Busca

sábado, 11 de julho de 2015

Um muro pai d'égua

Crônica do amanhecer

De HS

Já era noite! Abri a pasta de notícia. Encontrei uma bomba! Alguém procurava um muro de alvenaria. Era só tapume de latão rasgado e madeira (tábua velha). Não havia um só tijolo nem massa de cimento.
Diz um texto da matéria do jornalista Gilberto Lima: “Com os registros da Secretaria de Saúde é possível comprovar que somente para a construção de um muro de alvenaria foi paga a quantia de R$ 329.086,68 e com as fotos é comprovado que no lugar do muro existe apenas um tapume de latão e madeira. E o tapume que está no local também foi pago pela Secretaria de Saúde, no valor de R$ 15.409,00.”
É coisa de causar espanto. Fiquei espantado! O tapume velho custou mais de 15 mil e o muro de alvenaria (que virou fantasma – não existe) foi pago. Valor: – quase 330 mil reais...
A gente fica fazendo um esforço muito grande para não acreditar que coisas estranhas acontecem na administração pública, e até leva para o bom humor como fiz ontem colocando no face  que “esse era um muro pai d’égua”.
Pai d’égua ou não, este fato precisa ser explicado, por envolver dinheiro público, do povo.

De HS, direto de algum ponto da cidade, assustado com mais essa notícia ruim... 

Nenhum comentário: