Busca

sábado, 19 de maio de 2018

Espelho da Alma do poeta Francisco Tribuzi

Espelho da Alma


Francisco Tribuzi

Quem sou neste espelho
Onde quebro a imagem
Num tempo vermelho
A ocultar a viagem

Repartido e mudo
Sombra de sobras
Refletido em tudo
Medos e manobras

Quem me vê de lá
Nesse duplo encontro
Quase já não há
Nem um nem outro

Falo para mim
Sem luz nem eco
Repetido sim
Refletido e seco

Mas afinal quem sou
Nessa tela fria
A repetir a dor
Da alma vazia

Diga espelho meu
Com os seus cristais
Onde escondeu
As flores fatais

Guarda o perfume
Que minha alma exala
Muito além do lume
Que a imagem fala

Muito além do vidro
Que a forma inventa
Retrato comprido
Imitando a lenta

Imagem tão presa
Limitado engano
Filmando a surpresa
Do ser humano.

Nenhum comentário: