Busca

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Professores da rede municipal de Curitiba participam de cursos para uso da tecnologia no ensino


A Secretaria Municipal da Educação está promovendo oficinas para orientar e incentivar os profissionais da educação a explorarem o uso de recursos tecnológicos em sala de aula. São cursos nas áreas de imagem e vídeo, recursos do programa Office, criação de jogos e uso de editores de imagem online que integram a programação da Semana de Tecnologia (Sematec). O evento acontece até sexta-feira (28) no Centro de Formação Continuada da Educação, no Centro.

A Sematec é promovida pela Gerência de Tecnologias Educacionais como uma das ações do projeto EduTecnologia, cujo objetivo é inserir e aperfeiçoar as ações de tecnologia no cotidiano do profissional da educação. O evento tem sido o ponto de partida para muitos profissionais que têm vontade de trabalhar com recursos tecnológicos em sala de aula, como a professora Priscila Markir Barth, da Escola Municipal CEI do Expedicionário, no Novo Mundo.

Há três anos, após participar das primeiras formações na área, a professora adotou recursos tecnológicos nas práticas desenvolvidas com 150 estudantes de turmas do 1º ao 4º ano, na oficina de Ciência e Tecnologia. A partir da formação recebida, a professora iniciou atividades com edição de texto, jornal eletrônico na escola, gravação e edição em áudio e vídeo. Câmeras fotográficas, celulares, netbooks e outros equipamentos eletrônicos também foram incluídos na realização das atividades.

“Ensinar com tecnologia é aprender a mediar conteúdo pelo recurso, e isso sempre ciente de que o conhecimento precisa ser contextualizado”, diz Priscila. O bom resultado com os estudantes a motivou a professora a buscar mais formação e a ampliar as atividades de ensino integradas à tecnologia. “Como esta área me interessa muito, percebo que com a minha vivência outros professores também vão se interessando pelo assunto. Com isso estamos propagando uma nova forma de pensar a tecnologia na educação”, diz a professora.

Em 2014 a professora participou de formações da Sematec para aperfeiçoar o trabalho com vídeo em sala. Neste ano, Priscila está complementando a formação. “Temos a uma grande chance de aprofundar o conhecimento em tecnologia, além de saber quais são as novidades na área, que está sempre se inovando”, diz a professora.

Softwares livres

O que aprende na Sematec Priscila logo incorpora na proposta pedagógica da escola. Na turma do 3º ano, por exemplo, os estudantes reforçam em pesquisas pela internet o que aprenderam sobre gêneros textuais e usando softwares livres os meninos e meninas exercitaram a construção de diferentes tipos de textos, em forma de quadrinhos, tirinhas e charges. O gênero opinião, por exemplo, foi aprendido com o auxílio de um recurso que permite a gravação de arquivos de áudio, o podcast. Com eles as crianças gravaram entrevistas após terem feito pesquisas e debatido o assunto.

O estudante Vitor Enzo Pedroso, de 9 anos percebeu logo como os conteúdos podem se tornar mais interessantes a partir da associação dos temas à tecnologia. Além dos recursos apresentados pela professora o estudante tem buscado novos conteúdos fora da sala de aula. “Eu aprendo com a professora e depois investigo mais em casa e acredito que com isso eu melhorei muito minha atenção e vontade de aprender, principalmente as atividades de raciocínio”, diz Vitor.

O estudante está aprendendo a fazer programação usando o software Scratch e está desenvolvendo um jogo eletrônico baseado no aplicativo Five Night at Freddy’s. A estudante Cauana dos Reis Ferreira, de 9 anos também decobriu um talento, o de fotografar, usando as tecnologias para aprender. A paixão da menina pela fotografia surgiu na sala de aula, quando a professora usou o recurso para uma aula sobre o entorno da escola. “Eu amo fotografar, aprendi a usar a câmera na escola e agora registro nossos trabalhos. É legal para que os colegas se vejam em ação, estou fazendo o diário da escola”, diz Cauana.

Cada vez mais presente na prática pedagógica o uso integrado e contextualizado dos recursos tecnológicos digitais ao currículo tem contribuído para o processo de ensino e aprendizagem. “As tecnologias avançam com uma velocidade cada vez maior em todos os setores da sociedade e a educação não pode ficar alheia a isso”, diz a gerente de Tecnologias Educacionais da Secretaria Municipal da Educação, Fabrícia Gomes.

As edições da Sematec, iniciadas em 2013 e realizadas anualmente, foram programadas para atender à demanda crescente de profissionais da educação preocupados com as linguagens da tecnologia da informação e da comunicação na sala de aula. “Se quisermos ser professores do nosso tempo precisamos nos aperfeiçoar constantemente”, diz Fabrícia Gomes.

Com a finalidade de investir em tecnologia na área pedagógica, a Secretaria Municipal da Educação promove ao longo de todo o ano, cursos de formação para professores. O objetivo é contribuir para que os profissionais se apropriem das ferramentas e conteúdos e incorporem as tecnologias educacionais à rotina escolar.

A formação ministrada pelo Departamento de Tecnologia e Difusão Educacional reúne cursos, oficinais, encontros presenciais e tutoria à distância para capacitar os profissionais para um trabalho no processo de ensino cada vez mais voltado à tecnologia. A equipe também é responsável pelo Projeto Edutecnologia que oferece cursos rápidos, presenciais e a distância, oficinas, palestras, vídeos educativos sempre com abordagens sobre como tornar o dia a dia mais fácil usando aparelhos celulares, câmeras fotográficas, computadores, aplicativos e demais tecnologias. Grande parte das informações é repassada em vídeoaulas curtas, pela internet, por meio da página eletrônica do projeto.

Os projetos para a formação continuada nesta área foram apresentados como destaque no início deste mês durante a Conferência Aprendizagem Móvel no Brasil: olhares locais e globais sobre as políticas públicas e o futuro, realizada em Brasília (DF) pelo Centro de Estudos Brasileiros da Universidade de Colúmbia.


Nenhum comentário: