Busca

domingo, 12 de março de 2017

MAR DE AÇO - poema de Anaira

MAR DE AÇO



Nada é simples 
Tudo é composto
Analisar em pequenas partes
Trará soluções totalmente explicáveis
O Mar é de Aço
Forjado a 1600°C
Profundidades ainda desconhecidas
A maioria se acotovela em águas rasas
Criaturas estranhas
Nunca estudadadas
Seres nunca vistos e nem fotografados
A natureza trata de ser surpreendente
As águas do Mar de Aço evolui
E com elas suas criaturas
Peixes que hibernam na terra.
Tudo que foi provado é improvável
Nossos tentáculos nascem
Para adaptarmos ao Novo Continente
Nascerão asas em alguns
Chifres e cascos em outros.

(Anaira Mafeoli)


Um comentário:

Anaira Mafeoli disse...

Gratidão Helcio.