Busca

domingo, 2 de abril de 2017

POEMA: TERREIRO DE UMBANDA

Por Zé Fermino do Bonfim


Terreiro é Embaixada da Aruanda, no tumulto da Humanidade
É Território da Caridade onde só se faz o que Oxalá manda.

Terreiro é porto seguro, abençoado cais
É celeiro de Alimento Espiritual;
Terreiro é canteiro de Obras Astrais
É Templo, Escola, Farmácia e Hospital.

Terreiro é Fortaleza e abrigo de toda gente
É Oficina do Caráter e da Mente;
Terreiro é Mansão Humilde, Terreiro é Casebre Imponente.

Terreiro é Cristal minúsculo, que reflete a Imensidão
Terreiro é lâmpada da Fé acesa, no Santuário do Coração.

 Terreiro é teatro e consultório onde o Doutor de saber notório
Na forma de Preto Velho simplório,
Semeia a Paz e a Mansidão.

Terreiro é Sintese da Raça Humana
É fonte de luz de onde emana
Alegria, Paz, Amor, Harmonia e Compaixão.

Terreiro é chakra que gira como girasol no verão,
Girando a Roda da Vida, no sentido da Evolução.

Terreiro é Portal de Comunicação
É ponto de encontro do Destino
Terreiro é elo de ligação, entre o Humano e o Divino.

Terreiro é Espaço Sagrado, onde o Tempo desaparece
Ao som de um ponto cantado, a mais linda Prece.

Terreiro, mesmo pequenino, abraça o mundo inteiro
Se o planeta é uma Aldeia, Seu Pajé é o Caboclo brasileiro!

 ( Jornal Umbanda Sagrada, por Zé Fermino do Bonfim, médium Vanderley Alves)


Nenhum comentário: