Busca

domingo, 2 de abril de 2017

Poema de Raimunda Lucinda Martins

BUQUÊ DE SENTIMENTOS/EMOÇÕES









Há um buquê de sentimentos
dentro da gente
É feito de amor,
de alegria, de felicidade,
de desejos recolhidos,
de vontades esvoaçantes,
de tempos estranhos,
de horas de retraimentos,
de sensações loucas,
de sonhos loucos,
de pensamentos frágeis...
Há um buquê de sentimentos
dentro da gente
que explode em dado instante
que vem a tona sem nos darmos conta
basta um olhar para dentro de nós mesmos
que nos faz descobrir o que nem tínhamos
sequer ideia de que existia no nosso eu
Afinal, somos carne, matéria,
por vezes sensíveis ao que está roçando em nós,
por vezes sensíveis a uma fala mansa,
a uma palavra lida, escrita,
a letra de uma musica que revolve
o nosso passado, que traz para diante de nossos
olhos, aquilo que ficou na lembrança,
e que a um segundo se desvela...
Eu, neste buquê de sentimentos,
resolvo viver intensamente,
como se a idade não existisse,
só tivesse em mim este exato segundo,
onde o presente é tudo que vivi,
e o tempo que se foi,
se tornou poeira e se desmanchou
rumo aos céus...
Ah, somos infinitos!
Emoções, sentimentos,
explodam
revirem-me
descontrolem-me
mas depois
me recria
me inspira
me faz voltar ao momento
do antes misturado ao depois
como sequencia
de uma história que acabou de ser
iniciada a ser escrita...
Esta sou eu com meu buquê de sentimentos
que não vê hora
e nem porque para deixar de ser e fazer das suas...
Chorar...
Sorrir...
Gritar se tiver vontade...
Encolher-se num canto
deixando a poeira do tempo baixar
sem nada de contagem de horas
o agora é o que importa...
e viva nós em constante (re/in) criação...
**************************
Quer entender? Simples, sou Mulher,
em permanente (des) controle de emoções...

(01/04/2017)

Raimunda Lucinda Martins

Nenhum comentário: