Busca

terça-feira, 13 de setembro de 2016

A última quimera.

Hélcio Silva

(13/09/2016)

Amanheci o dia com a volta da tosse... “cof...cof...cof”...

A minha gripe já dura um tempão!

Liguei na Jovem Pan...

Reinaldo Azevedo










E o chato do Reinaldo Azevedo, representante autêntico da direita brasileira, declamava a poesia “Versos Íntimos”, de Augusto dos Anjos...  E disse estar a oferecê-la ao cassado Eduardo Cunha...
E assim a declamou aos ouvintes da Jovem Pan:

Versos Íntimos

Vês! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão – esta pantera –
Foi tua companheira inseparável!

Acostuma-te à lama que te espera!
O Homem, que, nesta terra miserável,
Mora entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera.

Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.

Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija!

(Augusto dos Anjos)


Nenhum comentário: