Marrakech; chefe da FAO, Graziano da Silva, afirmou que segurança de alimentos também é fundamental.


Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, José Graziano da Silva, afirmou que "o mundo deve aumentar as ações para combater a mudança climática".
Nesta quarta-feira, na Conferência sobre Mudança Climática, COP22, em Marrakech, no Marrocos, Graziano da Silva disse que os impactos já podem ser sentidos na agricultura, incluindo nas colheitas, florestas, pesca, animais, terra e água.

Esforços Globais

Segundo ele, esses efeitos estão minando os esforços globais para garantir segurança alimentar e nutrição para a população mundial.
A FAO lançou na COP22 o Quadro Global de Ação para Lidar com a Escassez de Água.

A agência afirmou que esse já é um problema mundial e que vai se intensificar com a mudança climática e com as pressões ligadas ao aumento populacional.
Graziano da Silva deixou claro que "a escassez de água é um dos principais desafios para uma agricultura sustentável". Ele falou à Rádio ONU, de Marrakech, no Marrocos.
"É muito importante entender que a agricultura é o único setor que tem uma dupla potencialidade. De um lado, a necessidade de se adaptar a um pacto de mudança climática porque a mudança climática afeta a nossa segurança alimentar. Mas do outro lado, à medida que a agricultura se adapta, ela também reduz a emissão de gases de efeito estufa. Então, ela mitiga o efeito da mudança climática. É o único setor que pode fazer isso."
Ele pediu aos países mais ajuda para combater o problema e disse que "para milhões de pessoas, as ações tomadas pela comunidade internacional podem representar a diferença entre a pobreza e a prosperidade e entre a fome e a segurança alimentar".

Programas de Resiliência

Para o chefe da FAO, a agricultura e a segurança de alimentos são partes centrais na ação para combater a mudança climática.
Graziano da Silva deixou claro que "chegou a hora dos países investirem em programas de resiliência ao clima e sustentabilidade na agricultura" como parte fundamental da solução para o problema do aquecimento global.
Ele explicou que apesar da agricultura ser responsável por quase 20% das emissões de gases que causam o efeito estufa, o setor é parte crucial da solução para aumentar a resiliência e combater os impactos da mudança climática.

Ameaça Tripla

Graziano da Silva disse que a melhora do setor agrícola pode reduzir a desnutrição e a pobreza, criar novas oportunidades econômicas e gerar um crescimento mais rápido e justo, especialmente para os jovens.
O diretor-geral da FAO afirmou que o mundo deve transformar a agricultura para deixá-la mais produtiva e mais resiliente ao mesmo tempo.
Ele declarou que essa "transformação vai ajudar a comunidade internacional a lidar com a ameaça tripla da fome, pobreza e mudança climática".



Nenhum comentário: