Busca

quarta-feira, 14 de junho de 2017

OMS quer incentivar doação de sangue global

Iniciativa faz parte da campanha deste ano para marcar o Dia Mundial do Doador de Sangue, esta quarta-feira, 14 de junho; ONU diz que 112,5 milhões de doações são coletadas no mundo anualmente.

Edgard Júnior, da ONU News em Nova Iorque.


A Organização Mundial da Saúde, OMS, lançou uma campanha para incentivar e aumentar as doações de sangue no mundo inteiro.

A iniciativa marca o Dia Mundial do Doador de Sangue, esta quarta-feira, 14 de junho. A agência da ONU pergunta O que você pode fazer? E a resposta é: "Doe Sangue. Doe Agora. Doe Sempre."

Brasil

De São Paulo, o médico da Fundação Pró-Sangue, ligada ao governo do Estado de São Paulo, no Brasil, Carlos Roberto Jorge, falou à ONU News, sobre a situação das doações de sangue no país.

"A situação aqui no Brasil está bem aquém do que a gente precisaria ter. A Organização Mundial da Saúde especifica que pelo menos 5%, de 4 a 5% da população, doe sangue. 

Nós temos aqui menos de 2%, por volta de 1,9%. Então isso tem que ser incentivado, principalmente aqui em São Paulo, nós tivemos uma queda desde março aqui na Fundação Pró-Sangue, que é o maior hemocentro de São Paulo, aliás é o maior hemocentro do Brasil, nós tivemos uma queda de de 50% nas nossas coletas."

Segundo a OMS, todos os anos são coletadas 112,5 milhões de doações de sangue globais, metade delas está em países de alta renda. O problema é que essas nações representam somente 19% da população mundial.

A média em países ricos é de 32 doações para cada mil pessoas por ano. Nas nações de média renda, esse número não chega a oito doações e nos países pobres, são apenas 4,5 doações de sangue para cada mil pessoas.

Segundo a ONU, as vidas e a saúde de milhões de pessoas são afetadas por emergências todos os anos. Na última década, desastres naturais como terremotos, enchentes e tempestades causaram mais de 1 milhão de mortes no planeta.

A transfusão de sangue é um componente essencial durante emergências no sistema de saúde.

Objetivo

O objetivo da campanha da OMS é encorajar as pessoas a doarem sangue e fazer com que os governos criem programas nacionais de doação de sangue para responder em casos de necessidade.

Para a ONU é importante incluir os serviços de transfusão nas estratégias de prontidão e resposta durante emergências.

Além disso, é preciso chamar a atenção da população para o problema da falta de doações e celebrar, agradecer e incentivar as pessoas que doam sangue e a participação de novos doadores.

A OMS explica que as doações de sangue de apenas 1% da população de qualquer país seria suficiente para atender as necessidades básicas do sistema de saúde, mas isso não acontece.

Todo o sangue doado deve ser examinado para HIV, hepatite B e C e sífilis antes de qualquer tipo de transfusão.

A agência da ONU diz que 35 países não têm condições de testar todo o material doado, as razões para isso vão desde a falta de pessoal qualificado até a falta de equipamento para executar a tarefa.

O evento global da campanha este ano vai ser realizado na cidade de Hanói, no Vietnã.

Nenhum comentário: