Busca

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Valadares diz que acordo Transpacífico pode deixar Brasil isolado



O senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), avaliou nesta terça-feira (6) que o Brasil pode ficar isolado e numa situação incômoda no comércio internacional, caso se concretize o acordo de parceria Transpacífico, firmado na segunda-feira entre 12 países, entre eles os Estados Unidos, Japão e Austrália, além do sul-americanos Chile e do Peru.

— As exportações do Brasil podem encolher 2,7% depois de efetivado esse acordo, segundo estudos de pesquisadores da Fundação Getúlio Vargas. Em 2014, o Brasil exportou US$ 31 bilhões em manufaturados, dos quais 25% para países que formaram esse bloco. Os produtos mais afetados serão carne, açúcar refinado, carros e máquinas — alertou o senador.

Antônio Carlos Valadares sugeriu que o país deixe de lado a postura romântica em relação ao Mercosul e a tentativa de acordo com a União Europeia, que se estende por dez anos.

Ele explicou que o acordo Transpacífico abrange 40% da riqueza mundial, algo em torno de US$ 28 trilhões,  Os países desse bloco — que, para realmente funcionar, precisa da aprovação dos parlamentos de todos os seus integrantes — movimentaram, em 2014, US$ 9,5 trilhões.

Medidas

Com explicou Valadares, o Transpacífico prevê ações de redução ou eliminação de tarifas; promoção do investimento; exigência de respeito à propriedade intelectual; combate à corrupção e transparência dos governos; e padronização de leis trabalhistas e ambientais.

O objetivo, acrescentou o senador, é nivelar as condições de concorrência entre as empresas ao estabelecer exigências semelhantes às vigentes nos Estados Unidos, como livre formação de sindicatos, proibição de trabalho infantil, regras sobre jornada de trabalho e salário mínimo, combate ao tráfico de animais selvagens e à extração ilegal de madeiras.

Da  Agência Senado

Nenhum comentário: