Busca

sábado, 28 de março de 2015

Técnicos do Banco Central entram em greve na próxima segunda-feira

Os técnicos do Banco Central entram em greve de 30 de março a 3 de abril, justamente na semana em que o BC completa 50 anos. Segundo informações do sindicato da categoria (SinTBacen), o movimento tem apenas o objetivo de expor a insatisfação dos servidores e pressionar o governo a cumprir os acordos assinados (2005, 2008 e 2012), que garantiam a reestruturação da carreira, inclusive com a exigência de nível superior em concursos públicos.

Segundo Willekens Brasil, vice-presidente o SinTBacen, após 10 anos de promessas quebradas, o quadro de pessoal do órgão se assemelha a uma pirâmide envertida: existem 3.863 analistas e apenas 539 técnicos. Ou seja, muitas pessoas com funções especializadas e poucas trabalhando no apoio.

“É também um sério desvio de função. Os analistas, que poderiam estar pensando a política monetária do país, por falta de funcionários, hoje fazem atendimento ao público e até organização de processos”, denunciou. Trata-se, disse, de um desperdício de dinheiro público, pois os salários dos analistas (de R$ 13,5 mil a R$ 21,3 mil) é muito superior ao dos técnicos (de R$ 5,1 mil a R$ 9,7 mil).

“Além disso, no último concurso, em 2013, o Banco Central convocou novamente mais analistas (300) que técnicos (50). Temos mais de mil aprovados que inclusive deixaram seus empregos e não foram convocados”, ressaltou Brasil.

A intenção do sindicato é convencer o governo de que o processo de modernização do quadro do Banco Central - que já foi alvo de estudos de grupo de trabalho no Ministério do Planejamento -vai reduzir, em vez de aumentar os custos para a administração federal. “A idéia é manter o número de analistas e contratar cada vez mais técnicos.

Com isso, no médio prazo, os desembolsos com a folha de pagamento vão cair”, reforçou Brasil. A greve, além de Brasília, ocorrerá nas nove capitais que o banco tem sede: Belém, Fortaleza, Salvador, Recife, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre.


Nenhum comentário: