Busca

sábado, 26 de maio de 2018

Linda poesia de Raimunda Lucinda

Olha só,
Vendo à noite a lua
Sinto-me voltada à nostalgia
Percebo quanto a vida é breve,
Uma fagulha de luz,
Um átmo de tempo,
Numa hora luz do sol,
Num instante um véu se abate
E a escuridão cobre os meus olhos
Eu aqui,envolvida numa semi-escuridão, vendo o céu com uma luz brilhando por causa do astro lua, me sinto tão pequenina,
E procuro entender o que poderia ver se asas tivesse e neste momento pudesse, estar sobre a terra
Entre a luz e a sombra
Entre o céu e a terra
E aí imagino colher sorrisos das estrelas,
Elas para mim são as pessoas que se guardam no coração de Deus e que em certas noites vêm enfeitar nossas vidas, fazermos cientes de que continuam vivas nas nossas lembranças e a lua lhes acompanham, sorrindo do nosso medo de não conseguir voar,nem que seja só em pensamento.

(25/05/2018)

Raimunda Lucinda Martins


Nenhum comentário: