Busca

terça-feira, 29 de maio de 2018

MEU DIÁRIO

(28 / 05 / 2018)


O BRASIL VIROU UM CAOS...

Um governo fraco, sem credibilidade, vem conduzindo o país a um caos generalizado. O presidente não sabe mais o que diz, o que promete. Temer perdeu o controle da situação, ficou refém da greve.

O POVO MERGULHADO NA INCERTEZA...

Estamos todos mergulhados na incerteza e não sabemos o que será do amanhã. As divergências entre os diversos representantes dos caminhoneiros e a demora na retomada do abastecimento estão mantendo o Brasil mergulhado na incerteza. Entramos no nono dia da greve e o país parou.

A QUEDA DO GOVERNO...

Leio agora que o presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, que havia rejeitado as primeiras concessões do governo, se disse satisfeito com as medidas anunciadas no domingo pelo presidente Michel Temer e declarou que os atuais bloqueios têm uma agenda política. Diz ele que há pessoas comandando tudo... Vejam o eu disse José da Fonseca Lopes: "Não são mais os caminhoneiros que estão em greve. Há um grupo muito forte (...) de pessoas que querem derrubar o governo. Não tenho nada a ver com estas pessoas, e também não os caminhoneiros autônomos".

OS BLOQUEIOS CONTINUAM NAS ESTRADAS...

Nada mudou na greve. As dificuldades continuam as mesmas. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), permanecem 556 bloqueios de rodovias em 24 dos 27 estados do país, principalmente nos estados do sul e sudeste.

O IMPACTO DO DESCONTROLE...

A greve impactou todos os setores da economia: fornecimento de combustíveis e de alimentos, de medicamentos para os hospitais e de rações para a produção bovina e aviária, onde morreram milhões de aves nos últimos dias. Pelo menos cinco aeroportos cancelaram voos na segunda-feira. Em São Paulo a frota de ônibus funcionou com 70% de sua capacidade e no Rio, com 45%. Nos postos de gasolina reabastecidos havia filas quilométricas de automóveis.

UM BILHÃO DE DÓLARES DE PREJUÍZO NAS EXPORTAÇÕES...

A Associação Brasileira de Comércio Exterior (AEB) estimou que por causa da paralisação houve um prejuízo de 1 bilhão de dólares nas exportações.

FHC FALOU...

Muitos políticos famosos estão calados ou falando com prudência. Fernando Henrique Cardoso vem com uma frase: - A crise "expressa o mal-estar profundo" com a "falta de rumo" do Brasil -.

QUEDA DAS AÇÕES DA PETROBRAS...

As ações da Petrobras fecharam com queda de 14%. As ações preferenciais da petroleira caíram 14,6%, e as ordinárias, 14,07%. Na semana passada, as ações da Petrobras também tinham caído 14%. O índice Ibovespa caiu 4,5%. A medida mais questionada pelos mercados é a redução de 46 centavos por litro de diesel durante 60 dias e a precificação mensal, e não diária, como a Petrobras fazia até semana passada. O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, garantiu que essa medida não causará qualquer prejuízo à companhia e que não significa um congelamento de preços, só alterando a periodicidade da precificação. Entretanto, o impacto dos novos subsídios para ajudar a Petrobras a manter suas contas será de 9,5 bilhões de reais, o que poderá comprometer as metas fiscais e a credibilidade do governo, que tem como bandeira o restabelecimento das contas públicas por meio de duros ajustes.

PETROBRAS PERDE R$ 126 BI EM VALOR DE MERCADO..

informa a BBC – “Maio deveria ter sido um mês de resultados históricos para a Petrobras, mas a greve dos caminhoneiros frustrou essa previsão ao fazê-la perder mais de R$ 126 bilhões em valor de mercado em questão de dias, de acordo com levantamento feito por Einar Rivero, gerente de relacionamento institucional da empresa de informações financeiras Economatica.

AVIAÇÃO TEM PREJUÍZO DIÁRIO DE R$ 50 MILHÕES, DIZ O PORTAL NOTÍCIAS AO MINUTO...

A aviação comercial brasileira tem registrado um prejuízo diário de R$ 50 milhões desde o início da greve de caminhoneiros no país. A estimativa é da Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), que reúne as quatro principais companhias - Avianca, Azul, Gol e Latam -, que respondem por 99% do transporte aéreo comercial no país.

PREFEITURA DE SÃO PAULO ESTIMA PREJUÍZO DE ATÉ R$ 150 MILHÕES...

O prefeito Bruno Covas se reuniu com o Comitê de Gerenciamento de Crise ontem, dia 28, e fez um apelo para que os motoristas voltem a trabalhar. Segundo Covas, estima-se um prejuízo, para a cidade de São Paulo, entre R$ 100 e R$ 150 milhões na arrecadação desde o início da greve dos caminhoneiros, que está em seu oitavo dia. “A Secretaria da Fazenda estima que perdemos algo em torno de R$ 100 a R$ 150 milhões na arrecadação de serviços em uma semana na educação, na saúde, na cultura, na assistência e no esporte. Estamos falando de arrecadação de serviços, que se não foram prestados essa semana, não serão prestados no futuro. Queria fazer um apelo para que a situação possa voltar ao normal o mais rápido possível. A prefeitura tem feito todos os esforços para reduzir o impacto na cidade e na população da cidade, nos quase 13 milhões de paulistanos. A população não pode continuar sofrendo com todos os danos e prejuízos que essa greve vem ocasionando”, disse o prefeito Bruno Covas...

O IMPACTO NA SAÚDE...

Segundo ainda Bruno Covas, o impacto na as´de é muito grande. “Estão suspensas as cirurgias eletivas, que correspondem a praticamente metade das cirurgias na capital. Estão sendo realizadas apenas as cirurgias de emergência para que possamos utilizar insumos e roupas com racionalidade", disse Covas.

AVANTE, A LUTA CONTINUA....

Bom dia, amigos e amigas!

Lutemos pela Paz

Até mais ver!

Nenhum comentário: