Busca

terça-feira, 6 de junho de 2017

Sobre o caso do Escândalo na Saúde Pública do Maranhão

Sem Explicações

Da coluna Estado Maior do Jornal  Estado do Maranhão.

"Enrolado com a revelação de que um de seus prestadores de serviços na área da Saúde desviou pelo menos R$ 18 milhões em contratos com o estado, o governo Flávio Dino (PCdoB), ao invés de dar explicações, preferiu – como sempre – responsabilizar a gestão anterior.
Mas os documentos contradizem os comunistas. O Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Pessoa, o IDAC, assinou nada menos que quatro acordos de trabalho no governo Flávio Dino – dois contratos e dois aditivos -, totalizando mais de R$ 220 milhões. E todos os contratos sem licitação.
O primeiro deles se deu ainda na gestão de Marcos Pacheco, em 2015. Foi um contrato de R$ 18,9 milhões, aditivado três meses depois. Ainda em 2015, o IDAC abocanhou mais um contrato sem licitação na gestão comunista, desta vez no valor de R$ 102 milhões, para gerenciar unidades de saúde no interior.
Este contrato foi aditivado por igual valor um ano depois, totalizando R$ 204 milhões para o IDAC cuidar dos hospitais no interior.
Caberia ao governo Flávio Dino tão somente justificar por que manteve contratos com o instituto e se há intenção de cancelar o acordo. Mas prefere deixar de lado as explicações."

*******

Chega impunidade...

O que se fala desse escândalo não pode ficar só no falar... Tudo precisa ser apurado: chega de impunidade!


Nenhum comentário: