Busca

terça-feira, 16 de maio de 2017

Acidentes de trânsito são principal causa de morte entre adolescentes

Segundo OMS, mais de 1,2 milhão de jovens dos 10 aos 19 anos morrem por ano, sendo que a maioria dessas mortes poderia ser evitada; suicídio e morte acidental por auto-mutilação também entre as principais causas.

Leda Letra, da ONU News em Nova Iorque.

Mais de 1,2 milhão de adolescentes morrem por ano, a maioria de causas que poderiam ser evitadas, segundo a Organização Mundial da Saúde, OMS. Nesta terça-feira, a agência da ONU divulgou um relatório explicando que dois terços dessas mortes ocorrem em países de rendas baixa ou média na África e no sudeste da Ásia.
Acidentes de trânsito são a principal causa de morte entre adolescentes dos 10 aos 19 anos de idade. Em 2015, foram quase 115 mil vítimas. Na sequência estão infecções respiratórias; suicídio ou morte acidental por auto-mutilação; complicações da diarreia e afogamento.

Diferenças

Mas a OMS destaca que as diferenças regionais são grandes. Na África, por exemplo, mais adolescentes morrem por HIV, meningite ou diarreia do que por acidentes nas rodovias.
Na Europa e no sudeste asiático, a auto-mutilação é a principal ou a segunda causa de morte entre adolescentes dos 15 aos 19 anos.

Garotas

Se for avaliada a situação específica das meninas, principal causa de morte entre adolescentes de 10 a 14 anos são infecções respiratórias como pneumonia. Já as complicações da gravidez, como hemorragia, abortos inseguros ou problemas no parto são os principais fatores de morte entre garotas entre 15 e 19 anos.
A OMS destaca que os jovens muitas vezes têm responsabilidades de adultos, como cuidar dos irmãos e trabalhar. Muitos adolescentes acabam abandonando a escola ou se casando muito cedo. Desnutrição, ferimentos, gravidez, doenças, violência sexual e problemas de saúde mental são algumas das complicações.

Recomendações

A agência da ONU defende que os sistemas de saúde e de educação sejam melhor capacitados para atender os adolescentes.
Algumas das recomendações são: educação sexual compreensiva nas escolas; aumentar a idade mínima para consumo de álcool; tornar obrigatório por lei o uso de cinto de segurança e de capacetes; reduzir o acesso a armas de fogo; diminuir a poluição interna do ar e aumentar o acesso à água potável e ao saneamento.
O guia foi produzido pela OMS em parceria com outras agências da ONU, como Unaids, Unesco, Unicef, Unfpa, ONU Mulheres e Banco Mundial.

Nenhum comentário: