Busca

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Para Líder, governo quer, mais uma vez, empurrar para a sociedade o custo do ajuste


Para o Líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), a proposta de redução do déficit fiscal apresentada hoje é insuficiente em relação ao corte de despesas.
Ao não anunciar o corte de ministérios e cargos comissionados, o governo aprofunda ainda mais o arrocho, já que, mais uma vez, quer que a sociedade arque com a parte mais pesada do ajuste, como o aumento de impostos, os cortes em benefícios e programas sociais e ainda de investimentos.
“Em se tratando de um governo que se reelegeu mentindo aos brasileiros, não duvido nada que os cortes em ministérios e cargos de confiança não saiam do papel. Mais uma vez o governo quer empurrar a conta goela abaixo do contribuinte. O que a presidente Dilma pretende é fazer com que os brasileiros sejam os fiadores do déficit pelo qual ela é a principal responsável, mas não quer pagar a conta, cortando na própria carne”, afirmou Sampaio.
De acordo com o Líder do PSDB, a bancada tucana cobrará a redução nos ministérios e cargos, já que, “infelizmente estamos diante de um governo sem palavra, que faz o contrário do que promete”. Por outro lado, irá combater no Congresso o aumento da carga tributária “porque a sociedade não aguenta mais pagar impostos”.
Para Sampaio, o anúncio das medidas do ajuste sem a redução da máquina administrativa evidencia a pouca disposição da presidente em cortar na carne. “O governo quer empurrar os custos para os brasileiros, já fortemente penalizados com a perda de renda, de empregos e de perspectivas. São vítimas de um governo incompetente, irresponsável e inoperante, que levou o país ao fundo do poço”, afirmou o Líder do PSDB.

Nenhum comentário: