Busca

sábado, 27 de agosto de 2016

Crônica do amanhecer

Tá tudo tão diferente!

(27/08/2016)

Hélcio Silva


Caboclo bom lá no meu sertão quando sai pra roça leva a enxada e o facão, o gadanho e um vira-lata margeando seu caminho.

É o trabalhador brasileiro que trabalha pela pátria, planta na terra, colhe no tempo certo todo o produto que, com a mãe natureza, ajudou a produzir... É o homem do campo!

E os nossos políticos de hoje não mais estão preocupados com o homem do campo...

Que comunista de hoje lembra as Ligas Camponesas que foram organizações de camponeses formadas pelo Partido Comunista Brasileiro, a partir de 1945?

Na minha terra, esses comunistas de hoje não conhecem o trabalho do campo. 

Estão todos engravatados no reinado do Dino, também engravatado...

Aliás, o homem do campo foi expulso... Aquela reforma agrária sonhada é só bandeira pra campanha política.

E o nosso querido Francisco Julião, um dos líderes da liga, onde está?... O Chico morreu em 1999...

Até que ficou um Julião no Maranhão, mas, esse é só “Amim”...

E o homem do campo perdeu espaço!

“A voz que vem dos campos!” - Lembram?

“A voz que vem dos campos” era o grito da luta!

O Julião do Maranhão lembra, hoje, somente do Dino e, para fortalecer sua posição, alia-se ao Visconde!... Nada de “a voz que vem dos campos”.

Esqueceram o trabalhador rural...

E pensar que o João Amazonas abriu o portão vermelho “pré” gente que de comunista não tem nem o lero-lero!... Tudo enganação...

Hoje é tudo tão diferente!... Mas tão diferente!...

- Cala a boca, Hélcio!... Vai tomar teu café!...

Então amigos, até mais ver!... Vou mesmo tomar meu café...

Nenhum comentário: