Busca

terça-feira, 13 de setembro de 2016

O POVO DE DEUS


Crônica do anoitecer

Hélcio Silva

(13/09/2016)

Estou vendo uma euforia em muitos blogs/
Uma euforia em números estatísticos/
Um pular de gente nuas ruas..., a gritar por eles!
Uma cidade aflita, maltratada, abandonada, assistindo a tudo...
Onde está a cidadania dos bravos filhos da ilha rebelde?
Não há mais luta política nesta cidade, com bases nos ideais de futuro...
Há nesta cidade um jogo de interesses em torno de grupos e famílias dos que fazem parte do poder..., da elite!
Eles fazem a política acontecer do jeito que eles querem...
Aqui vale mesmo é o interesse de uma luta pelo poder... Simplesmente pelo poder... Pelo poder que eles dominam!
Um cidade onde muitos dos nossos irmãos estão na mais dura linha da pobreza...
Uma cidade sem Escola Pública de qualidade...
Uma cidade sem Saúde Pública eficiente, dirigida por alguém que tem como primeiro interesse eleger alguém de sua família para o parlamento... , quando os mais pobres ficam meses e até anos na fila por uma consulta médica..., onde a medicina de qualidade não chega aos mais necessitados, aos que estão quase morrendo na linha da pobreza.
Minha cidade chora, geme, grita...
São Luís agoniza...
Minha cidade sem política de saneamento básico...
Minha cidade sem segurança pública...
Uma cidade de prefeito sorridente de amor apenas pelo poder, e que nada fez de políticas públicas que pudessem abrir caminhos para o futuro das novas gerações...
Uma cidade sem futuro em leito de lágrimas, na UTI dos desesperados!
Que futuro nos aguarda? 
Quem vai salvar esta cidade?
Sinto-me já sem força para pegar meu megafone e gritar da sacada mais alta da Igreja do Carmo, como fiz muitas vezes, e gritar contra os maus governos..., gritar contra os Senhores do Poder... Gritar contra os que chegam ao poder enganando o povo!
Gritar o meu grito de força! E dizer aos céus... Que..., o povo de Deus está sofrendo.
Que o povo está abandonado...
E que os príncipes do mal continuam, nesta eleição, enganando, principalmente aos mais pobres, para devorá-los depois...
E lembro agora - neste anoitecer - que certa vez, ainda jovem, ouvi um anjo cantar, quando eu estava quase a chorar, durante as minhas árduas lutas que travei contra os poderosos que maltratavam o povo... E o anjo cantou, e eu ouvi:




O povo de Deus no deserto andava
Mas à sua frente alguém caminhava
O povo de Deus era rico de nada
Só tinha esperança e o pó da estrada.

Também sou teu povo, Senhor
E estou nessa estrada
Somente a Tua graça
Me basta e mais nada.

O povo de Deus também vacilava
Às vezes custava a crer no amor
O povo de Deus, chorando rezava
Pedia perdão e recomeçava.

O povo de Deus também teve fome
E Tu lhe mandaste o pão lá do céu
O povo de Deus, cantando deu graças
Provou teu amor, amor que não passa.

O povo de Deus, ao longe avistou
A terra querida que o amor preparou
O povo de Deus corria e cantava
E nos seus louvores, teu poder proclamava.

Também sou Teu povo Senhor
E estou nessa estrada
Cada dia mais perto
Da terra esperada.

Nenhum comentário: