Busca

domingo, 9 de outubro de 2016

Coluna do Jersan

MAUS ADMINISTRADORES FORAM DERROTADOS


Na maioria dos municípios onde a população demonstrava insatisfação com os seus administradores, a reprovação apareceu através das urnas. Caxias, Pinheiro, São Bento e São João Batista são exemplos dessa realidade incontestável. E não foi, por exemplo, por falta de apoio do governo do estado aos prefeitos, motivo para a derrota. Parece, isto sim, ter faltado atenção deles às necessidades do povo, principalmente no que diz respeito à saúde pública e na educação, setores vitais, que, bem atendidos proporcionam satisfação aos beneficiários. Em caso contrário, motiva revolta e mal estar.

Particularmente, em São João Batista, além do notável abandono a que foram submetidos esses dois setores, o prefeito (agora afastado do cargo) não soube conduzir a administração por caminhos corretos. Permitiu e participou de desvios de verbas do FUNDEB para atender interesses pessoais dele e de vereadores do seu grupo de apoio. Uma situação vergonhosa com desdobramentos por vir, caso o Poder Judiciário dê continuidade ao processo.

Ao perceber, a tempo, que não teria condições nenhuma de se reeleger desistiu da disputa e indicou o vereador Luís Everton, do PCdoB para concorrer ao cargo. O nome do governador Flávio Dino foi usado em todos os discursos como apoiador dessa candidatura. O pai do governador, advogado Sálvio Dino esteve em São João Batista, discursou em reunião, assim como o secretário Marcio Jerry participou de carreata, mas nem por isso o candidato “comunista” decolou: obteve apenas 1.181 votos logrando a quarta colocação depois da apuração dos votos.

Eleito com 6.972 votos o tucano João Dominici foi seguido pelo vereador Mecinho (PRB) com 4.373 votos e por Surama Soares com 2.389 votos. O vencedor que desde o início da campanha aparecia em primeiro lugar na preferência do eleitorado, foi vítima de agressões e achincalhe por parte dos adversários mais afoitos, liderados pelo prefeito afastado. Nada adiantou e a consagradora vitória dos Dominici ainda é comemorada no município. É a esperança de um novo tempo alimentada pelo sofrido povo joanino.

Em São Bento, terra do meu amigo Isaac Dias, o prefeito Carrinho Muniz se atrapalhou e não conseguiu administrar o município de maneira satisfatória, na avaliação do povo que decidiu eleger Luisinho que na primeira gestão (2009 a 2012) também não era bem avaliado pela população, mas, pelo que parece, Carrinho conseguiu ser pior e ele voltou.

Em Viana aconteceu o mesmo “desastre” e Chico Gomes perdeu feio e em Caxias, a maior surpresa: o prefeito Leo Coutinho, apoiado pelo governador e pelo presidente da Assembléia Legislativa foi derrotado pelo vereador Fábio Gentil. Os prefeitos que assumirão seus cargos a partir do dia 1° de janeiro de 2017, precisam ter “pé no chão” porque o povo não aceita mais ser desrespeitado e usado como massa de manobra. “Os tempos são outros” – avisam os mais experientes.

TRANSIÇÃO

De acordo com o que determina dispositivos da Lei Estadual 10.219/2015 e o art. 152 da Constituição Estadual os prefeitos têm 10 dias após a proclamação do resultado da eleição para encaminhar aos eleitos relatório sobre a situação administrativa do município. Uma comissão de transição deve ser nomeada pelos novos gestores. O Ministério Público incentiva e acompanha a iniciativa.   

ROCHA QUER BRIGA

O senador Roberto Rocha (PSB), não é de hoje tem dirigido críticas a setores do Governo Flávio Dino e da Prefeitura de São Luís. Eleito em 2014, com o irrestrito apoio de Dino, o senador socialista vem dando sobejos indícios de que quer briga e deverá ser candidato ao governo em 2018 confrontando com a reeleição de Flávio Dino (PCdoB). E ao se licenciar do Senado, dando chance ao primeiro suplente de sentar na importante cadeira da Câmara Alta, Rocha acena para o PSDB que deseja paz com os tucanos maranhenses alinhados no governo.

As críticas de Roberto Rocha, contra o governador Flávio Dino, são de conteúdo político, explícitas. Antes ele se dirigia de forma indireta, batendo no secretário Marcio Jerry e no prefeito Edvaldo Holanda, mas que não deixava de ferir o governo. A candidatura dele em 2018 não o obriga a renunciar a senatoria o que significa dizer que ele não tem nada a perder, pois o seu mandato atual só expira em 2022.    

EDVALDO X BRAIDE

Terá início na próxima terça-feira (11) a propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão que vai ao ar até o dia 30. Os candidatos Edvaldo Holanda Junior e Eduardo Braide, têm o tempo de 10 minutos, duas vezes ao dia para explanarem os seus planos de governo e várias inserções diárias de 30 e 60 segundos cada. Espera-se que aproveitem o tempo para, com mensagens e propostas de alto nível e viáveis, convencerem o eleitor a votar neles com convicção e esperança. Que não seja para preservar emprego ou por outros interesses pessoais, mas por São Luís mais humano e saudável. Com mais saúde, mais educação, mais urbanização, menos lixo e melhor transporte público.

PAÇO DO DUTRA

A vitória do ex-deputado Domingos Dutra, para a Prefeitura de Paço do Lumiar era esperada por muitos observadores. O que surpreendeu foi a grande diferença de votos com relação aos seus adversários, superior a três mil votos. Esperavam, alguns, melhor desempenho de Gilberto Aroso e do próprio prefeito Josemar. Dutra plantou esperança e colheu o apoio do eleitorado daquele município da Grande Ilha. Parabéns da coluna a esse grande guerreiro.

PTB VITORIOSO

O Partido Trabalhista Brasileiro – PTB – saiu vitorioso na eleição em São João Batista elegendo a maior bancada - três vereadores: Júnior de Valdez, Assis Araujo e Isaaquinho. Poderia ter elegido mais um, mas o grande líder Nonatinho, infelizmente, morreu dias antes do pleito, desfalcando a legenda. Especialmente ao meu irmão Assis Araujo que preside o partido e articulou a coligação com o PSDB de João Dominici, os parabéns da coluna, pelo bom trabalho realizado.

ABRAÇO ESPECIAL

O colunista tem a satisfação de enviar abraço especial ao advogado José Ferreira, de São João Batista que, todos os domingos tem como “leitura obrigatória” – como disse - o JP e, especialmente, esta coluna. Isso é o que nos motiva a continuar na liça. Obrigado!

Nenhum comentário: