Busca

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

ONU: quase 2 bilhões de crianças vivem em áreas de alta poluição do ar

Fonte – Radio ONU

Unicef alerta que 300 milhões estão em regiões onde o índice de poluição é seis vezes maior do que os limites internacionais; agência pede ação global urgente para combater o problema.

                      Criança em Dhaka, no Bangladesh. Foto: Unicef/UNI9946/Noorani

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

Um relatório divulgado esta segunda-feira pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, afirma que cerca de 2 bilhões de crianças vivem em áreas onde a poluição do ar supera os índices internacionais.
Além disso, a agência da ONU alerta que desse total, 300 milhões estão em regiões que registram um nível de poluição do ar seis vezes mais alto do que os padrões determinados pela Organização Mundial da Saúde, OMS.
Satélite
O documento, cujo título é "Limpe o Ar para as Crianças" utiliza imagens de satélite para mostrar pela primeira vez quantos menores de idade estão expostos à poluição do ar.
O Unicef pediu aos líderes mundiais que adotem medidas urgentes para reduzir a poluição em seus países. O resultado foi divulgado uma semana antes da reunião sobre o clima, COP22, em Marrakesh, no Marrocos.
O diretor-executivo da agência da ONU, Anthony Lake, afirmou que "a poluição do ar é um dos principais fatores para a morte de 600 mil crianças com menos de cinco anos no mundo".
Lake disse ainda que o problema também ameaça a vida e o futuro de milhões de pessoas no mundo diariamente.

Ásia e África

Segundo o Unicef, a poluição do ar é causada por diversos fatores, como por exemplo as emissões de gases dos automóveis, alto uso de combustíveis fósseis, poeira e a queima de lixo.
O sul da Ásia é a região que abriga o maior número de crianças vivendo em áreas com alto índice de poluição do ar: são 620 milhões, seguida pela África, com 520 milhões.
O leste da Ásia e a região do Pacífico têm aproximadamente 450 milhões de crianças vivendo nessas condições.


Cerca de 2 bilhões de crianças vivem em áreas onde a poluição interna e externa excedem limites internacionais. Fonte: Unicef

O relatório mostra ainda que a poluição externa e a interna, dentro das residências, estão diretamente ligadas a casos de pneumonia e outras doenças respiratórias, responsáveis por 10% das mortes de crianças menores de cinco anos.
A agência afirmou que as crianças são mais suscetíveis que os adultos a esses dois tipos de poluição porque seus pulmões, cérebro e o sistema de imunidade estão em desenvolvimento e suas vias respiratórias são mais permeáveis.
O Unicef quer que os líderes mundiais que vão participar da COP22 reduzam a poluição do ar em seus países, aumentem o acesso das crianças a cuidados de saúde, diminuam a exposição dos menores de idade ao ar poluído e monitorem os índices de poluição atmosférica.

Nenhum comentário: