Busca

sábado, 26 de maio de 2018

Um poema de Adélia Prado



AMOR VIOLETA

O amor me fere é debaixo do braço,
de um vão entre as costelas.
Atinge meu coração é por esta via inclinada.
Eu ponho o amor no pilão com cinza
e grão de roxo e soco. Macero ele,
faço dele cataplasma
e ponho sobre a ferida.

( Adélia Prado )
(Do livro Bagagem. Rio de Janeiro: Record, 2011. p. 83)

Nenhum comentário: