Busca

domingo, 6 de agosto de 2017

Do silêncio aos aplausos: com filho na camisa, Abel faz relato emocionado e agradece solidariedade

ESPN


A vitória do Fluminense sobre o Atlético-GO, por 3 a 1, começou e terminou da mesma forma: do minuto de silêncio de arrepiar no Maracanã aos aplausos dos jornalistas na sala de imprensa, Abel Braga se emocionou ao lembrar do filho João Pedro, uma semana após sua morte, aos 19 anos.

O técnico fez um depoimento emocionado neste sábado, vestindo uma camisa com a imagem do filho.

“Meu filho está aqui comigo. Com os mesmos olhos azuis, irreverente como sempre foi... Não sei explicar o que está se passando. Até agora não consigo entender o motivo. Fico me perguntando: será que você teve de nos deixar para que um dos Bragas transcendesse o futebol? É a única razão que eu vejo. A família Braga é tão digna, correta, tão real, verdadeira, que precisa passar um pouco dos limites do futebol”, iniciou o treinador.

“Só consigo entender isso, porque acabei de falar para os meus jogadores: agradeci de coração a eles, tudo que se passou aqui hoje. Porque teve a colaboração enorme deles para poder oferecer essa vitória a ele. É uma força que eu não sei de onde estou tirando, mas ele me fez ultrapassar o futebol”, seguiu.

Abel citou uma frase do filho, “presente em pensamento”, enviada a amigos, e que também estava na camisa escolhida para conceder a entrevista.

“Foi por volta das 4h da manhã, antes de dormir. Depois veio a convulsão e a fatalidade. Ele sabia que estava indo, não tinha motivo para escrever tal coisa. A gente fica aqui na dor, na saudade. Mas estamos sempre aprendendo. A vida é feita de tombos. Ele está me dando forças para levantar. Estou aqui recebendo essas homenagens que jamais poderia imaginar.”

“Nunca fui ovacionado dessa maneira. Essa homenagem significa tanto que está vindo em vida. É outra coisa que vou procurar entender. Até o minuto de silêncio foi diferente. Naquele momento eu conversava com ele. A torcida deu um show tão fantástico de carinho comigo e com meu filho. Agradeço imensamente pela solidariedade.”

Nenhum comentário: