Busca

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Guterres: seca do Mar de Aral é uma das maiores catástrofes ecológicas mundiais

Secretário-geral da ONU visitou região no Uzbequistão este sábado; ele disse que situação é uma demonstração de que “o homem pode destruir o planeta”.

Edgard Júnior, da ONU News em Nova Iorque.


O secretário-geral da ONU, António Guterres, visitou este sábado a região do Mar de Aria, no Uzbequistão.

Guterres disse que “ver o que já foi considerado o quarto maior mar localizado numa área de deserto quase morto é chocante”.

Catástrofe

Falando em inglês, o chefe da ONU afirmou que “esta é provavelmente a maior catástrofe ecológica do nosso tempo e demonstra que o homem pode destruir o planeta”.
Segundo ele, “o desaparecimento progressivo do Mar de Aral não aconteceu por causa da mudança climática”.
O secretário-geral deixou claro que isso ocorreu pela “má administração dos recursos hídricos pela humanidade”.

Símbolo

Ao mesmo tempo, Guterres afirmou que em relação à mudança climática, se a comunidade internacional não agir com força para combater esse fenômeno, o mundo verá esse tipo de tragédia se multiplicar por todas as partes.

O chefe da ONU pediu a todos que usem o Mar de Aral como símbolo de como a humanidade pode destruir o planeta.

Segundo ele, isso deve servir como uma lição para mobilizar a comunidade internacional a implementar o Acordo de Paris, incluindo governos, empresas, sociedade civil, cidades e estados.

Para Guterres, o objetivo é garantir que tragédias como essa no Uzbequistão não se repitam.

Nenhum comentário: