Busca

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Um Planeta ameaçado

De HS, direto da Ilha de São Luís para o Mundo...


Se acabarem os mares, não haverá mais vida no Planeta. Se os rios morrerem todos, não haverá mais vida no Planeta. Quando não houver mais uma só árvore, não haverá mais vida no Planeta. Quando o ar se transformar em veneno poderoso, a vida desaparecerá do Planeta...

Um momento!... Silêncio! Sabem que dia é hoje? 19 de fevereiro do ano de 2017 - domingo! -... Quantas toneladas de lixo, só hoje, irão para os oceanos? Quantas toneladas de plásticos os mares receberão, somente hoje?

Vejo, olho..., meus olhos estão a ver e ler um noticiário da ONU, de autoria da jornalista Laura Gelbert Delgado...

Não imploro, apenas peço que leiam a notícia abaixo, e que cada um reflita... Só isso... Leiam:

Em 2050, oceanos podem ter mesma quantidade de

peixes e plástico

Alerta é do embaixador de Portugal junto às Nações Unidas, que é um dos organizadores de encontro preparatório para Conferência sobre Oceanos em junho; ONU lançou plataforma online para recolher compromissos voluntários sobre tema.


Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.

Se nada for feito para combater a poluição, em 2050 mares e oceanos podem ter a mesma quantidade de peixes e plástico. O alerta foi feito à ONU News pelo embaixador de Portugal junto às Nações Unidas.

Álvaro Mendonça e Moura é um dos organizadores de um encontro preparatório para a Conferência sobre os Oceanos que será realizada entre 5 e 9 de junho.

Poluição

"O que nós devemos pensar é que cada um de nós tem alguma responsabilidade em contribuir para controlar a poluição dos mares e dos oceanos. E, portanto, nós gostaríamos que houvesse parcerias, compromissos concretos que resultassem dessa conferência. Deixe-me dar-lhe um exemplo que eu acho que tem algum impacto para quem nos ouça. Se nós continuarmos no ritmo atual dos mares e oceanos, em 2050 haverá tanto peixe nos oceanos como plástico."

Falando sobre as expectativas para a conferência de junho, o embaixador citou duas questões: "uma declaração política que comprometa os Estados numa aceleração do caminho para a Agenda 2030" e parcerias relacionadas aos oceanos.

O embaixador disse ainda esperar que a conferência seja um motor para ajudar a todos a manter a saúde dos oceanos.

Ações concretas

Pedindo ações concretas para proteger os oceanos, a ONU lançou uma plataforma online para recolher compromissos voluntários de Estados-membros, empresas, sociedade civil, sistema das Nações Unidas e outras instituições que possam contribuir para implementação do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 14.

A meta trata da conservação de mares e oceanos e do gerenciamento de recursos marinhos e é tema central do encontro mundial que será realizado em junho.

Nenhum comentário: