Busca

terça-feira, 29 de maio de 2018

Autoritarius dictatoricus tiranicus – O vírus de Sarney


Minha reflexão das 12 horas

Hélcio Silva

(28 / 05 / 2018)

Aliás, nem vou dizer todas as razões de como estou; mas estou P da Vida. Diria até que estou P da Vida e porreta de inveja do grande poeta Cunha Santos...

Posso dizer a vocês que se muito dinheiro tivesse montaria um grande laboratório de pesquisa para identificar os vírus poderosos e maldosos que alimentam corpo e alma de velhos políticos...

E por que estou com inveja e P da Vida com o poeta?

Pois! Pois! Vou dizer:

Eu matutando, por anos de minha vida, para encontrar um caminho em que pudesse trabalhar na identificação do vírus que Sarney carrega..., e me vem ele – o poeta Cunha Santos mostrando a faca do queijo!

E aí, vem o poeta... E ele vem!... Com todo o seu andar manso, vem ele quebrar a reza na cruzada da esquina!... 

Cunha Santos – meu velho amigo de fé – descobre o vírus do Sarney, identificando-o como: Autoritarius dictatoricus tiranicus...

E o poeta, para aumentar a minha inveja e bagunçar o meu estado de P da Vida, explica tudo sobre o Autoritarius dictatoricus tiranicus – vírus do Sarney que se espalha em perigoso ciclo reprodutivo....

Para melhor esclarecimento, transcrevo abaixo o artigo do poeta Cunha Santos com explicações detalhadas sobre os perigos do Autoritarius dictatoricus tiranicus:

Autoritarius dictatoricus tiranicus – O vírus de Sarney se espalha

A Justiça não é cabine eleitoral de Sarney e seus prepostos.

JM Cunha Santos

Com orgulho. O jornal O Estado do Maranhão anuncia que já são treze as ações contra o governador e o governo Flávio Dino. Treze. E a campanha eleitoral ainda nem começou. Logo poderão ser 130 ou 13.000. A impressão que se tem é de que dispensaram as cabines eleitorais porque para Sarney lugar de eleição é nos tribunais. Afinal, foi nos tribunais que ele ganhou a eleição que sua filha disputou e perdeu para Jackson Lago.

Sarney tem incubado, desde o fim da ditadura militar, o vírus do autoritarismo que leva o indivíduo ao fazer político sem qualquer padrão ético. Está humilhando, desrespeitando a Justiça com esse canibalismo judicial. A Justiça não é depósito de frustrações, não é cabine eleitoral de Sarney e seus prepostos. Mas parece que eles resolveram fazer campanha política na primeira e na segunda instâncias para serem diplomados na terceira.

Mais respeito com o Poder Judiciário, Senhor José Sarney!

Sarney é o hospedeiro das mais terríveis doenças da democracia e está transmitindo o vírus sem nenhuma piedade. Eduardo Braide, Andrea Murad, Sousa Neto, Ildon Rocha e Adriano Sarney estão tossindo e gosmando arrogância e prepotência. Uma hora pedem intervenção militar no Maranhão, outra ameaçam fechar veículos de comunicação. Eduardo Braide já perdeu até o ácido ribonucleico, tornando-se um terrível aprendiz de ditador em plena gestação; Ildon Rocha é, hoje, um poderoso reprodutor de material genético despótico e quanto a Andrea Murad, Sousa Neto e Adriano Sarney estão infectados desde o berço pelo vírus que contaminou Sarney no correr da ditadura militar.

E no auge desse ciclo reprodutivo, o autoritarius dictatoricus tiranicus escolheu como vítimas principais a liberdade de expressão, a liberdade de imprensa e a livre manifestação do pensamento. Só contra a Rádio Timbira são quatro ações judiciais no intento de tirar do ar a emissora finalmente livre do garrote da censura imposta por Roseana Sarney, a primeira infectada, que sequer permitia a participação do ouvinte, fosse o programa qual fosse.

E querem que seja a Justiça do Maranhão a referendar tamanho retrocesso e tamanha arbitrariedade. Inspirados por seu chefe Michel Temer, eles pretendem repetir no Maranhão o mesmo golpe que - estamos vendo isso acontecer agora – tantas incertezas, desesperanças e desgraças está trazendo para o Brasil.


Nenhum comentário: